6/29/2017

CRÔNICA DE SAMPA


FEBRAVA




N
o começo dos nos 70 prestei vestibular para entrar na faculdade, existiam três cursos mais concorridos: Medicina, Engenharia e Direito. 
A princípio pensei em cursar medicina, cheguei até a frequentar meio ano de cursinho no Objetivo, período noturno, mas como trabalhava durante o dia, não estava conseguindo acompanhar, inclusive tinha aulas nos fins de semanas e em alguns feriados.
Tinha um amigo que fazia cursinho pra engenharia, e me alertou que ia ter um vestibular no meio do ano na FEI (Faculdade de Engenharia Industrial). Nessa época estava entre as melhores juntamente com a Poli e Mauá.
Acabei passando na primeira chamada, e como era semestral. resolvi abandonar o cursinho e cursar Engenharia Mecânica, a princípio Automobilística, mudando depois para Refrigeração e Ar Condicionado, um curso promissor, já que era  único da América latina.
Apesar de me  formar em tal modalidade, trabalhei na área metalúrgica, no ramo financeiro, só trabalhando na área mesmo tempos depois, por quase seis anos.
Chegamos a expor as nossas máquinas em feiras no sul e nordeste, mas a principal foi na FEBRAVA, a maior feira do Brasil, realizada aqui em Sampa. Inclusive este ano será do dia 12 a 15 de setembro, na São Paulo Expo.
A todos os profissionais da área ou para quem pretende instalar aparelhos de ar condicionado, refrigeração, ventilação esta feira é indicada, pois tem novidades e oferece várias alternativas para investir com segurança ou aprimorar seus conhecimentos nesta área.
Esta feira é Ideal para varejistas, distribuidores, técnicos, instaladores, projetistas, engenheiros, ficarem por dentro das tendências tecnológicas.
Já que estamos no inverno, fica a dica para todos se aproximarem de uma temperatura de conforto, e não entrarem em uma fria.
Grande abraço.


          Eu e dois bons amigos na Febrava


♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦


Ricardo Uchôa Rodrigues        

6/13/2017

CRÔNICA DE SAMPA



PRA QUE TE QUERO VERDE




R

ecentemente vi uma reportagem, que o bairro do Brás aqui em Sampa, tem pouquíssima área VERDE, inclusive a sua temperatura chega a ser de 10 a 12 graus superior a outros bairros bem arborizados. A prefeitura promete plantar um milhão de árvores, até o fim deste mandato, nos bairros mais áridos aqui da capital. 
Espero que as empresas privadas também colaborem para tal, ouvi também que foram plantados milhares de árvores em um grande terreno do Brás, onde será construído um conjunto de prédios, inclusive com árvores frutíferas, e hoje atraí centenas de pássaros para o tal espaço, e com certeza serão campeões de vendas, além de favorecer a saúde dos moradores
Eu posso dizer que fomos privilegiados, pois há 37 anos atrás compramos o apartamento onde moramos, e o que nos chamou mais a atenção foi a área verde deste prédio, tinha um bom espaço pra crianças brincarem, algumas árvores, tipo mangueiras, palmeiras e ameixeiras.
Quase todas foram preservadas, com uma dor no coração assistimos ao tombamento de uma árvore gigantesca, que já estava comprometida, correndo risco de um acidente mais grave. No prédio vizinho, um imenso galho caiu em cima do muro, atingindo um carro que estava estacionado, mas graças a Deus ninguém se feriu.
Apesar destes riscos, não existe nada mais gratificante do que você acordar cedo em plena capital, considerada uma selva de pedra, ouvindo os pássaros cantar próximo a sua janela, isto realmente não tem preço, além do nosso prédio ser pintado de verde, para enaltecer ainda mais a natureza
Só faltava agora eu dizer que também torço pro verdão, mas essa vou ficar devendo, pois sou tricolor desde garotinho.

Fui!

·     Grato aos remistas aí de Belém, leitores da coluna.



Prédio


Prédio1

♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦


Ricardo Uchôa Rodrigues


SOLIDARIEDADE





O Sindicato dos Jornalistas no Estado do Pará se solidariza com o radialista  Wanderley Mota, que, na última quarta-feira (07), sofreu ameaça de morte em razão do exercício da profissão, no município de Curionópolis, na região Sudeste do Pará.
O Sinjor-PA repudia toda e qualquer ameaça à liberdade de imprensa e ao exercício das profissões da comunicação e, principalmente, repugna toda e qualquer forma de ameaça à vida.
Com o mesmo ímpeto, o Sinjor-PA defende a ética na profissão e o uso responsável dos veículos de comunicação para o fim exclusivo de possibilitar o acesso à informação garantido em lei.
Eventuais discordâncias sobre o conteúdo divulgado, inclusive para obtenção de direito de resposta, devem ser tratados na via judicial, nos termos da legislação vigente.
Por fim, o Sinjor-PA orienta os profissionais que sofrerem violência no exercício profissional que, imediatamente, registrem um boletim de ocorrência para que possam ser cobradas providências das autoridades policiais e os responsáveis possam ser identificados e punidos.
SINDICATO DOS JORNALISTAS NO ESTADO DO PARÁ – SINJOR-PA


6/02/2017

CRÔNICA DE SAMPA


PRA SER FELIZ




M
esmo que você goste muito do seu trabalho, eu acredito que podemos fazer algo em paralelo que nos dê prazer. Hoje sou um engenheiro aposentado, mas ainda trabalho para complementar a minha renda, mas paralelamente jogo um futebolzinho de fim de semana, toco um violão e canto em algumas oportunidades, mas nada profissional, inclusive  agora entrei numa de escrever um pouco, mesmo não sendo jornalista, sem fins lucrativos, é claro.
             
Meus três filhos também, além de exercerem as suas respectivas profissões também tem outras atividades, e modéstia parte o fazem muito bem.
             
Meu filho mais velho, hoje mora em Londrina, é Designer multimídia, mas toca baixo em uma banda de rock, que foi formada entre os funcionários da própria empresa, começaram ensaiar para uma apresentação no fim do ano e voltaram a se apresentar recentemente eu outro evento da firma. Além do baixo, ainda toca violão, bateria e está tendo atualmente aulas de teclados.

O filho do meio é bancário, mas também é apaixonado por futebol, tem formação em Educação Física e joga na seleção do banco, representando o Estado de  São Paulo, em campeonato entre vários estados do Brasil, inclusive já fiz uma crônica anteriormente relatando essas paradas.

O meu caçula, é engenheiro ambiental, trabalha na região de Presidente Prudente, e em alguns fins de semana tem atuado como DJ, conhecido na região como DJ Vetera. Sendo muito requisitado, estando hoje com a agenda cheia. 
O importante é ser feliz, fazendo aquilo que gosta, para não termos frustrações no futuro.              

Praticar esportes, tocar um instrumento, cantar, dançar, cultivar orquídeas e muitas outras atividades, desde que você tenha prazer em fazê-las. 

Estamos juntos!

Segue o jogo. 

Ah, sim, um abraço desde a Paulicéia, para os remistas aí de Belém.


Fabio e banda


  Santo Amaro, Vice Campeão



Dj Vetera.


♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦


Ricardo Uchôa Rodrigues