9/19/2016

ANIVERSÁRIO

Parabéns “Dona Tereza”






Minha querida (e eterna) sogra:

Nesta data tão especial que é o seu aniversário, eu não poderia deixar de lembrar de você e desejar-lhe toda a felicidade do mundo.
Quero que este dia transcorra muito feliz para você, pois tenho a certeza de que o mundo seria muito melhor se houvessem mais pessoas generosas, virtuosas, justas, honestas e destemidas assim como a D. Tereza.
Sempre nos relacionamos com respeito e carinho; e respeito e carinho são o mínimo que eu posso dedicar a quem colocou no mundo a pessoa mais importante para mim nos dias de hoje: sua adorável filha – a Telma - meu amor... o amor – às vezes, incompreendido, uma doença como você diz! - que tanto procurei, a minha amada última.
Quero lhe desejar toda a felicidade do mundo e mais uma vez manifestar meu respeito por tudo o que você é e representa na minha vida; pois se tenho uma mulher adorável, educada, capaz, delicada, preocupada – por vezes menina travessa e, acima de tudo, mulher – dedicada - e atenta aos problemas, - é porque ela recebeu a orientação correta desde o berço, orientação prestada exatamente por você, uma mulher corajosa, de fibra, caráter e bons sentimentos. Mesmo na adversidade conseguiu dar a volta por cima e criar todos os filhos com amor e dignidade.
Dona Tereza: hoje, dia 20 de setembro é o dia seu aniversário.
Eu tenho muito orgulho de fazer parte da sua família e da sua vida
Você é uma pessoa muito especial que serve a Deus, é fiel aos seus mandamentos, procurando sempre o caminho do bem.
É a minha terceira mãe, já que a titular se foi; e que me criou desde o nascimento – a doce mamãe Nena - partiu bruscamente há sete anos
Saiba que poderá sempre contar com a proteção divina, e nenhum mal poderá lhe alcançar, porque sua vida está cercada e abençoada pelo Amor do Pai Eterno.  
Nunca se esqueça dos seus propósitos nem se esqueça de agradecer pelo amor que Este Mesmo Deus derrama sobre você.
Tenha um aniversário feliz junto aos parentes, repleto de bênçãos; e que possa sentir suas forças renovadas neste dia tão importante. Você sabe: gosto muito de você, e sendo seu filho postiço, “gente fina, mas, destrambelhado", como sempre diz.
Sabe de uma coisa? Eu me sinto orgulhoso de ser assim!
Mas são nos seus braços que sempre vou esquecer os meus males e renovar forças para enfrentá-los há mais de 30 anos. 
Tenha muita paz no coração e espalhe os ensinamentos de Deus, de Cristo e da sua Mãe Santíssima em sua casa; e nos lugares onde passar e mostre a todos a sua arte de cantar.
Tenho certeza que todos se sentirão orgulhosos, ainda mais dessa grande mulher que é você - minha (eterna) sogra, Minha Mãe Número 3, - a definitiva.
Obrigado por tudo e, principalmente, por me aturar. 

Parabéns, Terezinha de Jesus Sales da Silva.

Muitas Felicidades;

Muitos anos de vida, para a alegria de todos nós que a amamos.

CRÔNICA DE SAMPA



JOVEM GUARDA
No ano de 1965 as transmissões dos jogos de futebol nas tardes de domingo, pela Rede Record de Televisão aqui em Sampa – Canal 7 - foram suspensas.
Eles necessitavam de um programa que tivesse a mesma audiência; então convidaram o trio de cantores, Roberto Carlos, Erasmo e Wanderléa para apresentar um programa musical direcionado aos jovens... estreou portanto a Jovem Guarda.             
Eu sempre gostei muito de futebol e de música. Ao mesmo tempo que fiquei triste de não ter mais o futebol de domingo à tarde, compensou com um programa que, realmente, marcou a minha juventude e está presente comigo até os dias de hoje.            
Tocava e cantava boa parte das músicas; e no ano seguinte, em 1966, comecei a tocar com um amigo do colégio, o Wanderley, nas festas da nossa escola. Compramos guitarras, arrumamos um baterista, o Walmir,e formamos um “conjunto de garagem”, como eram chamadas as bandas na época.                         
A banda não vingou, mas fiz um grande amigo.
Eu e o Wanderley tocamos juntos até hoje. Nada profissional, mas em reunião de amigos; e o nosso repertório é baseado principalmente nas músicas daquele movimento.              
Além do trio da Jovem Guarda citado anteriormente, tocava no programa a banda Renato e seus Blue Caps, a qual fiquei fã incondicional. Tenho um box com 16 Cds, camisetas da banda; canto quase todo o seu repertório, e já fui em pelo menos três shows deles, aqui em Sampa, Santo André e Praia Grande.
Pena que eles tocam pouco aqui em Sampa, mas é considerada a banda mais antiga em atividade.            
Faço minhas as palavras do Roberto em uma das suas músicas: "Velhos tempos, belos dias".
Segue o jogo!
Ah, sim, aqui de Sampa - a maior cidade do país... em tudo, eh,eh,eh! – um abraço são-paulino pros remistas aí de Belém do Pará.. mandem uma camiseta GG para mim, ok? 
Inté mais.


Na foto Ricardo, Wanderley e Walmir na bateria

 ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦
Ricardo Uchôa Rodrigues

9/05/2016

CRÔNICA DE SAMPA




Pátria Amada


D
ia 7 de setembro é uma data cheia de glória, porque Dom Pedro I engrandeceu nossa história. Estes eram os versos que nós quando crianças, sabíamos de cor, ainda no primário no fim dos anos cinquenta.
Antes de entrar nas salas de aula, ficávamos todos em formação, mãos no peito e cantávamos o Hino Nacional, - era o amor e respeito pela nossa pátria.
Existia a Semana da Pátria; grandes comemorações; fazíamos trabalhos, e homenagens ao nosso querido Brasil.
As escolas desfilavam pelas ruas do bairro do Ipiranga, - tínhamos até fanfarras -, todos os alunos uniformizados e com uma bandeirinhas do Brasil nas mãos, várias pessoas iam assistir esses maravilhosos desfiles.
Voltando aos dias de hoje, nesta semana, exatamente no dia em que se comemoram a Independência do nosso Brasil, começam as Paraolimpíadas, no Rio de Janeiro; vamos torcer principalmente para os nossos atletas, se possível com bastante medalhas, para aumentar a nossa auto estima.
Estamos passando por momentos difíceis, principalmente na economia, na transição tumultuada do nosso governo central, mesmo assim vamos torcer, confiar e acreditar em um mundo melhor para todos nós 
Vamos aproveitar essa oportunidade e incentivar os nossos filhos e netos a amar a pátria, amar ao próximo, ser solidários, respeitar os nossos professores, estudar bastante, para sermos um povo culto e, consequentemente, termos um futuro melhor. Vamos vestir as cores da nossa bandeira, como em uma Copa do Mundo.

Pra frente Brasil!




Família na Copa


Família na Copa 1

♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦


Ricardo Uchôa Rodrigues



9/03/2016

SÉRGIO COUTO




CANALHAS! CANALHAS! CANALHAS!



Odesabafo irritado foi de Tancredo Neves. Mas poderia ter sido meu ou seu. Ou de qualquer outro brasileiro minimamente digno. Ou minimamente informado sobre Direito, como sendo a “arte do bom e do justo”, diante do episódio protagonizado por dezesseis senadores da República que não honraram o mandato que o povo lhes outorgou. 
Dolosamente resolveram mutilar o texto constitucional na parte que diz respeito às consequências naturais (não estou nem falando em penalidades naturais) do reconhecimento da prática de crime de responsabilidade por parte de qualquer Presidente da República (art.52, CF/88). 
Os outros vinte, pelo menos mantiveram-se coerentes com a posição que defenderam desde o início: não houve prática crime de responsabilidade, portanto, não há que se cogitar de inabilitação à ocupação de cargos público.
O que é inaceitável no posicionamento dos dezesseis da vergonha é, na “primeira etapa” dessa corrida de revezamento “non sense” em que se transformou a sessão do Senado, condenar a presidente por um crime que, por suposto, acreditavam ter sido praticado por ela e, a seguir, contraditoriamente, negar a aplicação da consequência natural da alternativa que elegeram, qual seja, a inabilitação para a ocupação de cargos públicos, como cristalinamente previsto no texto da Lei das Leis.
Mudando o que deve ser mudado, seria o mesmo que um tribunal de júri condenar um motorista imperito e imprudente que atropelou e matou uma multidão de pedestres, mas se negar a cassar a carteira de habilitação do condenado, para permitir que ele continue a dirigindo seu veículo assassino. E aceitar a possibilidade de causar outras mortes.
Segundo o que divulgam os bem informados, tudo teria sido urdido na calada da noite. Incluindo combinações de trocas de favores entre os interessados. E deve ter sido assim mesmo. O longo e amadurecido despacho proferido pelo presidente da sessão deferindo o pleito indeferível de um dos vinte “coerentes” senadores, bem revela que tudo já estava “acertado”. Não havia nenhuma matéria nova a ser analisada. A frase adrede ensaiada de um dos dezesseis senadores que envergonhariam Esparta, brandindo um exemplar da Constituição para dizer que não queria fazer mal a ninguém, é simplesmente patética. O lugar que ele ocupa não pertence a ele mas ao povo que o elegeu. O julgamento que ele faz não é produto de suas preferências pessoais mas devem traduzir os anseios do do povo que o guindou ao cargo. Julgar não é pretender fazer bem ou mal a quem quer que seja. É, simplesmente, tentar se aproximar o quanto possível do que é mais justo. Justiça é atributo divino.
O Direito, sendo sobretudo bom senso, não admite “dois pesos e duas medidas”, como bem evidenciou um senador que, certo ou errado, já experimentou o peso da espada e a cegueira da venda da justiça dos homens.
Mas, naquele “jogo de cena” e “cartas marcadas”, tudo poderia acontecer. E, desafortunadamente, aconteceu. 
Triste “fim de carreira” de um Presidente de uma Corte Suprema de Justiça que não soube se conduzir à altura da imponência e da solenidade do momento histórico que viveu, exercendo a presidência excepcional do Senado da República.
Para o titular do Poder, um recado: Não senhor Calheiros e seguidores! Eu aceito que os senhores se juntem a mim! E acho que nenhum brasileiro que se respeite quererá estar junto com os senhores daqui pra frente!

_________________

Sérgio Couto é Advogado e Ex-presidente da OAB/Pa

NOTA OFICIAL





FENAJ e Sindicatos de Jornalistas repudiam desmonte da EBC


A FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS (FENAJ), entidade máxima de representação da categoria, e os Sindicatos de Jornalistas vêm a público repudiar a atitude do governo ilegítimo de Michel Temer de, por meio da Medida Provisória 744/2016, iniciar o desmonte da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), eliminando seu caráter público.
A medida provisória (MP), publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União, muda a lei que criou a EBC (Lei nº 11.652, de 7 de abril de 2008), extinguindo o Conselho Curador da empresa e a garantia de mandato de quatro (4) anos para o diretor-presidente e mudando a composição do Conselho de Administração.
Com as mudanças, o presidente da EBC passa a ser nomeado e exonerado, a qualquer tempo, pelo presidente da República. O Conselho Curador – que era composto por 22 membros, entre os quais 15 representantes da sociedade civil – deixa de existir e, portanto, elimina-se o principal instrumento de constituição do caráter público da empresa.
A FENAJ e os Sindicatos de Jornalistas, em especial os Sindicatos do Distrito Federal, do Estado de São Paulo, do Município de São Luís do Maranhão e do Município do Rio de Janeiro – que têm jornalistas da EBC em suas bases – denunciam publicamente o desmonte da empresa, criada justamente para impulsionar o Sistema Público de Comunicação no Brasil, previsto na Constituição Federal.
Há no Brasil uma hipertrofia do Sistema Privado de Comunicação, com sérios prejuízos para o conjunto da sociedade. A EBC foi criada para fortalecer o Sistema Público e permitir mais diversidade e pluralidade na produção de conteúdo cultural e jornalístico. Ainda na fase de sua consolidação, a empresa é vítima do golpe de Estado – que tem também como alvo os direitos trabalhistas e previdenciários de todos os brasileiros, medidas contra as quais se debate a preparação de uma greve geral.
Aos trabalhadores e trabalhadoras da EBC, especialmente os jornalistas, afirmamos nossa solidariedade e nossa posição de resistência às medidas antidemocráticas implementadas pela MP, de luta pela manutenção do caráter público da EBC e pelo fortalecimento do Sistema Público de Comunicação no Brasil, e de luta pelos direitos dos trabalhadores da empresa.
Brasília, 2 de setembro de 2016
Federação Nacional dos Jornalistas - FENAJ
Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal
Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo
Sindicato dos Jornalistas do Município de São Luís
Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro


9/01/2016

VILA SORRISO


Desfile Escolar antecipa o Dia da Raça em Icoaraci
            
    Foto: Eliza Forte

Quem passou pela Rua Manoel Barata, no Distrito de Icoaraci, na manhã desta quarta-feira, 31, pôde ouvir a estudante Evelin Saldanha tocar corneta, instrumento que aprendeu há pouco tempo para participar dos desfiles escolares em alusão ao Dia da Raça, comemorado no próximo dia 5 de setembro. Em Icoaraci, as comemorações começaram na terça-feira, 30, e prosseguem até o final desta semana.

Evelin, de 13 anos, estudante do 6º ano da Escola Municipal Maria Madalena Raad, estava entre os nove mil estudantes que participaram do evento, realizado pela Prefeitura Municipal de Belém, por meio da Agência Distrital de Icoaraci e Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), e pela Secretaria Estadual de Educação (SEDUC). Para a estudante, participar do desfile foi emocionante. “Eu aprendi a tocar o instrumento lá na escola para me apresentar hoje. Essa foi a minha primeira vez participando de um desfile escolar, espero continuar praticando a corneta e participar de outros desfiles como esse”, declarou.
O desfile escolar deste ano teve como tema “Belém 400 anos” e foi marcado por diversas apresentações de estudantes de escolas municipais, estaduais e particulares, que puderam abordar assuntos como a promoção da cultura de paz, o fim das discriminações e a preservação do meio ambiente. A Vice-Prefeita de Belém, Karla Martins, esteve presente e destacou a importância de incentivar os alunos a participarem de eventos cívicos. “Para a Prefeitura essa participação expressiva dos estudantes é fundamental e a população presenciar esse engajamento é de suma importância, pois é onde todos se reúnem para prestigiar um momento cívico, ressaltando sempre o exercício da cidadania, além de prestigiar os nossos alunos”. disse.
Para o titular da Agência Distrital de Icoaraci, Armando Tavares, o evento já faz parte da tradição do morador, que vai às ruas para prestigiar toda a comunidade escolar. “Aqui temos uma tradição grande pois ela mexe não só com o nosso estudante e com o aprendizado deles, mas também estimula a parte cultural, onde os alunos podem aprender sobre artesanato e a nossa musica”, avalia o agente distrital.
A Escola Municipal Avertano Rocha também participou do segundo dia de desfiles, com a banda e todos os estudantes da unidade de ensino. Para a diretora Ana Célia Carvalho, o momento é de mostrar a comunidade o que a escola vem trabalhando para proporcionar aos alunos um ensino de qualidade. “No nosso caso, viemos falar de cultura de paz e mostrar que a escola está aberta para todos. Viemos com a mensagem de que a escola é uma ambiente de inclusão, onde todos podem participar e contribuir para educação das crianças”, afirmou.
_________________
Tacio Fonseca