6/30/2008

José Wilson Malheiros


SANTA CASA, CAPÍTULO III

Vejo nos jornais que o doutor. Antônio Anselmo Oliveira pediu para sair do cargo de Diretor da Santa Casa do Pará.
As fotos estampam fotografias macabras, evocando os tempos de atrocidade nazista: cadáveres de crianças miseráveis, embrulhados, amontoados à espera da vala comum.
A sociedade não merece tal coisa. Ele não merece isso. Conheço sua probidade, sua capacidade profissional, sua tenacidade. Mas, desta vez, meu primo parece haver saído para não ser enterrado junto com a respeitável instituição de saúde que há séculos sobrevive nos em nossa Terra, prestando serviços importantíssimos, principalmente aos menos favorecidos.
E, sobretudo, para não ficar servindo de boi de piranha, pois não devemos esquecer que estamos em épocas políticas e com certeza poderia ser chamado para responder por erros que não cometeu, embora eu tenha certeza que ali estava até mesmo de certa maneira laborando olimpicamente, pelo ideal da medicina que abraçou, por vocação.
Os problemas que ele encontrou ali, todos sabemos, não são novos e não podem ser jogados automaticamente à conta dos responsáveis atuais, em todos os níveis de governo.
Existe, como histórica e notoriamente se sabe, falta de investimentos suficientes, compatíveis, falhas de repasse de recursos básicos para que um hospital desse tipo funcione a contento.
Acho que a Santa Casa deveria há muito tempo fazer uma parada nos heróicos serviços que presta e ir para a rua, aos jornais, televisões, chamando veementemente a atenção da sociedade para os fatos que hoje estouram, despertando, dessa maneira, os ouvidos mais moucos.
Não sou especialista em administração hospitalar, mas uma reflexão dificilmente conduziria a respostas diferentes: muito imediatismo, muitas vezes para fazer o impossível com pouco suprimento, em vez de soluções mais profundas, estudadas com os experts da instituição, governo, políticos, sociedade etc.
Dizem os entendidos que, basicamente, para se encontrar soluções duradouras é necessário que se invista em equipamentos modernos, que se procure fazer uma remodelação administrativa, em todos os níveis (não por falta de capacidade técnica dos servidores), para que se possa trabalhar dentro dos padrões modernos administrativos.).
Teria chegada a hora de reunir-se e tentar rever os padrões, os cânones do assistencialismo que esse hospital presta ao público?
Como está funcionando o relacionamento com a previdência social pública, mormente com o SUS?
Como está é que não pode ficar. Não podemos continuar vendo a imprensa denunciar essas coisas escabrosas e tão dramáticas, o desespero de mães, pais, enfim, de familiares quando um “anjinho” desses ou mesmo um adulto falece antes do tempo marcado por assistência inexistente ou insuficiente.
Para eles a derradeira tábua de salvação parece ser Deus!
Mas que Deus é este, podem pensar, que só tem olhos para os hospitais de gente rica?
Cada um de nós, cada membro da sociedade, cada médico também somos instrumentos do Criador e temos nossa responsabilidade, sim, pois é por nosso intermédio que Ele age.
Mas para que o milagre aconteça é preciso menos reza, menos superstições ou pieguismos.
Para que tudo seja como almejamos, bastam duas coisas: boa vontade e trabalho!
Façamos a nossa parte, que isto pode e com certeza está em muitos hospitais por este mundo afora. Não há mais esperas.

________________________

jwmalheiros@hotmail.com

6/27/2008


Sinal da TV Cultura do Pará chega em São Félix do Xingu

A Fundação de Telecomunicações do Pará chega a mais um município do Estado. A cidade de São Félix do Xingu é a mais nova integrante do sinal da TV Cultura a partir desta sexta-feira/27, com s a inauguração da retransmissora da TV Cultura. A cerimônia contará com a presença do diretor de multimídia da Funtelpa, Marcos Urupá, além da equipe técnica e de líderes do executivo municipal.
O transmissor de 500w de potência – localizado na Rua Juscelino Kubitschek, s/n (Morro da TV) – Centro - irá cobrir toda a área urbana e parte da zona rural do município, que fica distante 630 quilômetros da capital paraense. Os mais de 35 mil habitantes do município agora poderão acompanhar a programação da TV Cultura, que conta com dezessete programas produzidos localmente, entre eles os programas Sem Censura Pará, o infantil Catalendas, o Brasil da Amazônia, Cultura Pai D'Égua e o informativo Jornal Cultura. A população de São Félix também assistirá a programação de outras tevês educativas e produtoras independentes que têm parceria com a emissora paraense.
Com São Félix do Xingu, a Funtelpa encerra o primeiro semestre de 2008 com dezessete retransmissores inaugurados em municípios de todos os cantos do Estado. Os moradores dos municípios de Abaetetuba, Castanhal, Bragança, Salinópolis, Igarapé-Miri, Óbidos, Monte Alegre, Tomé-Açu, Capanema, Santa Maria do Pará, Alacilândia (em Conceição do Araguaia), Floresta do Araguaia, Medicilândia, Brasil Novo, Vigia e Goianésia do Pará já acompanham a programação completa da TV Cultura.
Esforços que valem a pena – Depois de duas horas de vôo e mais outras doze horas de ônibus, a equipe técnica da Funtelpa chegou ao município de São Félix do Xingu para organizar os últimos detalhes antes da inauguração do 17° retransmissor da Funtelpa no interior.
Para que fosse possível levar o sinal da TV Cultura para os munícipes do sudeste paraense, foram feitas reformas no prédio do transmissor, adequação do terreno para receber a nova torre da Funtelpa, que tem 45 metros de altura, além de ajustes técnicos, elétricos e de acabamento, tudo para levar à comunidade do município não apenas um canal de televisão, e sim, levar mais cultura, entretenimento, informação com educação, devolvendo à população paraense o direito de receber o sinal da TV Pública, que no Pará, é de responsabilidade da Funtelpa, através da TV Cultura.
Evolução - São Félix é uma cidade com uma rica história. A vila fica no local onde o rio Fresco encontra o Xingu, que são ótimas atrações turísticas. Estes também são usados para pesca e transporte no período da cheia. E em ambos os rios a população local conta com serviços de balsas para a travessia. A cidade evoluiu rapidamente com a instalação na região de grandes madeireiras. Deixou de ser o simples vilarejo de apenas poucas casas da década de 50 para se tornar uma cidade moderna e vibrante.
Atualmente, a pecuária de corte é a principal atividade econômica da região. Existem diversas fazendas de gado em torno da cidade, todas implantadas com a destruição da floresta. Isso se deve principalmente ao processo de ocupação, a agricultura, pecuária e extrativismo que têm sido os principais responsáveis pelas alterações no sistema natural. Depósito de várias riquezas minerais (como ouro, prata, chumbo, zinco, diamantes, cobre, magnésio, níquel, wolframita e cassiterita) e com uma flora de vasto potencial econômico (madeireiro e não-madeireiro), essa região teve no extrativismo, sobretudo do mogno, cassiterita, ouro e jaborandi, o impulsionador inicial da economia local.

DELÍRIO
Deputada quer capital do Brasil na Amazônia


Brasília (26 de junho) – Em mais um delírio na ilha da fantasia que é o Congresso Nacional, a deputada deputada capixaba Rose de Freitas, do PMDB, quer o governo despachando na Amazônia, 10 dias por ano. Emenda à Constituição (PEC 259/2008) prevê a transferência da sede do governo federal, uma vez por ano, durante até 10 dias, para uma cidade da Amazônia Legal, com o objetivo de se divulgar o potencial econômico, cultural e turístico, e da diversidade ambiental do Trópico Úmido. “Mais perto da realidade local, é possível assegurar maior agilidade para a implementação de políticas e ações que visem ao desenvolvimento sustentável e à preservação da ampla riqueza da floresta amazônica” – diz a Mangabeira Unger da Câmara. Unger é ministro do futuro da Amazônia.
Rose de FreitaS, que é jornalista, segundo sua página no sítio da Câmara, acredita que a mudança temporária da capital do país para a Amazônia Legal reafirmaria a soberania brasileira sobre o subcontinente.
A PEC será analisada na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e, se for aprovada, será analisada por comissão especial e seguirá para o Plenário, para votação em dois turnos.
Será falta do que fazer na Câmara? Como disse o jornal Diário do Pará, na coluna Repórter Diário, edição de quinta-feira 26: “Brasília é farta em delírio. A alucinação da hora, capaz de fazer JK se remexer no túmulo, é da deputada capixaba Rose Freitas, que quer a transferência temporária da capital do país e da sede do governo federal para a Amazônia. De sua autoria, a proposta de emenda constitucional 258/2008 prevê que se fechem as portas do Palácio do Planalto, dos ministérios e chancelaria para que o presidente e seus ministros possam se mudar, uma vez por ano, durante dez dias, para uma das cidades da Amazônia”.
A soberania da Amazônia, sua real divulgação e o desenvolvimento sustentável das populações do Trópico Úmido não dependem da mudança de Brasília para a Hiléia, mas apenas de reformas profundas no Estado brasileiro, como as reformas política, tributária, federativa, educacional, agrária, previdenciária, administrativa e do Judiciário.
Os problemas da Amazônia são dois, os mesmos do Brasil: corrupção e corrupção.

6/24/2008

José Wilson Malheiros


MENINOS, EU VI

Uma das coisas mais sensacionais desta vida é que a toda hora estamos tendo surpresas, recebendo notícias e amigos que nos fazem feliz nesta curta caminhada na terra, em busca da casa do Pai.
Eu era apenas um jovem de vinte anos e Santarém, na época, era minúscula. Todo mundo sabia de tudo.
Começou a correr a notícia pelas ruas: Eles pegaram um comunista. Estão levando para a cadeia.
Saí de casa ainda em tempo de ver Benedicto Monteiro desfilar em público, algemado, sujo, maltrapilho sob os olhares curiosos das pessoas.
Elas olhavam para ele com um misto de curiosidade e de espanto. Alguns chegaram até a ensaiar uma vaia.
Afinal de contas, naqueles tempos comunistas devoravam criancinhas.
A primeira idéia que me saiu foi a da figura do Barrabás, naqueles antigos filmes da vida de Cristo, em preto e branco.
Quando ele foi trancafiado na velha delegacia de Polícia, na Siqueira Campos com Travessa Dos Mártires, próximo à igreja Matriz, fui visitá-lo umas duas ou três vezes. Aquele cidadão exercia sobre as pessoas um fascínio diferente, semelhante ao que o Che Guevara causava nas pessoas.
Ele tinha estado escondido por alguns meses, com dois fiéis caboclos, no meio da mata até que – como sempre acontece em ocasiões tais – surgiu um dedo duro e o delatou.
Na terceira vez em que lá estive ele me olhou e apenas sorriu.
Bené pertencia e pertence àquela estirpe de sonhadores que movimentam a história. Seu crime, na época, era simplesmente ser patriota, amar sua pátria de maneira diferente daqueles que estavam no poder.
Os anos se passaram e nos encontramos outra vez na Academia Paraense de Letras.
Ao me ver, após a minha posse perguntou:
Tu és mocorongo? Sim, eu sou aquele jovem que um dia foi te ver no cárcere, Bené.
Ele sorriu e sacudiu a cabeça como se relembrasse o episódio ocorrido há mais de trinta anos.
Vejam como é a vida. Tive a honra de sentar por muitos anos exatamente ao lado dele, nas solenidades da Academia.
Surgiu entre nós uma excelente amizade.
Ele não teve tempo de acabar o prefácio de um livro meu, sobre contos amazônicos.
Não faz mal, amigo. Você foi uma das pessoas mais extraordinárias que já conheci.
Segue em paz para a “outra margem”. Ficamos torcendo por ti neste nosso verde vago mundo”.
Até um dia, querendo Deus.

_________________________
jwmnalheiros@hotmail.com

6/23/2008

Presença de Luiz Lima Barreiros


VAL-DE-CANS

É bom que os colegas saibam do significado etmológico do nome da antiga vila de Val-de-Cans, hoje aprazível bairro de Belém, onde fica situado nosso aeroporto internacional, de onde na época da II Grande Guerra Mundial, levantavam vôos as fortalezas voadoras B-17, B-19, B-24 e B-25 para, fazendo escala em Natal, bombardear Dakar, na África, prenunciando o Dia D, na Normandia.
Há cerca de um século, Val-de-Cans, era um pequeno povoado, habitado , em sua maioria, por escravos negros alforriados, e outros anteriormente foragidos, naquele quilombo. Eram muitos negros, já velhos, quase todos de cabelos brancos, como bem lembrou Olavo Guimarães Ferreira, em seu livro homônimo , editado pela já foi grande CEJUP, do amigo Gêngis Freire, em 1989.
Lá pelo ano de 1895, uma comitiva do então governador Lauro Sodré, saiu de Belém, por via fluvial, com destino à Vila de Pinheiro, hoje bairro de Icoaraci (lugar onde o Sol se encontra com a Lua)), em uma gaiola, e teve sua atenção voltada para uma multidão de negros, neste pponto intermediário da viagem, quase todos de cabelos brancos, de pé, assistindo a passagem da comitiva fluvial. E, o governador exclamou: -“Isto é um verdadeiro Val-de-Cans!”.
Isto é , um vale de pessoas de cabelos brancos: do latim canus, que quer dizer cabelos brancos. Ficando assim o povoado batizado de Val-de-Cans.
A confusão do nome para Val-de-Cães, consistiu no fato de que quando o Brasil declarou guerra às potências do Eixo (Alemanha, Itália e Japão), um jornal nazista publicou vários artigos insultuosos ao Brasil, um dos quais dizendo que Cordel Hull já tinha entregue a Oswaldo Aranha ( então ministros das Relações Exteriores dos USA e do Brasil, respectivamente), um talão de cheques em branco, acusando nossas autoridades governamentais (muitas das quais mentalmente minadas pela ideologia fascista, na ditadura Vargas), de corruptas e dizendo que iriam bombardear o “val-de-cães”, para desalojar dali, os cães norte-americanos, dando um sentido pejorativo a Val-de-Cans.
Diz-nos Olavo G. Ferreira : “Muitas pessoas acolheram a forma errada de vale de cachorros, mas os mapas do Detran e os velhos álbuns da Prefeitura Municipal de Belém, ainda conservam a forma correta : VAL-DE-CANS.
Creio que explicado o imbróglio, com pesquisas e citando as fontes, não é verdade ?
Outra confusão que se faz, costumeiramente, é com o nome do Igarapé das Almas, ou das Armas ( a atual Doca de Souza Franco). Somos a favor das duas formas. Pois lá, na época da Cabanagem (1823 / 1840), tanto entraram armas para abastecer os cabanos; como também , em algumas batalhas lá havidas, morreram muitas almas.
A mesma confusão acontece com o nome da ilha de Mosqueiro, o mais aprazível bairro/ilha de Belém. Houve corruptela entre com a língua dos índios tupinambás, que lá residiam e os primeiros brancos e mestiços que lá passaram a residir. Os índios a chamavam ilha do moquero, ou do moquém, pois, nas praias, após abundantes pescas, moqueavam os peixes, que é o modo indígena de conservar os alimentos. No caso, após tirar as vísceras, cozinhavam –nos em buracos de terras, enrolados com folhas. Ora, as vísceras e os próprios peixes não aproveitados, podiam atrair para as praias, enxames de moscas. Daí a confusão...
Gostaria que não se esquecessem de respeitar o nome do bairro da Campina, o segundo da cidade , logo após a fundação de Belém, em 12 de janeiro de 1916. Ele é que vai provocar o chamamento do primeiro bairro de Cidade Velha.
As placas modernosas estão chamando a Campina de Comércio, e as autoridades competentes não tomam as devidas providências.

VER-O-PESO


E, aproveitando o embalo... o Ver-o-Peso é o ponto mais pitoresco da cidade de Belém do Pará, mesmo com um certo e esporádico abandono e persistente insegurança e sujeira.

Ele é uma ampla doca aberta, onde deságua o igarapé do Piri, numa das margens da baía do Guajará, e toda a área que fica nas suas proximidades, com aquela agitação permanente de barcos aportando, e de pessoas no mercado e feiras homônimos. Lá se amontoam canoas, trazendo os peixes, mariscos, frutas, farinhas e ervas do sertão, desde o tempo do colonialismo lusitano, quando também atracavam outras naves estrangeiras.
A Câmara Municipal de Belém recebeu àquela época, em 1688, por decreto do rei de Portugal (no dia de 26 de março),e que concedia a Câmara o poder de tributar, na fiscalização das rendas do ver-o-peso (impostos pagos pelos caboclos, que lá comerciavam, vindos da interlândia). A Câmara de Belém municipalizou este decreto régio, no dia 30.09.1688 . Portanto, em muito breve, estará fazendo 320 anos de atividades. E, espero que festeje o aniversário, de roupa nova, bonito e cheiroso. Só assim poderá continuar sendo poetisado, narrado, fotografado , filmado, pintado, esculpido, teatralizado , musicado, etc...
E, que cada artista (local ou alienígena) dê sua cota de tributos criativos, e de preferência, com peso.
Carpe diem ...


LUIZ LIMA BARREIROS

ALFREDO GARCIA com nova obra


Amigos e Amigas:

Primeiro venho agradecer aos que têm, de alguma forma, apoiado a minha carreira literária, seja adotando os livros em escolas ou mesmo adquirindo-os para leitura prazerosa. Para todos deixo meu MUITO OBRIGADO.
Volto de novo a vocês para deixar uma proposta de parceria a qual é a seguinte:

1 - Em agosto de 2008, espero que na primeira quinzena, lançarei meu livro BARNEY, EU & OUTROS BICHOS (Crônicas & Contos), o qual é constituído de textos sobre animais como o meu cachorro Barney (meu, não: da família Garcia), sobre os urubus do Ver-o-Peso, sobre o pato do Círio, sobre as traças, etc. As crônicas têm o intuito de serem bem-humoradas como a que mando em anexo.

2 - Em decorrência disso estou lançando a campanha AMIGOS DO BARNEY para fazer uma pré-venda do livro com preço diferenciado, inclusão do nome do comprador no livro e entrega em domicílio do exemplar com autógrafo.

3 - A forma é simples: você adquire o livro de forma antecipada por R$ 20 (VINTE REAIS) e me manda seu nome e endereço para que receba em casa o exemplar autografado. Além disso, os que adquirirem os seus exemplares até o dia 10 de julho de 2008 terão seus nomes incluídos na página final do livro com o meu agradecimento sincero pela contribuição a este humilde literato.

4 - O livro sairá pela POPULIVROS, minha insignificante editora que tem publicado os meus títulos e um de Machado de Assis.

5 - Ficou interessado (a)? Então faça o seguinte: deposite hoje mesmo R$ 20 na conta corrente abaixo e mande por e-mail uma cópia escaneada do depósito para o meu controle, certo ? Ah! Não esqueça de mandar o endereço completo com CEP.

NOME: JOAQUIM ALFREDO GUIMARÃES GARCIA
Banco: Banco do Brasil
Agência:4233-1
Conta corrente: 12.956-9

6 - Faça já o seu pedido antecipado pois só posso garantir 50 unidades com este preço e desta forma!!

Abraços,

ALFREDO GARCIA
Escritor e Jornalista
(91) 8827-1993

6/16/2008

COLUNA DO HP



Cadê a Festa de São João?


Estamos na metade de junho de 2008.
Hoje é o dia 16 do mês em curso. Voltando no tempo, durante este período era muita alegria que se via em nossa cidade. Costumávamos percorrer os bairros e encontrar diversos espaços onde eram realizadas as tradicionais festas na roça. Lá se reuniam grupos juninos como bois bumbas, pássaros e cordões de bichos, que agitavam a população, e principalmente a garotada.
O “Boca de Ferro” devidamente instalado no alto de um poste, bradava para os quatro cantos, divulgando a programação, e tocando músicas da época: Forró, xaxado, baião e arrasta pé.
Era muito bacana vermos a exibição das quadrilhas juninas com seus marcadores falando: “ Aí vem chuva, lá vem o pai da noiva, é mentira”. As garotas devidamente trajadas de caipira esbanjavam beleza e sensualidade. Geralmente a “Miss Simpatia” arrancava inúmeros aplausos da platéia.
Hoje, por conseqüências que nós já sabemos, como violência, globalização e a perca de nossas tradições, já não vemos mais estas maravilhas em nossos subúrbios.
Programações oficiais da PMB e do Estado tentam manter viva a manifestação folclórica , organizando concursos em espaços como CENTUR e praça Waldemar Henrique, que apesar de livre para o público, torna-se inacessível para aqueles que residem em locais mais distantes e que têm dificuldades de locomoção.
Mesmo assim louvamos a atitude.
Já perdemos por motivos óbvios o costume de acender fogueiras nas portas da casas: os tempos mudam, os valores também. E Santo Antônio, São João e São Pedro, já não têm sem seus dias, (noites), o calor das belas fogueiras que eram acesas nas festanças e que faziam a alegria da garotada, que se divertia em volta soltando seus foguetinhos, estalinhos e rojões.
Vale recordar sim...

Haja Paz.
Sempre.

6/15/2008

CRÔNICA
Viagem sentimental a Belém e a Manaus, portais da Amazônia


Brasília (14 de junho) – Belém é a capital da Amazônia Oriental e Manaus, a capital da Amazônia Ocidental; as cidades mais cosmopolitas da Hiléia, as metrópoles brasileiras do Trópico Úmido, as mais feéricas e requintadas cidades da mais rica, bela e fantástica província da Terra. Neste passeio sentimental, nosso ponto de partida é Belém, Cidade das Mangueiras, Cidade Morena, Porta da Amazônia.
Santa Maria de Belém do Grão-Pará foi fundada em 12 de janeiro de 1616, pelo capitão-mor Francisco Caldeira Castelo Branco, incumbido pela coroa portuguesa de conquistar e colonizar o Mar Doce, um mundo de águas que tem como maiores tributários, ao norte, o rio Amazonas, que despeja um quinto da água doce do planeta, até 600 mil metros cúbicos de água por segundo, na Amazônia Azul, e, ao sul, a baía do Marajó, alimentada principalmente pelo rio Tocantins. No meio do Mar Doce emerge o arquipélago marítimo-fluvial do Marajó, divina obra de arte da natureza.
O militar português acampou numa península habitada pelos índios tupinambás, à margem direita da foz do rio Guamá, que deságua na baía do Guajará, alimentada, por sua vez, pelos rios Tocantins e Pará. Naquele sítio, Francisco Caldeira Castelo Branco ergueu o Forte do Presépio, marco inicial da cidade, uma jóia arquitetônica colonial.
Do forte, caminhando para leste sobre os paralelepípedos da primeira rua da cidade, chega-se ao Ver-O-Peso, a maior feira da Amazônia, um mundo de peixes, frutas, cheiros, sensações, debruçado para o rio e o horizonte que se abre para o Caribe. Belém é uma cidade portuária e portuguesa, a mais portuguesa da Amazônia, e também caribenha. Cidade peninsular, península que avança no Mar Doce, Belém é o porto de chegada e de partida para dentro da Amazônia, e para todos os lugares do mundo.
Além dos portos, a bela e sensual cidade cabana conta, também, com o Aeroporto Internacional de Val-de-Cans, portão de entrada da Amazônia Oriental, bem como a BR-010, que a liga com a Ilha da Fantasia, Brasília, capital da República, distante 2.120 quilômetros.
Ao entardecer, se estamos na Estação das Docas, navegando no rio da tarde, mergulhamos na mornidão da tarde até emergirmos no azul escuro do anoitecer, lentamente, vendo nascer estrelas. Sentimos o perfume de uma mulher que transita por ali, no seu vestido de seda estampada e seus segredos de mulher bonita.
No fim da tarde, podemos tomar tacacá na banca do Colégio Nossa Senhora de Nazaré, observando as mulheres que trotam no calçadão, e que são as mais belas do mundo, por razões as quais somente quem entende Belém poderá compreender.Belém pode ser contida numa cuia de tacacá, numa tigela de açaí, num suco de taperebá, num sorvete de tapioca, na palavra mano, que é o mesmo que dizer querido, sussurrada por uma belenense. Belém está contida numa rede, numa noite prenhe de jasmim, no Círio de Nossa Senhora de Nazaré, numa prece.
Mas nem tudo são flores, pois Belém é a capital de um Estado corrompido de um país corrupto. A população de Belém foi estimada, em 2007, em 1.408.847 habitantes, e a da Grande Belém, em 2.043.537 habitantes. A maioria dos moradores da Zona Metropolitana de Belém não conta com esgoto. A frota de automóveis da capital paraense é de 140.413 e a de ônibus, de 2.265. A maioria das ruas é esburacada e as calçadas lembram uma cidade bombardeada.
O PIB de Belém, em 2005, era de R$ 11.277.415.000 e o IDH é de 0,806, o melhor do Pará e o 444° do país. Números terríveis num país no qual crianças morrem de fome ou moram nas ruas. A violência explode nas ruas de Belém, indecente como estupro.
Para que aja gentileza, para que Belém navegue no rio da tarde, como um transatlântico, para que seus mistérios exalem perfume, é preciso, então, mergulhar na poesia.
Manaus
Dentre os povos que habitavam o rio Negro, à margem do qual Manaus emergiu da selva, três se destacaram porque fizeram frente à espada do português conquistador: foram os manáos, os barés e os tarumãs. Os manáos bateram-se contra os portugueses valentemente, mas os conquistadores vieram para ficar, e ficaram.
Em 1639, Pedro Teixeira tomou posse do rio Amazonas, em toda a extensão do gigante. Em 24 de outubro de 1669, foi construída a Fortaleza de São José do Rio Negro, para assegurar aqueles domínios à Coroa Portuguesa. Ao redor do forte, surgiu o povoado de São José da Barra do Rio Negro, hoje, Manaus.
No século XVII, os portugueses mataram cerca de 2 milhões de índios, somente na região do rio Negro. Os manáos, liderados por Ajuricaba, resistiram o quanto puderam. Por fim, segundo a lenda, Ajuricaba suicidou-se jogando-se, acorrentado, no rio Negro. Não queria cair, vivo, nas mãos dos guerreiros brancos.
Em 1848, a Vila da Barra é elevada à categoria de cidade, ainda com o nome de Nossa Senhora da Conceição da Barra do Rio Negro, e, em 1850, torna-se a capital da nova Província do Amazonas. Em 1874, chega a Manaus o navio Mallard, iniciando o ciclo de navegação entre Manaus e portos da Europa. A borracha começa a tornar Belém e Manaus as cidades mais ricas do país. Em 1856, Nossa Senhora da Conceição da Barra do Rio Negro adota o nome simplesmente de Manáos.
Em 15 de novembro de 1889, no Rio de Janeiro, morre o Império e é proclamada a República Federativa do Brasil. A Província do Amazonas passa a ser Estado do Amazonas. A borracha é cada vez mais exportada e Manaus recebe levas de nordestinos e brasileiros de outras regiões, portugueses, franceses, ingleses, italianos, espanhóis, gregos e judeus.
Entre 1890 e 1910, fase áurea da borracha, Manaus conta com bondes elétricos, telefonia, eletricidade, água encanada e porto flutuante, que recebe navios dos mais variados calados e diversas bandeiras. Em 1900, com 20 mil habitantes, as vias de Manaus eram urbanizadas, e contava com praças, jardins, fontes, monumentos, o belo Teatro Amazonas, cassinos, hotéis, bancos e palácios. Em 1910 começa o declínio do mercado da borracha amazônica e a lenta agonia econômica de Manaus e de Belém.
Na segunda metade do século XX, a cidade se recuperou, abrigando uma zona franca e parque industrial. Hoje, além do Porto de Manaus, que recebe grandes navios, a cidade conta com o moderno Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e com a BR-174, a Manaus-Boa Vista, que a liga à América Central.
Bela, feérica, rica, Manaus é como Belém, um relicário de pedras preciosas, que se guarda no coração. O frufru de seda numa noite de gala no Teatro Amazonas, os segredos que as cunhantãs guardam na sua beleza estonteante, o anoitecer em Manaus, tudo isso contém a cidade, e só então podemos captá-la plenamente além dos sentidos.
Contudo, como Belém, Manaus é como um tumor, inchado, o carnicão ameaçando a romper a pelica que o impede da explosão. A cidade tem 1.646.602 habitantes, 191.347 automóveis e 4.841 ônibus. O PIB de Manaus, em 2005, era de R$ 27.214.213.000, e seu IDH é de 0,774, primeiro do Amazonas e 1.206° do país. Manaus atraiu a maioria da população do Estado, o maior do Brasil em território, e está espocando nas bordas.
As duas cidades
Chove copiosamente, dias a fio, aguaceiros que desabam como dilúvios, tempestades que escurecem o céu, de dezembro a maio. Em junho, começa a estiagem, que dura até novembro, quando as chuvas voltam com abundância. De madrugada, a temperatura é amena, em torno de 25 graus centígrados, mas no início da tarde chega aos 40 graus centígrados facilmente, à sombra, e a umidade relativa do ar é quase de 100%.
Cada cidade tem seus segredos, e cada cidadão tem seus segredos com a cidade. Se a ama, sabe quando e como procurá-la, sente sua respiração, ausculta seu coração, extrai dela os sabores mais preciosos. Nos shoppings, essas catedrais pós-modernas, tudo o que a urbe pode oferecer está ali, no conforto refrigerado das praças de alimentação, nos cafés, nas livrarias, nos corredores, nos bancos nos átrios.
Nas avenidas, a vida das duas grandes cidades da Hiléia pulsa e se impõe a cada um dos seus habitantes e aos visitantes, muitos dos quais imersos na fantasia do exotismo. E nesse santuário em chamas, as rosas colombianas, as amazônidas, perfumam a vida para sempre.

6/14/2008

Croelhas e Juliana, sejam felizes!



O economista, microempresário e publicitário José Santos Croelhas casa dentro de horas (19 h) com a senhorita Juliana, após quatro anos de namoro. A cerimônia será realizada no átrio da Igreja Batista de Icoaraci, na avenida Lopo de Castro – antiga Travessa Cristovão Colombo.
Resolvi - com ajuda do pastor e deputado Samuel Malafaia -, escrever neste espaço que o noivo mais importante da semana da minha Vila Sorriso vê e colabora, algo relacionado ao casamento e a mulher.
“Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de rubis.Enganosa é a graça, e vaidade, a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa será louvada”. (Provérbios 31:10, 30)
O casamento – como todos sabemos – é algo muito sério!
É instituição de Deus, através do Seu Filho Jesus Cristo.
A gente escolhe e se une a uma pessoa que vai estar do nosso lado em todos os momentos da nossa vida.
Para manter essa união, é preciso amor, paciência, carinho, compreensão, perdão, doação, despojamento, abnegação, fidelidade e por aí vai! Do contrário – será a ruína do casamento, o que vemos acontecer freqüentemente.
O rei e sábio Salomão não deixou de tratar o assunto da escolha da mulher ideal. Essa mulher deveria ser VIRTUOSA, ou seja, ter disposição, ser firme e constante para a prática do bem, e apresentar valores, como a castidade, pureza e um modo austero de vida.
O rubi é uma pedra preciosa de cor avermelhada e símbolo do Direito Moderno. Era muito apreciada pelos antigos em suas decorações e vestes pela sua cor, transparência, brilho e beleza. A pessoa que possuía esta pedra de grande valor – o rubi - era considerada rica – logo, quem encontrar uma mulher virtuosa terá uma riqueza a seu lado.
Salomão também alertou que a avaliação apenas da formosura, da graça e da vaidade, pode ser desastrosa. Bom mesmo é procurar por alguém que reúna todas essas qualidades, seja virtuosa e tema ao Senhor.
Naquela época a mulher era muito calada. A cultura oriental fazia com que o homem sempre tomasse a iniciativa na escolha. Mas sabemos que nos dias de hoje essa atitude vale também para a mulher, que precisa de um companheiro ideal para a sua vida.
Porém, é bom observar um detalhe importante tanto para o homem quanto para a mulher: é perigoso se deixar impressionar apenas pela beleza externa, sem se importar com a beleza interior, o caráter, a fidelidade e o temor a Deus.
A Bíblia Sagrada diz que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria. A mulher e o homem que temem ao Senhor estão à frente dos que não crêem em Deus, e terão melhores capacitações para enfrentarem as dificuldades e os problemas que surgirem na vida a dois

_____________________
Meu caro Croelhas:
Preste atenção nessas observações de Salomão, que encerra o livro de “Provérbios”, louvando as mulheres virtuosas..
Já que você soube escolher bem a sua mulher – ou como dizem os poetas, e você é um deles, a sua alma gêmea - a Juliana, e a fê-la definitimente sua, só me resta dizer ao meu amado irmão e amigo de tantas jornadas, usando a linguagem dos evangélicos: que Deus, o Único e Suficiente Salvador, "o Senhor, te abençoe e te guarde; o Senhor tenha misericórdia de ti; faça resplandecer o Seu rosto sobre ti e te conceda graça; o Senhor volte para ti o Seu rosto e te dê a paz" (Números 6: 24-26}.

A minha mulher Telma Menezes – que me atura há 24 anos, de bons e inesquecíveis momentos - se acidentou logo no início da tarde, o que me impede de abraçá-lo, Croelhas e sua Juliana. pessoalmente, mas o faço agora, publicamente, com muita alegria no coração, para que todos saibam o quanto lhe quero bem.

Felicidades, Juliana e Croelhas.
Para vocês e a sua família.


Aldemyr Feio

MÁFIA NO DETRAN

O petista de carteirinha Francisco Rogério da Silva, diretor do Detran em Altamira, preso pela PF como um dos líderes de quadrilha de fraudadores de carteiras de habilitação, foi indicado para o cargo pelo deputado estadual Aírton Faleiro e pelo federal Zé Geraldo. Ao confirmar a indicação, o líder do governo na AL disse que, caso a acusação se comprove, pedirá a exoneração do afilhado político, apoiará o processo criminal e recomendará ao diretório do PT a abertura de processo na comissão de ética. A agravante é que Aírton Faleiro será candidato a prefeito, o fato veio na bandeja para a atual prefeita Odileida Sampaio (PSDB), que deve usar o triste episódio no horário eleitoral.

VACINAÇÃO

A Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), confirmou para este sábado dia 14 de junho a abertura oficial da 1ª Etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite. As doses da vacina estão disponibilizadas nas Unidades de Saúde desde o último dia 02 de junho. A primeira etapa da campanha encerra dia 27 de julho. A vacina contra a poliomielite faz parte do Calendário Básico de Vacinação, e é aplicada aos 2, 4, 6 e 15 meses de idade. Além disto, é realizada anualmente uma Campanha Nacional de Imunização, na qual são vacinadas crianças com idade de até cinco anos. A doença se adquire através da inalação de gotículas de secreção nasal de pessoas contaminadas que contém o vírus ou via sangüínea, no caso do feto, a partir da mãe grávida. Serão disponibilizadas também doses da vacina contra a Hepatite B para menores de 01 ano, a vacina contra sarampo, caxumba e rubéola para crianças de 01 ano de idade, além de doses de dT para mulheres em idade fértil.

SEGURANÇA

Santarém foi a cidade escolhida pelo vice-governador Odair Corrêa para sediar um Curso de Segurança de Autoridades promovido de 02 a 07 desse mês para 22 profissionais (policiais militares, bombeiros militares, servidores do Estado e da Prefeitura de Santarém) que atuam na proteção pessoal de autoridades governamentais e de seus familiares. O curso mostrou aos participantes as técnicas específicas de segurança pessoal, abordando temas de primeiros socorros, realizado no quartel dos Bombeiros de Santarém, Defesa Pessoal, Cerimonial e Etiqueta Institucional Planejamento de Operações e Táticas de Segurança de Autoridades – esses feitos na Escola Frei Ambrósio – Gerenciamento de Crises, com prática de simulação de atentado a uma autoridade, realizado no quartel do 3º BPM, Tiro Defensivo, com prática no estande de tiro do 8º BEC e Escoltas a Pé e Motorizada, onde os alunos aprenderam essas técnicas andando pelas ruas de Santarém. O curso encerrou no dia 07 no auditório da FIT e teve a presença de várias autoridades, como o próprio vice-governador e a Prefeita Maria do Carmo, e trata-se do primeiro curso de capacitação destinada a esses profissionais, realizado no oeste do Pará. Meu amigo Josué Pinheiro, foi um dos participantes.
ALENQUER

Foi promulgada pelo presidente da Assembléia Legislativa, Deputado Domingos Juvenil, a Lei que dispõe sobre os limites da Colônia Paes de Carvalho no município de Alenquer, de autoria do Deputado Italo Mácola. A Lei foi publicada na edição da última terça feira (10), do Diário Oficial do Estado. A Lei é composta por três artigos que delimitam uma área de cerca de 1.357,06 Km² (um mil trezentos e cinqüenta e sete, virgula zero seis quilômetros quadrados) e fixam seus limites ao Norte, ao Sul, ao Leste e ao Oeste. A promulgação da Lei coincidiu com a data de aniversário da cidade de Alenquer, inúmeras comemorações retratando a alegria e o alivio dos moradores das 64 povoações, foram realizadas com a presença do Deputado Italo Mácola, autor da Lei.

VIOLÊNCIA

Estamos acompanhando nos tele-jornais que a população vive sempre em estresse, principalmente nas grandes capitais, diariamente atos bárbaros são cometidos em situações cotidianas, que poderiam ser resolvidas através do entendimento, evoluem para pancadarias e mortes. Segundo pesquisa nacional do Instituto Latino-Americano das Nações Unidas, 70% dos homicídios são causados por motivos fúteis. Aqui em Santarém o índice de mortes está deixando preocupados os órgãos de segurança e a sociedade. Na Câmara Municipal, na última terça-feira (10), o vereador Erasmo Maia (DEM), relatou um homicídio que aconteceu no último final de semana quando duas pessoas morreram esfaqueadas na região do Planalto. O parlamentar ao ouvir as dificuldades da PM para realizar rondas e que a viatura está quebrada, solicitou que seja feita pelo menos nos finais de semana, quando a violência aumenta.

UNIVERSIDADE

O deputado federal Lira Maia (DEM-PA), defendeu na tribuna da Câmara Federal, na última quarta-feira (11), a criação da Universidade Federal do Oeste do Pará. “A sua aprovação vai promover uma verdadeira revolução na educação básica, ampliando as oportunidades para os jovens do Oeste do Pará, ajudando a produzir e acumular conhecimento científico e participando definitivamente da construção de uma sociedade mais justa e competitiva, além de formar a base intelectual da nossa região e do futuro Estado do Tapajós”, disse o deputado.

MOTINHAS
________________________________________

Com o ZOOFIT, o Jardim Zoológico de Santarém, devidamente habilitado, com todas as licenças possíveis e com a Fazenda Experimental implantada e funcionando para aulas práticas, a FIT – Faculdades Integradas do Tapajós - oferece o segundo VESTIBULAR para o curso de Medicina Veterinária, o vigésimo curso implantado na FIT. ●●● Com o patrocínio da cerveja Nova Schin, acontece no dia 14 deste mês, o VI Motocross Muriçoca 2008, saída de Santarém dia 13 de junho às 22H00, do Porto Marques Pinto. Contato (093) 9951 0604. Realização Alex & Grecê – Radical Eventos. ●●● Organização Social Pró-Saúde Associação de Assistência Social e Hospitalar responsável pela administração do Hospital Regional Público do Oeste do Pará busca qualificar em grau de excelência todos os serviços oferecidos no HR. O trabalho de gestão da Pró-Saúde iniciou no dia 12 de maio e até hoje já realizou quatro intensos treinamentos especializados para seus funcionários ●●● Meu amigo Amarildo Sena, assumiu o cargo de Assessor de Imprensa e Marketing do Hospital Regional do Oeste do Pará. Um excelente profissional, boa sorte e sucesso. ●●● O vereador Valdir Matias Jr (PV), lamentou profundamente a falta de saneamento no centro da cidade, onde a prefeitura está dando continuidade ao projeto Orla a principal obra da cidade, “não existe manilhas para capacitação das águas, vai ter que quebrar tudo de novo”. ●●● A Câmara dos Deputados aprovou por 288 votos a favor, 124 contra e 4 abstenções, o texto-base do projeto que regulamenta a emenda constitucional 29, que prevê a criação da Contribuição Social para a Saúde (CSS), substituindo a CPMF. Isso é muita sacanagem, quem mandou votar nos homens. ●●● Após o susto com a tromba d'água que se formou na manhã da última terça-feira/10), no rio Tapajós, em Santarém, a população continua receosa com uma nova possível formação do fenômeno. Em caso de chuvas fortes, o conselho é que a população, principalmente os ribeirinhos, busque abrigo seguro no momento das tempestades e devido a alagamentos nas áreas mais baixas, evite locais que possuam pouca ou nenhuma proteção contra as tempestades tropicais. ●●● Várias inaugurações marcaram o aniversário da cidade de Alenquer. O novo prédio dos Correios, a praça na orla da cidade, dentre outras. O novo aeroporto que está em fase de conclusão, receberá o nome de Laércio Moraes, uma homenagem ao falecido coronel da Aeronáutica, que nasceu no município. ●●● Na última quarta-feira/11, o deputado estadual Carlos Martins (PT), tomou posse como Conselheiro no Conselho da Universidade do Estado do Pará (Uepa), como representante da classe política, indicado pela Assembléia Legislativa do Estado, para um mandato de dois anos. ●●● O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, acertaram na última terça-feira/10, os próximos passos para a criação da Reserva Extrativista (Resex) Renascer, no município de Prainha. A convite de Lula, Ana Júlia Carepa viajou de São Paulo para Brasília no avião presidencial, a fim de acertar os detalhes sobre o projeto. ●●● Hoje é sexta-feira/13) todo cuidado é pou, para afastar o mau olhado e o azar, vou curtir a saborosa Loira Gelada (Nova Schin), a formosa Ruiva Destilada, acompanhado, é claro, da exuberante Morena Quente. Um bom final de semana. Fui.

6/11/2008

SHEILA FARO eleita presidente do Sindicato dos Jornalistas do Pará


Foto: David Alves





Pela maioria dos votos válidos, a jornalista Sheila Faro – a foto ao lado do repórter e duas jornalistas - foi eleita ontem, à noite, presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Pará, para um mandato de três anos. Sheila substitui a jornalista Carmem Silva, que dirigiu a entidade mater dos profissionais da imprensa do Pará nesses últimos seis anos.
O anúncio feito pelo presidente da Comissão Apurador jornalista Anselmo Gama, de que Sheila havia ultrapassado o quorum exigido para eleição - em virtude de ter concorrido em chapa única- , fui ruidosamente comemorado pelos jornalistas. A festa começou na sede do Sinjor, na Travessa Barão do Trunfo, bairro do Marco, em Belém, e prosseguiu num bar na Doca Souza Franco até alta madrugada.

As conquistas vão avançar

Emocionada, Sheila Faro – com passagem nas TVs Cultura e Record, assessorias de comunicação da Prefeitura de Belém e na Companhia Docas do Pará/CDP, onde atualmente de encontra. – falou ao Jornal do Feio- “Esse é resultado um trabalho começado há seis anos. Como dissemos em nosso manifesto aos jornalistas, faremos desta eleição para o Sinjor-PA o marco do fortalecimento da nossa categoria. Vamos dar novos passos que reafirmem o compromisso com a Justiça Social, com a defesa dos direitos trabalhistas e com o Jornalismo de qualidade. Com equipe renovada e com a base de sua atuação solidificada, agora é a hora de avançar em todos os setores”. (…) “ Presidir o Sinjor-PA é mais um desafio na minha vida e, tenha certeza, compromisso de cumprir, com dignidade e ética, a responsabilidade de, junto com a categoria, avançar nas conquistas que colecionamos ao longo desses últimos seis anos sob o comando da jornalista Carmen Silva que, com sua determinação, ousadia e integridade, resgatou a credibilidade do sindicato junto a todos os segmentos sociais é será o nosso norte”. (…) “A chapa "Nós, Jornalistas – Avançar nas Conquistas", que concorreu e venceu as eleições do Sinjor-PA, apresenta novas lideranças para lutar por mais dignidade e valorização do trabalhador jornalista. E mantém alguns companheiros que j integram a atual diretoria. Deles vamos continuar aprendendo com a larga experiência sindical e profissional, “
Sheila Faro concluiu: “As vitórias sucessivas do "Nós, Jornalistas, no sindicato do Pará e na Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), atestam de forma inconteste que estamos no caminho certo. Muitas conquistas e a certeza de que o trabalho de todos Nós valeu a pena. E o resultado é isso aí: a categoria respondeu com mais de 80 por cento dos votos valido que confia na gente Muito Obrigados companheiros e vamos começar trabalhar, O novo desafio começa agora. Arrumamos a casa e vamos continuar a tarefa iniciado pela Carmem Silva.”

6/09/2008

José Wilson Malheiros


MERECEMOS MAIS IMPOSTOS?

Estamos às vésperas da recriação de uma CPMF. Tudo porque, segundo o governo, o Congresso votou uma lei orçamentária que aumenta os gastos com a saúde. E pra gastar mais com a saúde precisaria de mais dinheiro.
O que esse pessoal teima em esquecer é que o Brasil tem batido recordes de arrecadação, que há dinheiro de sobra até pra pagar a dívida externa, e até mesmo pra inventar um "fundo soberano" de financiamento pra dar uma ajudinha para investidores estrangeiros, além ato de que já pagamos uma das maiores cargas tributárias do mundo.
Para sermos objetivos, pagamos impostos como um país do primeiro mundo e recebemos serviços do terceiro mundo.
Seríamos ingênuos se disséssemos que o povo deveria fazer uma desobediência civil e deixasse de pagar impostos. Não é por aí. Mas, preste atenção ao redor de você, no noticiário da imprensa etc e observe.
Você tem segurança garantida pelo Estado? Você se sente seguro ao sair de casa para trabalhar, passear, fazer compras etc?
A nossa saúde pública garante um tratamento digno – coitado do pessoal lá embaixo da pirâmide social – sem que precisemos recorrer aos famosos e caros planos de saúde?
Você e seus filhos têm educação garantida pelo Estado, sem precisar passar horas e horas nas filas intermináveis, sem suportar greves e mais greves por causa dos salários humilhantes, tanto a nível federal, estadual ou municipal?
Em grande parte você vê assistência aos desamparados vinda do Estado, sem demagogia?
Pois é. Tudo isso e muito mais, são obrigações do Estado e direitos seus, previstos na Lei Maior do país, a Constituição Federal.
Tudo isso são OBRIGAÇÕES DO ESTADO, garantidas na Constituição.
Todos nós, brasileiros, temos participação no futuro do Brasil, seja de forma voluntária ou omissa. Esse é o nosso karma coletivo, e não adianta apenas pagar seu imposto e achar que já fez tudo o que podia pelo Brasil, quando a maioria das pessoas ao seu redor ainda estão "anestesiadas" com tanta corrupção, e conformadas com o fato de que "tudo aqui é bagunçado mesmo, não adianta reclamar, vou anular meu voto", etc, etc.
Mas, calma lá, pois o mau funcionamento da máquina pública para atender os cidadãos, principalmente os pobres não é só privilégio do Brasil.
Na Inglaterra a pessoa que vai ao hospital recebe o atendimento e os medicamentos de graça, e ainda existe um guichê que lhe dá o dinheiro da passagem de volta pra casa, caso não tenha dinheiro. E lá a carga tributária é menor que a do Brasil. Na França há um doutor que vai de carro até sua casa, em casos de emergência. Quanto ele cobra? Nada. Saúde é um direito do cidadão, e ele JÁ paga isso nos impostos (que são maiores que os do Brasil, mas aqui o serviço até que é parecido, né?). Já os EUA gastam trilhões anualmente com bombas pra jogar no Iraque, mas o cidadão norte-americano não tem direito a um atendimento digno no sistema público de saúde (especialmente se for negro e pobre), tendo que se submeter (assim como nós) à ditadura dos planos privados de saúde. Então não é questão de dinheiro, e sim de VONTADE dos governantes e EDUCAÇÃO do povo em conscientizar-se e reivindicar seus direitos.

_______________________
jwmalheiros@hotmail.com

6/08/2008

Campos Salles, 210


Passei boa parte da minha juventude no interior do casarão 210 da rua Campos Salles. Lá, funcionou o jornal A Província do Pará. Pertenci à redação anarquicamente dirigida por Euclides Chembra Bandeira. Trabalhei com Carlos Gomes, Ribamar Fonseca, Guilherme Augusto, Eloy Lins, Sérgio Noronha, Sérgio Palmquist, Natsuo Hiraoka, Beth Mendes, Ronaldo Brasiliense, Emanuel Squires, Genetulid Santos, Carlos Flexa, Ruth Rendeiro, Sula Maciel, Guilherme Barra, entre muitos outros. Era a Província dos tempos de Roberto Jares Martins e de Milton Trindade. Depois, sai de lá antes do jornal se tornar papel de embrulho nas mãos de Gengis Freire e Miguel Barulho.De quanto em vez passo pela frente do antigo sobrado, hoje carcomido pelo abandono. Na parte superior, nasceram árvores trepadeiras. O reboco está saindo aqui e ali. Nada faz lembrar os meus tempos de redação. A porta fechada já não me permite ver a portaria que nunca proibiu o repórter policial Walter Luis, o Tampa de Bilha, de entrar armado na redação. Por trás da portaria, ficava a imponente escada de madeira que dava acesso à redação, no pavimento superior.
Quando entrei no jornal, no finzinho da década de 70, a redação não tinha ar refrigerado. O pé direito era imenso. As janelas enormes. Numa das paredes, havia um painel de grandes proporções com o tema carnaval pintado com tinta de impressão pelo artista plástico Naval. O piso era de madeira escura e clara. Depois vieram as divisórias de fórmica, o rebaixamento do teto, o ar-refrigerado, o carpete no piso. Sai de lá, antes da chegada dos bárbaros.Hoje, o velho prédio, pedindo por clemência, tenta manter a dignidade em meio ao estridente mercado de quinta categoria que se instalou em volta.
Como dói essa saudade.
_____________
Walter Pinto

Transcrito do site “O Paraense”, por gentileza de Ronaldo Brasiliense

6/06/2008


INTEGRAÇÃO TAPAJÓS/XINGÚ

O vice-governador do Pará, Odair Corrêa, reuniu-se na última segunda-feira/ 02, com a diretoria-executiva da Associação Comercial e Empresarial de Santarém (ACES), para tratar de projetos de desenvolvimento para a região oeste do Pará. Foram discutidos projetos como a ligação rodoviária entre as regiões do Xingu e Tapajós, a pavimentação da Rodovia BR-163, ampliação do porto de Santarém e a construção do novo terminal de passageiros do aeroporto, além de outros assuntos, muitos dois quais tem sido encaminhados por Corrêa junto aos ministérios competentes.. Os dirigentes da ACES disseram ao vice-governador que a entidade vê a interligação rodoviária das regiões do Xingu e Tapajós como estratégica para a região, o que pode ser feita através da conclusão da Rodovia Curuá-Una (PA-370). Esta rodovia está sendo pavimentada pelo governo do Estado até a hidrelétrica de Curuá-Una , sendo necessária a continuação das obras no trecho que termina na cidade de Uruará. Esta ligação permite encurtar a distância entre Santarém e Altamira (as duas maiores cidades da região) em mais de 150 quilômetros.

BOLSA ORIENTAL

O Consulado Geral do Japão está recebendo indicação de professor que atua no Ensino Médio e/ou Fundamental para um programa de estudo no Japão, oferecido pela Fundação Japão, que tem atividades programadas como visitas às escolas e palestras educacionais.Será disponibilizada uma vaga e a viagem ocorrerá durante o período de 23 de outubro a 05 de novembro de 2008. Para concorrer os professores devem ter idade inferior a 50 anos, ter fluência na língua inglesa; ter experiência profissional de mais de cinco anos como professor de ensino médio e/ou fundamental, preferencialmente nas matérias relacionadas à história, geografia, política ou assuntos internacionais. Os interessados devem entrar em contato com à Secretaria Adjunta de Ensino (Saen), até o dia 17 de junho, para preencher o modelo de formulário proposto pelo Consulado, anexando currículo com os seguintes dados: nome completo, contatos como telefone, fax, celular e e-mail; nível de fluência na língua inglesa; e informar se já viajou ao Japão. As propostas recebidas serão encaminhadas ao Consulado. Contato: (091) 3201-5148 e 5099 (falar com Frederico).

SAÚDE E PRESERVAÇÃO

A Unidade de Saúde do Maracanã realiza no período de 16 a 19 de junho de 2008 diversas ações voltadas para a preservação do meio ambiente e promoção da saúde. As atividades fazem parte do Projeto Praia do Maracanã: Ambiente Saudável. Através desse projeto, os servidores da referida Unidade de Saúde pretendem realizar visitas domiciliares orientando para a promoção da saúde, conscientizar quanto à importância da preservação do meio ambiente e o destino adequado do lixo, identificar os riscos causados à saúde com a poluição do meio ambiente e descrever as doenças relacionadas com a poluição dos rios. Inicialmente serão realizadas visitas domiciliares pela Enfermeira e pelos Agentes Comunitários de Saúde da Unidade. Na oportunidade serão distribuídos hipoclorito de sódio e sais para reidratação oral.

UFTA
A Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados aprovou o parecer da Deputada Elcione Barbalho ao Projeto de Lei que cria a Universidade Federal do Oeste do Pará. O Projeto foi aprovado por unanimidade e segue agora para Comissão de Educação onde o relator do projeto será o Deputado Lira Maia. Além da Comissão de Educação, o projeto será analisado também pelas comissões de Finanças e de Constituição e Justiça e, posteriormente, pelo Senado Federal. “Iremos agilizar a votação e a conseqüente aprovação na Comissão de Educação, o que espero, ocorra ainda na primeira quinzena de junho. Posteriormente estaremos acompanhando a tramitação nas comissões seguintes, bem como no Senado Federal visando à aprovação o quanto antes, da instalação da Universidade Federal do Oeste do Pará, resgatando um compromisso histórico que o governo está a dever com a população e principalmente, com a juventude da região Oeste do meu Estado”, concluiu o Deputado Lira Maia.

CPI DA AMAZÔNIA

Em meio às recentes polêmicas de proporções internacionais acerca da questão amazônica, que foram intensificadas com a troca de ministros e culmina com as suspeitas de loteamento irregular na região, a deputada Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) anunciou que já iniciou a busca por adesões junto aos colegas para a instalação da “CPI da Situação Fundiária na Amazônia”. Em favor da CPI, Grazziotin alega que, além de servir para a elaboração de um “minucioso” levantamento sobre a situação das terras amazônicas, o colegiado teria como objetivo a formulação de uma proposta de legislação que trace normas para a questão fundiária. "Sem a solução desse problema crucial, não há como pensar em desenvolvimento sustentável na região. Por isso, o parlamento brasileiro precisa dar sua contribuição para combater um problema determinado que é a ação de estrangeiros comprando terras irregularmente na Amazônia", defende a deputada.
SAIRÉ

A Assembléia Legislativa do Estado do Pará aprovou, no último mês de maio/2008, o projeto de lei que declara como patrimônio cultural e artístico do Estado do Pará a FESTA DO SAIRÉ, realizada anualmente na Vila de Alter-do-Chão, município de Santarém. A iniciativa do projeto de lei partiu dos deputados Alexandre Von e José Megale, ambos do PSDB-PA, e objetiva assegurar a inclusão da Festa do Sairé nos calendários cultural, artístico e turístico do Estado do Pará, bem como a concessão de incentivos e benefícios legais à realização do evento por parte do Governo do Estado do Pará.
Além do resgate histórico-cultural que traduz a importância do evento, realizado ao longo de mais de 300 anos em Alter-do-Chão, o Sairé contribui fortemente na valorização do turismo e na geração de oportunidades à população local, pelo seu caráter social.

SEM DEFINIÇÃO

O vereador Ruy Corrêa (PMDB), reportou-se na Câmara Municipal de Santarém, sobre a reunião que o PMDB realizou com as presenças do presidente do diretório municipal de Santarém deputado Antônio Rocha e do diretório de Belém ex-deputado federal José Priante, além de membros da executiva. Segundo o vereador, foi uma prévia para sentir o pensamento do partido com relação às eleições de outubro. Recebemos propostas de coligação da prefeita Maria do Carmo (PT) e deputado federal Lira Maia (DEM). No entanto, existe a possibilidade do PMDB caminhar com candidato próprio. “O que existe atualmente é o compromisso de apoio à prefeita Maria do Carmo, que termina no dia 31 de dezembro. O PMDB vai caminhar unido na próxima eleição, e até o dia 28, a sociedade santarena vai saber o rumo do partido”, disse o vereador.


MOTINHAS

__________________________________________________________


Nesta sexta-feira/06, vai acontecer a cerimônia de formatura dos alfabetizandos do Programa Brasil Alfabetizado turma 2007. A programação vai acontecer no Comercial Atlético Cearense às 18h00, organizada pela Coordenação do Programa de Educação de Jovens e Adultos da Secretaria Municipal de Educação. ●●● Vereador José Maria Tapajós (PMDB), participou de uma reunião no último domingo/01, na Segunda Igreja Presbiteriana de Santarém, quando na oportunidade em ato solene, entregou a Lei que a tornou de Utilidade Pública para o Município. ●●● Acontece neste sábado/07), de 08h00 às 17h00, no Barão Center Hotel, o 2º Seminário de Marketing Político do Oeste do Pará, com a participação de grandes profissionais da área. Marise Morbach, Francisco Cavalcante, Orly Bezerra, Juvencio Arruda, juizes Gabriel Veloso e Silvio Maria, dentre outros. ●●● Cantor santareno Ray Brito se apresenta neste sábado/07, no Trapiche. Imperdível. ●●● Este domingo será o dia D para o São Raimundo, tem que ganhar do fraco Pedreira, caso contrário, estará fora do quadrangular. Ainda bem que só depende dele, só a vitória interessa. Alô galera, vamos prestigiar. ●●● Pobre legislação eleitoral, a Câmara de Vereadores do município de Pau D' Arco do Piauí empossou na última segunda-feira/2 a vereadora Carmem Lúcia Portela Santos (PSB), que nas eleições de 2004 havia conquistado apenas um voto, o dela. Carmem foi empossada após o Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI) cassar o mandato do vereador Miguel Abreu do Nascimento por infidelidade partidária. Informação repassada por Jota Ninos. ●●● Neste domingo/08), o bloco carnavalesco Mocidade, promove a 2ª Feijoturika, com muita cerveja e pagode. ●●● No mesmo dia acontece o Círio de Santo Antônio no bairro do Laguinho, seguido de almoço ao som do grupo Chamego. ●●● Uma notícia no mínimo saborosa, encerrou no último sábado/30.05), a portaria do defeso do Pirarucu. A proibição do pescado começou no dia 1º de dezembro do ano passado. ●●● Atenção motoqueiros, entrou em vigor no último dia 01.06, as novas regras dos capacetes de motociclistas que obrigatoriamente devem conter adesivos, cabe multa e 5 pontos na CNH. ●●● Prefeito de Belém Duciomar Costa, fenômeno de votos, está tranqüilo com relação a reeleição. ●●● É impressionante o retorno dos Jornais O Impacto e do Feio. Recebemos quase uma centena de e-mails, parabenizando a coluna, pela divulgação do Calendário Eleitoral 2008, na edição passada. ●●● Muita gente cobrando a volta da seresta do Fluminense, com a palavra o grande causídico, Eduardo Fonseca. ●●● Mais um final de semana, como ninguém é de ferro, vamos com a saborosa loira gelada (Nova Schin), a bela ruiva destilada e a boazuda morena quente. Fui.

PMB semeia o equivalente a cinco bosques Rodrigues Alves

Foto: Antônio Silva




Duciomar plantou uma árvore



A Praça da República ganhou ares de domingo, em plena quinta-feira/5, para receber cerca de cinco mil belenenses que participaram das comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente. A programação da Prefeitura de Belém (PMB) reuniu 64 instituições publicas e privadas para fazer uma declaração de amor à “Cidade das Mangueiras”, como é carinhosamente chamada a capital paraense. A programação envolveu ações educativas e culturais e de prestação de serviços, como coleta de material reciclável e vacinação.
Como parte da programação organizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), houve ainda o plantio a muda de número 2000. A ação é simbólica , mas serviu como um incentivo para as gerações futuras. "Belém merece, não à toa, o título de ‘Cidade das Mangueiras’. Semeamos hoje mais um milhão de sementes. Se metade delas brotarem, teremos áreas verdes o equivalentes a cinco bosques Rodrigues Alves", comemora o prefeito de Belém, Duciomar Costa. Ele também fez referência à revoada de 20 mil balões biodegradáveis, que foram soltos da Avenida Duque de Caxias, da Praça da República e do Entroncamento, contendo no total um milhão de sementes. O material usado nesses balões era de látex, que leva apenas três anos para se decompor no meio ambiente, enquanto os tradicionais, fabricados com polietileno, levam 1.200 anos para se decompor.
Os balões levaram um milhão de sementes de várias espécies, e a iniciativa era provocar um verdadeiro “bombardeiro” de espécies como cedro-cinza, acácia pingo-de-ouro, jaqueira, sementes de melancia, além de uma diversidade de verduras e leguminosas. Dentro deles, havia também tiras de papel contendo os contatos da Semma (endereço e telefones), para esclarecer dúvidas relacionadas à ação, para orientar o cidadão quanto à espécie e o plantio. Além de disseminar a necessidade da arborização e preservação do verde, a Semma pretende manter um controle das sementes que serão plantadas e também ter uma noção da distância que esses balões alcançaram. "A intenção é que a revoada chegue às regiões das ilhas de Belém, pois eles foram soltos por volta das oito horas da manhã e devem permanecer por cerca de seis horas no ar, antes de alcançarem o solo", explica a titular da Semma, Sílvia Santos.

____________
Kátia Aguiar

6/04/2008

Presença de Luiz Lima Barreiros


BISTRÔ. QUAL A ORIGEM E O SIGNIFICADO DESTA PALAVRA?


Diz-se que os soldados russos gritavam "bistrô! bistrô!" ao investir contra
os cafés (pequenos restaurantes), após se apossarem de Paris, em 1815. A pala
vra não entra na língua francesa, até 1884. Por isto, outras explicações talvez se
jam mais plausíveis.
Dizem que ela provém de "bistrouille" ou "bistouille", que, no norte da França, refere-se a uma mistura de café e "eau de vie" (aguardente), e ambas as bebidas só se podia encontrar num bistrô. Temos também o verbo "bistrouiller" que se refere à preparação de um sucedâneo de vinho, feito de água, álcool e outros produtos, que podia se passar por vinho, num bistrô de baixa qualidade.
Mas, todos concordam que bistrô é um local despretensioso, para se desfrutar um copo de vinho, comida barata e passar bons momentos com os amigos. Por exemplo, nossa classe média quando vai à Paris, não janta ou almoça (e muito menos se hospeda) em hotéis de cinco estrêlas,não...
Dito isto, recomendamos o livro "Cozinha de Bistrô" (Ediouro,1993,286 págs.), da norte-americana Patrícia Wells, autoridade em culinária do "The New York Times", no "Food & Wine", e no "L'Express". São 200 receitas, inspiradas nos pequenos restaurantes familiares franceses. A tradução é de Sônia Maria e Naumin Aizen. Os bistrôs são cordiais, onde você pode tomar as sopas quentes, como as "bouillabaisse";as saladas simples, os gratinados borbulhantes, e as sobremesas das avós francesas. E, fazem parte da culinária mais famosa do mundo, com mais de 400 tipos de queijos, e mais ainda de vinhos (sem falar nos perfumes). E, prove salmões frescos, gansos e moelas de gansos, gelatinas de focinho de focinho de porco e de boi, scargots e champignons, patés e sautés...

SORRY, ASSESSORIAS

Mereceu elogios o Anteprojeto de Lei do então deputado Mário Cardoso, que criaria o prêmio anual de literatura da Assembléia Legislativa de nosso Estado. Seriam para sete gêneros literários. Prêmio Dalcídio Jurandir, na modaidade romance. "Edyr Proença", na modalidade novela (embora Edyr nunca tenha escrito novelas, sendo apenas nosso melhor cronista esportivo,talvez... melhor chamá-lo de "Haroldo Maranhão"). "Eneida de Moraes", no conto (outro lapso, pois Eneida , foi nossa melhor cronista). "Lucinerges Couto", na modalidade crônica (ora o amigo Lucinerges, já falecido, jamais escreveu crônica, e nem gostava, também, de poesia). "Levy Hall de Moura", para teatro. "Francisco Paulo Mendes", para o gênero ensaio. "Lucindo Costa", na poesia (temos poetas , vivos ou mortos.bem melhores que este letrista, pouco conhecido).
Os vencedores teriam edição de 3000 exemplares, em cada gênero. E, acho que o encalhe seria grande (não bastavam 1000 exemplares ?), e à partir do segundo concurso iam rarear os disputantes. Pois, estaria faltando público leitor e comprador dos livros. Apesar de todas essas lacunas, foi um projeto que infelizmente não vingou.
Assim como no teatro, já temos boas casas de espetáculos (os grupos e o público, nem conhecem tôdas), mas o que está faltando é espectadores pagantes (até quando grátis, as casas estão vazias). Talvez por falta de textos mais consistentes (Shakespeare, Ibsen, Brecht, Tchekov, Gógol, Becket, etc). No anteprojeto, as comissões organizadoras e julgadoras , ficariam com representantes da Associação Paraense de Escritores (A.P.E), Academia Paraense de Letras (APL), UFPA, UEPA,e UNAMA.
_________________

PS: Quando escrevi sobre Malthus, Charles Darwin, Alfred Russell Wallace, Walter Baths, Mendel , entre outros, acabei não citando Chevalier Lamarck (1744/1829). E, este biólogo francês, antecipou-se a Darwin, ao conceber a idéia da evolução orgânica, lançando a teoria de que todos os seres vivos, estão continuamente tentando se aperfeiçoar. Essa era a idéia central da teoria de Lamarck, que, todavia, pouco influenciou Darwin, em sua teoria da evolução das espécies.
E, é bom lembrar que o norte-americano Lewis Morgan, tido como o pai da Antropologia (Teilhard de Chardin,foi um), foi amigo de F. Engels, que escreveu o clássico "A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado" (1844). Pois, o século XIX foi muito criativo.
_________________

E PARABÉNS AO STF, QUE PERMITIU O AVANÇO NAS PESQUISAS COM CÉLULAS-TRONCO !

2009: 150 ANOS DA PUBLICAÇÃO DE "A ORIGEM DAS ESPÉCIES", DO CHARLES DARWIN, QUE FUNDA A CIÊNCIA EVOLUCIONISTA, E ABALA DE VEZ ,COM O MITO CRIACIONISTA !

Belém, 04 de junho de 2008

______________________
LUIZ LIMA BARREIROS

E-mail: clicluizlima@yahoo.com.b
BLOG: http://www.clicluizlima.blogspot.com
QUESTÃO AMAZÔNICA
Cerco das potências estrangeiras à Amazônia começa a se fechar

Manaus, 31 de outubro de 2010. Manchete do jornal A Crítica: “Chefão das Farc está escondido em Manaus”.
Washington, 1 de novembro de 2010. Sala presidencial na Casa Branca. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fala ao telefone:
- Vocês têm minha autorização!
Manaus, 4 de novembro de 2010. Manchete do jornal A Crítica: “Chefão das Farc assassinado em Manaus”.
Roraima, 4 de novembro de 2010. A Organização das Nações Unidas, com apoio dos Estados Unidos, declaram autonomia aos ianomâmis.
Dezembro de 2010. Levantamento das Forças Armadas do Brasil mostram que regiões estratégicas do subcontinente amazônico estão, de fato, em mãos estrangeiras, seja por meio de empresas multinacionais, de ONGs ou pela compra direta de terras. Empresas estrangeiras monopolizam o comércio de água, madeira, princípios ativos, minerais e pedras preciosas da Amazônia.
Brasília, dezembro de 2010. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, eleito para um terceiro mandato, comenta, durante churrasco regado a Havana de Salinas, na Granja do Torto: “Vou criar o Ministério da Amazônia e dar para o Mangabeira Unger”.
São Paulo, janeiro de 2011. A revista Veja dá um furo: o Brasil já detém tecnologia para fabricar, em curto espaço de tempo, a bomba atômica, bem como tecnologia aeroespacial para despachá-la em mísseis intercontinentais.
Manaus, janeiro de 2011. O comandante Militar da Amazônia, fala ao telefone:
- Soltem os bugres!
Como se lê, pelas datas, o texto acima é pura ficção. Exceto por um detalhe. A Amazônia não será tomada pelas armas, pela simples razão de que isso não é necessário. Ela nem será tomada, porque está sendo entregue de bandeja. O governo brasileiro comporta-se como se a Hiléia fosse concessão divina. Dissimulação?
A revista IstoÉ, edição de 28 de maio, traz, em reportagem de capa, o seguinte título: “Como e por que o Brasil deve reagir de imediato à nova pressão da comunidade internacional que quer o controle do pulmão do planeta”.A Amazônia não é o pulmão do planeta. Em 1971, o biólogo alemão Harald Sioli, do Instituto Max Planck, foi entrevistado, na Amazônia, por um repórter de uma agência de notícias americana. Numa das respostas, o cientista afirmou que a floresta continha considerável porcentagem de dióxido de carbono (CO2). Por erro de datilografia, o jornalista suprimiu a letra C e escreveu O2, símbolo da molécula de oxigênio. A partir daí, difundiu-se mundialmente o mito da Amazônia pulmão do planeta, quando o verdadeiro pulmão do planeta é o mar, por meio das algas, que, elas sim, é que produzem oxigênio. De modo que o Clube dos Sete não quer saber de garantir oxigênio para a Humanidade, mas commodities, principalmente água – um quinto da água doce do planeta -, para seus rosados e gordos rebentos.
Em poucas palavras: a Amazônia é, de longe, a região mais rica do planeta, e, de certa forma, assemelha-se à Antarctica...
Na sua matéria, IstoÉ faz inquietante advertência. Diz que a soberania da Hiléia está em xeque. Com efeito, duas matérias recentes da mídia internacional são sintomáticas. No dia 15 de maio, o jornal inglês The Independente publicou: “Uma coisa está clara. Essa parte do Brasil (a Amazônia) é muito importante para ser deixada com os brasileiros”. Dia 18 de maio, o jornal americano The New York Times publicou matéria sob o título “De quem é a Amazônia, afinal?”
A propósito, o ex-vice-presidente americano, o incensado Al Gore, disse: “Ao contrário do que pensam os brasileiros, a Amazônia não é propriedade deles, pertence a todos nós”. O francês Pascal Lamy, ex-comissário de Comércio da União Européia, afirmou: “As florestas tropicais como um todo devem ser submetidas à gestão coletiva, ou seja, à gestão da comunidade internacional”. Frases como essas, ditas por líderes das potências mundiais, dão na canela.
Por que a Amazônia é a região do planeta com maior número de ONGs? O fato é que as potências estrangeiras já demarcaram, na Amazônia, principalmente províncias de nióbio e urânio; 96% das reservas mundiais de nióbio, metal utilizado especialmente na indústria aeroespacial, estão na Amazônia. Quanto ao urânio, dispensa comentário.
Além dessas questões, há o desmatamento, que poderá ser a justificação para uma invasão da Amazônia menos subtil. Nos seus 5 mil anos de história, a Humanidade concentrou-se em retirar do planeta sem repor, e agora faz isso com tecnologia devastadora. Dois terços das florestas do planeta foram varridos, e o terço restante, grande parte dele de florestas tropicais, está sumindo do mapa. No Brasil, a Mata Atlântica foi reduzida a 6%, se tanto, e encontra-se em processo de extinção completa. Na Amazônia, 16% da maior floresta tropical do mundo já foram torados. No ritmo atual, em duas décadas a Hiléia seria uma África.
Utilizei o verbo na forma condicional, pois as potências estrangeiras aproveitarão a oportuna devastação desavergonhada da Hiléia para uma intervenção mais direta. Então o diabo se soltará.
Explorar a floresta não é problema, como o Canadá nos ensina. O problema é que os governos brasileiros, que se sucedem, e agora se perpetuam, não têm competência para administrar o subcontinente amazônico, e esse é o maior estímulo para os colonizadores do mundo - principalmente Estados Unidos, Inglaterra e França.
O fato é que há mais funcionários do Ibama na ilha da fantasia, Brasília, do que na Amazônia; há mais contingente e equipamentos das Forças Armadas na Cidade Maravilhosa, Rio de Janeiro, do que nos 11 mil quilômetros de fronteiras da Amazônia; obter licença do Ibama para manejo florestal custa pelo menos dois partos e propina gorda; o Ibama leiloa madeira ilegal; São Paulo é um dos grandes consumidores de madeira ilegal da Amazônia; quem lucra com as hidrelétricas na Amazônia são revendedores de energia elétrica e multinacionais, além de empreiteiras; os lagos das hidrelétricas dizimam, de uma forma ou de outra, milhares de índios e caboclos – pessoas.
O desenvolvimento da Amazônia terá que começar com o primeiro passo: investimento maciço, sistemático, contínuo, e nunca desestimulado, em Educação e Pesquisa.Contudo, isso é utopia. É lamentável. A Amazônia é apenas um apêndice de um país corrupto; confuso, no mínimo. Se uma improvável revolução fosse deflagrada por instituições que vivificam o sentimento nativista e responsabilidade social, o paredão ficaria encharcado de sangue.