12/30/2007

O repórter em São Paulo (1)


Meu Deus, eu não sabia que o Jornal do Feio e o seu redator eram muito queridos. Contei uma estorinha do que aconteceu na minha vinda aqui para Sampa e rendeu oito comentários; pelo menos até agora.
Pois bem. Logo após a turma resolveu fazer uma senhora festa – paulista adora uma festa – a continuação da festa do dia anterior, com direito à roda de samba e tudo mais, com muitas latinhas de Brahma. A alegria foi até às 22 horas, hora de São Paulo, já que aqui a turma se rege pela Hora de Verão.
No outro dia, bem cedo, o meu irmão Ricardo veio me apanhar para que eu reconhecesse São Paulo já que morei aqui nos meus tempos de juventude. Rodamos todo o centro da Paulicéia; Ricardo foi apanhar a sua esposa, que desenvolve as suas atividades de Psicóloga numa clínica perto; almoçamos num restaurante chic, às proximidades do Anhangabaú; visitamos shopping centers; um longe de lugares - que devido aos anos de ausência haviam sido modificados. Para melhor. Claro. Aqui o povo paulistano zela pela sua linda cidade – depois de muito rodar, retornamos para o belo apartamento do Ricardo,
em Vila Catarina.Jantamos e voltamos para a casa do Alfredo Ramos que é o meu anfitrião.
Sexta feira foi a vez do Mário Luís, aquele que fez festa para me receber. Estreando um “Fox” Trend Prateado, ele mandou a sua esposa Ana Maria junto com o seu sobrinho Noel Almeida me buscarem novamente. Iria passar dois dias com eles como, aliás, está acontecendo,
Nesse período conheci parentes novos e revi outros, há muito tempo distantes de Belém.
Daqui a pouco vamos visitar a minha cunhada Dolores Garanito de Freitas – viúva do meu irmão Almir – na Casa Verde; e, logo em seguida, vamos almoçar com o meu primo Ewaldo Sena da Silva, engenheiro eletrônico e alto funcionário da Gradiente - e há vários anos radicado em Sampa -, no Morumbi.
Amanhã, pela manhã, retorno à casa do Alfredo, em Interlagos,
Mas, isso é assunto para um outro texto.

12/26/2007

O repórter em São Paulo



Oi amigos,
Estou digitando aqui na capital paulista desde a sala de redação do site “Fiel Bicolor”, do meu cunhado Alfredo Ramos, – representante do Jornal do Feio nesses quase três anos de sua existência,
Fazia um tempão que não vinha a São Paulo. Mais ou menos seis anos. A minha última estada nesta terra de Piratininga, muito rápida, foi para participar de um congresso de Jornalistas que o ocorreu em Santos. Eu vim como Delegado do Sindicato dos Jornalistas do Pará.
Este ano, o Alfredo – que aparece na foto que ilustra este texto – sempre me convidava para vir a Sampa. Eu morei aqui na minha juventude. A primeira anotação na minha Carteira Profissional ocorreu aqui em São Paulo. Foi feita pela Varig S.A – Rede Aérea Nacional.
Disse-lhe que nas férias faria isso. E não deu olha coisa.
Pintou o descanso regulamentar; após resolver algumas pendências, e com a ajuda da minha cunhada Gessy Menezes Muniz – vocês pensam que jornalista em Belém ganha bem, eh? Pois, sim – peguei um Airbus da TAM às 15 h e me mandei para cá.
Viagem excelente. Comissárias melhores ainda. Meus Deus. Mulheres lindas... em todos os detalhes! Três. Uma, gaúcha, de belos olhos azuis; e as outras duas, - uma catarinense e outra carioca, de olhos verdes cor da Amazônia. O atendimento NOTA 10 me fez lembrar aquela música do Dick Farney Aeromoça - que integra o CD duplo que eu roubei... mas vou devolver, da minha sogra Terezinha Sales – que diz... elas fazem tudo e ainda perguntam se estamos satisfeitos... e mesmo que este carinho não faça da parte da passagem...
Tive sorte. A viagem terminaria às 21h30m; todavia, em Brasília – que faz parte da conexão – dois horários para São Paulo foram cancelados e, mais uma vez, o atendimento superior da TAM reuniu a turma e propôs que viajássemos para Sampa mais cedo. Todo mundo topou e uma hora e 15 minutos após, pousávamos no Aeroporto Internacional de Congonhas, perto, bem pertinho do meu primeiro emprego.
Alfredo e o meu sobrinho Sílvio Ramos – que faz licenciatura plena em Matemática na USP – foram me buscar. O carrão partiu velozmente pela avenida Rua 23 de Maio, avenida Interlagos e outras vias que não me lembro até aqui na sua bela residência no Jardim Guanhenbu, perto do autódromo de Interlagos.
Foi uma festa que continua até agora.
Dentro do espírito natalino, não parei.

Tenho muitos parentes aqui em São Paulo. E já visitei um monte.
Ontem, por exemplo, estive na casa de um irmão, o Mário Luís - por parte de pai - que é agente da Polícia Federal. Ele mora às proximidades do bairro da Lapa.
Ele e a sua esposa Ana – que é baiana, a boa terra - reuniram todo o time, sobrinhos, cunhados, amigos e vizinhos - e me proporcionaram, sem exagero, um verdadeiro banquete.
Tinha de tudo. Comidas paraenses, paulistas e baianas.
Tudo isso para dizer ao repórter aqui, o quanto ele é querido e amado.
Fiquei meio sem graça, mas tudo bem.
Agora mesmo adentra na sala mais um irmão, o paulista Ricardo Sérgio Uchoa Rodrigues. Ele – apesar das muitas especialidades que lhe atribuo, é realmente, Engenheiro Mecânico – me deu um “senhor” abraço.
Valeu por quase 12 anos de ausência.
Pois bem, o meu sobrinho Alfredo Jr, também conhecido como Alfredinho, completa hoje 33 anos – Idade de Cristo....e, como eu disse, a festa vai continuar.
Dessa vez, com toda família reunida.
Depois eu conto o resto.

12/23/2007

José Wilson Malheiros


PRIVATIZAÇÃO DE PRISÕES

As prisões brasileiras, como a imprensa noticia a toda hora, estão abarrotadas. A despeito desse fato lastimável, continuam recebendo, dia após dia, uma enorme quantidade de condenados, de presos temporários etc.
A privatização da liberdade que, segundo o entendimento do moderno Direito Penal, tem, é evidente, caráter punitivo, mas não se esgota apenas aí. Visa, também, preparar o ser humano que cumpre sua pena para reingressar no convívio social. Qualquer estudante de Direito, qualquer cidadão bem informado sabe disso. Debates, congressos, seminários e tantos outros eventos do gênero têm enchido a agenda e a preocupação dos estudiosos, dos interessados e, em parte, dos governos.
Entretanto, o que a sociedade lastima é que o cárcere se tornou, há muito tempo neste país, uma verdadeira fábrica de criminosos, de revoltados, que têm na desilusão e no desespero, o pavio pronto a ser acionado para mais uma explosão dessa bomba nos intramuros dos presídios.
Se consegue sair ileso daquele verdadeiro inferno mais escabroso do que o de Dante, o ex-presidiário, ao transpor os portões da sonhada liberdade, encontra diante de si outra situação infernal, não menos pavorosa do que aquele do qual escapou na cela.
Refiro-me aos fantasmas que o vão assombrar aqui fora.
Se desejar trabalhar, encontra uma economia onde o desemprego é um forte componente. Pior ainda se revelar sua condição de egresso do sistema penal.
Não vai encontrar facilmente trabalho, pois, além do desemprego acima mencionado, a sociedade dita civilizada vai tratá-lo com desconfiança, com preconceito e até mesmo com desprezo e com receio da aproximação, tanto faz seja homem ou mulher.
Se for bem intencionado, se estiver realmente recuperado, digamos, moralmente, precisa ter uma dose fortíssima de auto-estima, precisa estar cercado de pessoas (nem sempre os familiares estão preparados para tal) que o apóiem, para que não volte a delinqüir e, num círculo vicioso fique vivendo no entra-e-sai permanente, até que as balas de um inimigo ou da polícia coloque um ponto final nesse arremedo de vida.
Para tentar uma solução para esse problema gravíssimo que o Estado não tem conseguido resolver a contento até o presente, há quem recomende e incentive até mesmo a privatização das prisões.
Seria esta a solução? Dentro da legalidade estrita sabemos que constitucionalmente pertence ao Estado a competência para manter a ordem pública, prender etc, salvo em caso de flagrante (quando cada cidadão pode também prender, como se sabe, mas deve fazê-lo com cautela e apenas se não achar uma autoridade competente nas imediações).
Assim, a chamada execução penal, a não ser que se mude nosso sistema constitucional, não pode ser delegada a particulares.
Além da proibição legal, existem os fortes argumentos daqueles que afirmam que um particular não pode auferir lucratividade, por exemplo, com o trabalho dos presos, com sua guarda etc. Em contrapartida, os defensores da idéia dizem que os particulares podem fazer o mesmo serviço do governo, com grande margem de diminuição de custos. O problema ainda está em evidência e não foi resolvido.
Indústrias, fazendas e outros empreendimentos dentro do presídio deverão, segundo o espírito da lei vigente, ser dirigidos pelo Estado, ainda que, em realidade, atualmente, a curto prazo, não se veja condições de assim acontecer, inclusive por recomendação da própria ONU, em suas Regras Mínimas para Tratamento de Reclusos, item 73.1.
Esse documento é de 1955. Como vemos o assunto referente à privatização das prisões não é novo e é polêmico.
Precisamos de debates, de sugestões, de “solucionáticas”, como dizia aquele antigo jogador de futebol.
A sociedade está, há muito tempo, à espera de uma solução. Vamos deixar o problema para nossos filhos?
_______________________
jwmalheiros@hotmail.com

12/21/2007

NATAL
Aos leitores do Enfoque Amazônico, a liberdade dos pássaros

Brasília – Estou sentado na Estação das Docas. A tarde começa a morrer. Ouço murmúrios – risos distantes, preces, Mozart. Uma potranca passa ao meu lado e deixa um rastro de Chanel 5 e maresia. Os cheiros disparam o mecanismo da memória, abrem a porta do coração, onde há jardins, grandes hotéis, romance, poesia, eternidade, as mulheres que amamos. Uma potranca vem em minha direção. Lembra um arbusto, porque é jovem e seus olhos têm clorofila, pois são duas grandes esmeraldas. Traja-se com um vestido de seda estampada, continuidade de sua pele de ébano. Terá vindo do Suriname?, ou das Antilhas Holandesas? Veio da República Dominicana? Ouço merengue.
Walmir Botelho gosta de Mario Vargas Llosa, que escreveu A Festa do Bode, romance ambientado na ditadura do general Rafael Leónidas Trujillo, da República Dominicana. Almocei com Walmir Botelho. Ele mandou preparar, para me receber, tamuatá no tucupi. À noite, bateremos papo. Não beberei sequer Cerpinha enevoada. Em 2000, mais de três décadas de álcool começaram a corroer minha memória, que desabava ladeira abaixo. Desde então fui reduzindo a dosagem. Hoje, faço apenas duas concessões: champanhe, na companhia da mulher amada, e Cerpinha enevoada quando chego a Belém.

A tarde é como 2007; morre docemente. Pedi ao meu Pai, neste Natal, que proteja as crianças e as flores, para o mundo continuar ouvindo seus risos e a sentir seu perfume; pedi, também, para Ele arrumar a manhã de todas as mulheres. Pedi, ainda, ao meu Pai, que não tem limites na sua riqueza, nem na sua generosidade, que dê um sol a cada um dos meus irmãos e irmãs, e alegria às suas famílias. Para os meus amigos e amigas pedi diamantes e rubis; para mim, uma rosa. E prometi trabalhar com mais concentração e afinco, em 2008, para que os frutos do meu trabalho alimentem os pássaros e sua liberdade.
A tarde morre inexoravelmente; escorre, como um rio de luzes que se afogam no mar da noite, para ressurgir no ventre da cidade e tremeluzindo na baía do Guajará, que se abre como uma boca à minha frente. Continuo sentado à mesa, na companhia da minha memória e de meus fantasmas. Sonho. Belém, à noite, é como as mulheres na beleza do mistério feminino, encantadora.

TV Liberal contrata executivo competente
As Organizações Rômulo Maiorana, maior grupo de comunicação da Amazônia, sediado em Belém, acaba de contratar um dos mais competentes jornalistas e publicitários da região, o macapaense Walter Júnior do Carmo, que, desde o dia 13, é gerente de expansão da TV Liberal, retransmissora da Rede Globo no Pará. Walter Júnior recebeu a missão de instalar 89 emissoras no interior do estado, em um ano, e de coordenar a implementação da TV Digital, além de criar departamentos de operação, comercial e de jornalismo nos município nos quais a TV Liberal ainda não os tem.
Homem de televisão, Walter Júnior é um grande documentarista; seu acervo pessoal creio que seja o mais completo sobre o Pará, com registros da cultura, da geografia e da polícia do belo estado amazônico. Ainda, Walter é autor do melhor blogue de charge – fotográfica e de texto – da Amazônia, Caneta Sem Fronteira (http://www.canetasemfronteira.blogspot.com/).
Walter e eu estreamos na tribo dos jornalistas quando cursávamos o antigo ginasial no Colégio Amapaense; publicamos, juntamente com o poeta José Edson dos Santos (Joy Edson), o jornalzinho A Rosa, que nos rendeu 15 dias de suspensão, e só não fui enquadrado no Decreto-Lei 477, que alijava da escola por quatro anos alunos considerados subversivos, porque meu amigo, já falecido, José Montoril, conseguiu desviar um comunicado do então secretário de Educação do antigo Território Federal do Amapá para o governador-general Ivanhoé Gonçalves Martins. Estávamos nos anos de chumbo.
A Rosa era apenas uma gozação.

EMPREGOS
A nova Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) exigirá a contratação de mais 400 professores e 50 técnicos administrativos. A previsão é que seja criada no segundo semestre de 2008. A criação da Ufopa está prevista no projeto de lei assinado pelo presidente da República. A expectativa é que seja votado pelo Congresso no próximo semestre. Se o projeto for aprovado, uma portaria será assinada pelo Ministério da Educação (MEC), criando a comissão responsável pela elaboração do cronograma de contratações e investimentos. Já estão prontos os estudos técnicos sobre as obras e despesas. Depois de criada, a instituição deverá ser construída em quatro anos, segundo estimativa do reitor da UFPA, Alex Fiúza de Melo. De imediato, porém, funcionará nas instalações onde hoje funcionam os campus da UFPA e da UFRA.

CLÍNICA PEDIÁTRICA

Uma programação especial realizada na última 3ª feira, 18, no Hospital Municipal de Santarém, foi entregue à população santarena a reforma e a ampliação da Clínica Pediátrica do HMS. A obra possibilitou o aumento do número de leitos da Clínica Pediátrica, passando de 22 para 30. Na oportunidade, a Prefeita entregou presentes de Natal às crianças internadas na Clínica Pediátrica. A Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), através do secretário Emmanuel Silva, forneceu kits com produtos de higiene (creme dental, escova, sabonete e toalha) para os internados da pediatria.A festa contou com a presença da Brinquedoteca do Conselho Comunitário do Aeroporto Velho, que realizou brincadeiras e jogos educativos com as crianças internadas na Clínica e na Emergência Pediátricas do Hospital Municipal. Enquanto os pequenos participavam da festa de entrega da reforma e da ampliação da Clínica Pediátrica, integrantes do Conselho Comunitário estiveram em outras dependências do HMS realizando diversas atividades, com Teste de Glicemia, verificação de Pressão Arterial, Corte de Cabelo, Manicure e Educação em Saúde, iniciativa que contou com a participação dos Agentes Comunitários, Enfermeiros e voluntários do Aeroporto Velho.

EMENDAS
O deputado estadual Alexandre Von (PSDB), apresentou 11 (onze) emendas individuais ao Projeto de Lei Orçamentária Anual/2008, destinadas a suprir com recursos orçamentários importantes demandas do interesse da região Oeste do Pará. Das emendas apresentadas, cinco estão relacionadas com a área da segurança pública, destinando recursos para ampliação das atividades do grupamento de cavalaria do 3º BPM, para manutenção das atividades do Corpo de Bombeiros Militar em Santarém e para a implantação de grupamento do Corpo de Bombeiros Militar nos municípios de Alenquer, Óbidos e Juruti. Na área de infra-estrutura rodoviária, Alexandre Von propôs recursos orçamentários de contrapartida estadual para a construção do novo terminal de passageiros do Aeroporto de Santarém, bem como para a construção do Terminal Fluvial Regional de Passageiros e Cargas, além de propor emenda no valor de R$ 2.161.800,00 (dois milhões, cento e sessenta e um mil e oitocentos reais) para a conservação de 10 Km da Rodovia Estadual Everaldo Martins, que liga a cidade de Santarém à Vila de Alter-do-Chão. Para a vila de Mojuí dos Campos, o deputado está direcionando o valor de R$ 250.000,00 (duzentos e cinqüenta mil reais) para a construção da ponte de concreto sobre o Rio Mojuí, na Rodovia Estadual PA-445.

CD CANTO DA VÁRZEA
O governo do Estado do Pará através da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), em parceria com a Prefeitura Municipal de Santarém, lança, nesta sexta-feira (21), o primeiro CD do grupo "Canto de Várzea". O CD será lançado pelo mais recente projeto da Secretaria de Estado de Cultura, o Selo Paranatinga. O selo tem como objetivo divulgar e promover o registro da obra de grupos musicais tradicionais do Estado. O Selo é também uma homenagem ao poeta santareno Ruy "Paranatinga" Barata. O Grupo completou 25 anos de história e por ele já passaram vários músicos, interpretes e compositores santarenos. O Canto de Várzea é formado atualmente pelos músicos Emir Bemerguy Filho, Beto Paixão, Antônio Álvaro, Nicolau Paixão, João Otaviano, Everaldinho Martins Filho, Sebastião Oliveira e Samuel Lima. O estilo adotado pelos oito músicos é tipicamente regional, com canções que falam da Amazônia que vão desde as lendas até as questões ambientais.
O lançamento será com show do grupo no Iate Clube de Santarém, a partir das 22 horas, com entrada franca.
BABAÇU
O deputado federal Domingos Dutra (PT-MA), apresentou na Câmara dos Deputados, Projeto de Lei que disciplina o corte de palmeiras babaçu nos Estados do Maranhão, Piauí, Mato Grosso, Goiás e Pará. Inicialmente a proposta estabelecia que as matas contendo as palmeiras seriam de usufruto comunitário das populações extrativistas que as exploram em regime de economia familiar. Em seu voto na Comissão da Amazônia, o deputado Lira Maia (DEM-PA), ressaltou a importância social e econômica dos babaçuais, porém apresentou alguns dispositivos visando aperfeiçoar a proposta incluindo algumas medidas. 1) Incrementar o processamento do óleo do babaçu nos Estados onde ele é extraído, visando promover a geração de emprego e renda. 2) Estimular a inserção do babaçu na produção das energias renováveis. 3) Fomentar a criação e implantação de reservas extrativistas nas áreas dos babaçuais. 4) Estimular o desenvolvimento de tecnologias sustentáveis que tragam melhores condições de trabalho para as quebradeiras de coco. Outra preocupação do deputado Lira Maia foi a possibilidade do Projeto criar mais uma barreira por parte do poder Público em relação ao crescimento e desenvolvimento agropecuário do estado do Pará.

ABUSO SEXUAL
Após a divulgação do escândalo nacional e internacional em que uma juíza e uma delegada do Estado do Pará, permitiram a permanência de uma adolescente em uma cela com 20 presos no município de Abaetetuba, o fato ainda continua na pauta. Durante a audiência da Comissão de Direitos do Senado, a representante da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Maria Elizabeth Pereira, afirmou que casos de abuso sexual de mulheres presas como aconteceu recentemente no Pará, é comum no Brasil. Segundo ela, nas inspeções feitas pela secretaria, as mulheres contaram que muitas vezes os próprios agentes penitenciários abrem a cela para que os homens "usufruam" das presas. "Há prisões com celas isoladas que poderiam perfeitamente abrigar as mulheres, mas as autoridades diziam que as celas eram destinadas aos homens mais perigosos", contou Maria Elisabeth. Diretora de Programas da Subsecretaria de Articulação Institucional, ela considera que as denúncias feitas pelas presas e que envolvem, inclusive, relatos de abuso sexual por parte dos agentes penitenciários, demonstram o descaso do sistema prisional com a população carcerária feminina. "Não há a menor preocupação com a preservação dessas mulheres", lamenta Maria Elisabeth Pereira.
MOTINHAS
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Atendendo pedidos de centenas de leitores e ouvintes, comunico que entrarei de férias apenas em janeiro, por apenas 15 dias. Vamos continuar juntos, trabalhando até o último dia do ano. ●●● Segundo maior produtor de cerveja do Brasil, o grupo Schincariol conquista cada vez mais espaço, no mercado nacional e regional. A fábrica de Benevides, com capacidade para 150 milhões de litros de cerveja, refrigerante e água, atende aos estados do Pará, Amapá, Amazonas, Roraima e Tocantins. ●●● A Vitória do novo presidente do diretório municipal do PT em Belém, vereador Adalberto Aguiar, da “unidade na luta”, que venceu o candidato da governadora Ana Júlia vereador Marquinho, da “democracia socialista”, fortaleceu o deputado Paulo Rocha. ●●● Agora todos os proprietários de veículos precisam circular com o documento original do Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo (CRLV) e do Certificado de Registro de Veículo (CRV) e não mais com a cópia desses documentos, como antes era permitido. ●●● A governadora Ana Júlia como tem encontro oficial em Montevidéu, decidiu passar o seu aniversário, que acontece dia 23 e o Natal naquela bela cidade, retorna dia 28, até lá, o vice Odair Corrêa assume o Governo do Estado. ●●● Competente jornalista Ronaldo Brasiliense retorna a Belém para ser o correspondente do jornal O Globo. ●●● Presidente Lula chega a Belém nesta sexta-feira/21, vem a convite do prefeito Duciomar Costa para a inauguração da Vila da Barca. ●●● Desejo ao presidente da Câmara Municipal de Santarém, José Maria Tapajós e família, um Feliz Natal, extensivo a todos os vereadores. XX Acontece nesta sexta/21, na boate da Tuna Luso, em Belém, a festa de confraternização do Sindicato dos Jornalistas do Pará. ●●● Desejo ao velho amigo e grande jornalista Aldemyr Feio e família, um Feliz Natal, extensivo aos nossos colegas da imprensa paraense. ●●● Aniversariou na última terça-feira/18, a amiga Flora Pereira Alves. Parabéns com saúde e muitas felicidades. ●●● Grande causídico José Ronaldo Campos, esteve no inicio da semana em Itaituba, defendendo interesses de seus clientes junto ao Fórum da vizinha cidade. ●●● Amigo Tio é nosso leitor e ouvinte. Feliz Natal pra você e toda sua família. ●●● Vamos comemorar o Natal com a gostosa loira gelada (Nova Schin), a formosa ruiva destilada, a exuberante morena quente, um belo peru e um saboroso bacalhau. Fui
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

{MENSAGEM}
“Quando na vida fecha-se uma porta, uma outra se abre” – Com freqüência, ficamos lastimando a porta que se fechou e não vemos a outra que nos foi aberta. Desejo a todos os meus leitores, ouvintes, colegas e amigos um Feliz Natal, que Jesus permaneça sempre com uma porta aberta para todos.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

12/17/2007

José Wilson Malheiros


CONSCIÊNCIA NEGRA

Recentemente tivemos as merecidas celebrações do D0ia da Consciência Negra.
Muitas cidades do país, diversas entidades, o povo puderam, mais uma vez, rememorar a saga de Zumbi dos Palmares um dos maiores, talvez o maior vulto nacional na luta pela libertação dos escravos.
Resgato, agora, para a história, a saga de um personagem praticamente esquecido e que merecia, pelo menos na região do Baixo Amazonas, ser reverenciado.
Refiro-me a Pai Antônio. Escravo na região do Cacoal Grande, na fazenda pertencente ao Dr. Gama Abreu, promoveu uma campanha sistemática para livrar seus irmãos do cativeiro.
Tramava fugas, arranjava remo e canoa, expunha-se ao tronco, aos “anjinhos”, aos baraços simplesmente pelo amor à liberdade.
Com a sua colaboração logística e estratégica surgiram os quilombos do Trombetas, do Curuá e outros mais que em tamanho e importância para a região e para os nossos irmãos negros que ali se refugiavam rivalizava até mesmo com Palmares.
Até hoje ainda existem os remanescentes desses quilombos, sentinelas na luta pela liberdade.
Paulo Rodrigues dos Santos (Tupaiulândia), Vicente Salles (O negro no Pará), Éfrem Galvão (Romanceiro Mocorongo), Nazareno Tourinho (peça Teatral Pai Antônio) nos legaram informações valiosíssimas sobre aqueles heróis.
Atanásio, Belisário, Balduíno, Nego Cirilo, Nego Felix, Maria Felipa, José Sapateiro entre outros são os heróis hoje praticamente esquecidos de nós todos, mas que tiveram importância fundamental na luta de nossos irmãos afro-descendentes pela justa liberdade.
Hoje é fácil ser oposição. Mas já imaginaram que as punições para um escravo rebelde poderiam chegar à castração, à imersão num tacho de azeite fervente, à amputação de membros ou a deformação da formosura se fosse uma bela escrava a despertar ciúmes na sinhá?
Pai Antônio, após um julgamento forjado, um verdadeiro simulacro, uma aberração jurídica, foi condenado á forca.
Esse mártir da liberdade, como disse antes, está totalmente esquecido pela história. Merece ser resgatado e lembrado.
Mas os tempos vão passando e ainda existem neste nosso amado país muitos casos de escravatura. Não mais aqueles que vinham em navios negreiros, mas os irmãos que nascem nos guetos, nas baixadas, morrem na porta dos hospitais públicos, não encontram escola para estudar nem trabalho condigno, mourejam no infernos das prisões etc.

_____________________

12/14/2007


PARÁ DESGOVERNADO
Amazônia, terra de ninguém

Brasília – Mais 11.224 quilômetros quadrados de árvores foram torados na Amazônia, entre julho de 2006 e julho de 2007, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O estado brasileiro é incompetente para pôr um fim a isso; a Amazônia brasileira acabará internacionalizada. Esse movimento, na ONU (Organização das Nações Unidas), já é de conhecimento público.
Aliada à destruição da Amazônia, talvez o fator mais forte a favorecer essa teoria é a capenga democracia brasileira, uma elite nadando em dinheiro e parte da população comendo lixo, ou morrendo de fome; isso, além da corrupção, profundamente infiltrada na sociedade, a mesma que elege quadrilheiros para o Congresso Nacional.
Sabe-se que, sem a Hiléia, aos povos da floresta só restará comer capim, se os fazendeiros permitirem.
É no estado do Pará onde mais se destrói a mata. Quase metade do que se torou em um ano em toda a Amazônia Brasileira - 5.569 quilômetros quadrados - foi no Pará. O secretário de Meio Ambiente do estado, Valmir Ortega, reconheceu que esse percentual é semelhante ao de 2006, 1% mais alto. Argumentou que a floresta do Pará é exuberante e, por isso, mais sujeita ao desmatamento.
Esse pensamento é tão desgraçado quanto o da polícia paraense, que atirou uma menina a dezenas de presos, durante um mês, para que os presos a estuprassem todos os dias, horas e horas, a cada dia. Flagrados, os delegados envolvidos nesse caso absurdo inventaram que a menina era maior de idade e débil mental, pois, na cabeça desses indecentes, não há problema em se jogar uma mulher débil mental para dezenas de bandidos caírem em cima dela como urubu na carniça. Em outras palavras, se o Pará ainda possui muitas florestas, a devastação é normal.
Pasmem, dos 5.569 quilômetros quadrados que foram para o espaço, 97% ocorreram em reservas florestais, de onde, por lei, não se deve quebrar nem arbusto; são reservas biológicas e indígenas.
“Estamos trabalhando em medidas que deverão conter o ritmo da devastação no estado” - disse Valmir Ortega ao jornal O Liberal, referindo-se ao Programa Estadual de Prevenção e Combate ao Desmatamento, proposto pelo governo do Pará para ser executado em parceria com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), pois a maior parte das terras devastadas é da União. Esse papo furado é velho.
Raimunda Monteiro, presidente do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Pará (Ideflor), declarou a O Liberal que “só a partir deste ano o Pará começou a exercer um controle sobre o seu patrimônio florestal”. Que controle?

12/13/2007


AUDIENCIA PÚBLICA

Com as presenças dos deputados estaduais Alexandre Von (PSDB), Arnaldo Jordy (PPS), Antônio Rocha (PMDB), Gabriel Guerreiro(PV), Carlos Martins (PT) e João Salame (PPS), foi realizada no Plenário da Câmara Municipal de Santarém uma AUDIÊNCIA PÚBLICA atendendo requerimento subscrito pelos deputados Alexandre Von e Arnaldo Jordy, aprovado por unanimidade, para debater sobre as denúncias de irregularidades nos assentamentos organizados pelo Incra no Município de Santarém. Na oportunidade várias personalidades locais foram ouvidas como o Superintendente do Incra em Santarém Pedro Aquino, o Coordenador Regional do Ibama Daniel Cohenca, Vereador Henderson Pinto e os deputados presentes na referida audiência, além de várias lideranças. Documentos foram juntados pela comissão parlamentar da ALEPA, para posterior analise e relatório final sobre a questão de assentamentos em nossa região, que foram suspensos até que se apure os citados casos de irregularidades, divulgados pela imprensa local, estadual e nacional.

SÃO RAIMUNDO

Referente ao tópico sobre o São Raimundo, publicado na edição passada, recebemos o seguinte e-mail enviado pelo advogado André Cavalcante.
Prezado ThompsonEm primeiro lugar, como seu leitor assíduo, gostaria de lhe cumprimentar pelo excelente trabalho jornalístico exposto em sua coluna semanal em "O Impacto".Foi justamente a constante leitura de sua coluna que me levou a tomar a presente iniciativa de lhe escrever e esclarecer alguns fatos ali abordados.Por conta disso, gostaria de esclarecer a V. Sa., que mesmo sendo verdade que o Repórter Pedro Paulo chegou a iniciar uma campanha para angariar alimentos, esta iniciativa não prosperou em virtude de uma ação imediata por parte do Diretor Sandecley Monte que, ao saber desse movimento, o desautorizou a falar em nome do Clube. Não que estejamos as mil maravilhas aqui pela Capital, longe disso, mas, essa forma de ação fala mais contra do que a favor do Clube. Não sei se iremos obter sucesso nessa fase ou não, mas, tenha certeza, e repasse isso a nossa grande torcida em Santarém, que o Time não esta abandonado aqui em Belém. Dificuldades existem, porém, no futuro elas valorizaram ainda mais nossas conquistas.Um forte abraço e boas festas de final de ano para você e todos os seus leitores.Atenciosamente André Cavalcante
CONFRATERNIZAÇÃO DA SAÚDE

O Secretário Municipal de Saúde de Santarém, Emmanuel Silva, agradece e parabeniza todos os profissionais da secretaria, que contribuíram de forma positiva para melhorar o atendimento à população e deseja a cada um, Feliz Natal e um Próspero Ano Novo. Aproveita a oportunidade e convida a todos para a grande festa de confraternização da Semsa, que acontece nesta sexta-feira (14), das 10H00 às 15H00, no Comercial Atlético Cearense, que contará com um Grupo de Pagode, paródias e apresentação do Coral da Semsa, além do sorteio de brindes.
HAJA PROCESSOS
Já começaram os trabalhos da "força tarefa" enviada pela Corregedoria de Justiça para análise de mais de 300 processos de réus presos de Santarém. A equipe é comandada pelo defensor público Bruno Braga que veio de Belém para verificar quais processos podem receber pedidos de liberação de presos. A equipe está analisando os processos das 4ª e 6ª varas penais e nos próximos dias apresenta os pedidos.

HOSPITAL REGIONAL

Tudo leva a crer que o nosso Hospital Regional do Oeste do Pará, o único dos quatro hospitais construídos em municípios estratégicos do Estado, que ainda não está funcionando totalmente, esteja prestes a atender os pacientes de nossa região na sua plenitude. A indicação do Dr. Júlio Cezar Imbiriba, para o setor administrativo já é um grande passo. Trata-se de um profissional competente de larga experiência no setor e que deve, em curto espaço de tempo colocar tudo nos devidos eixos e acionar a alavanca que vai proporcionar maior tranqüilidade para toda população da nossa região. Todos nós estamos torcendo para que o Hospital funcione, inclusive, o juiz federal Francisco de Assis Garcês Castro Júnior, da Subseção de Santarém, que determinou junto ao Ministério da Saúde que seja feita uma perícia para saber se a água alí consumida é apropriada para fins hospitalares.

GUERRA É GUERRA
A Secretária Estadual de Administração, Maria Aparecida, disse que mil temporários de diversas secretarias do estado, em vários níveis, terão seus contratos encerrados até o dia 31 de dezembro para dar lugar a servidores concursados. Quem não gostou da notícia foi a Comissão Nacional dos Servidores Temporários, que disse que já foi fechado um acordo entre o Governo do Estado e o Ministério Público do Trabalho, que prorrogou os contratos até julho de 2008. Eis que surge um novo personagem na guerra, desta vez aparece como salvador da pátria o presidente da Assembléia Legislativa do Estado, deputado Domingos Juvenil, dizendo que a Alepa, aprovou um projeto (inconstitucional), que prorroga até 31 de dezembro de 2008, a permanência de mais de 20 mil temporários no Governo do Estado. Entra em cena para participar do embate o deputado estadual Carlos Bordalo, líder do PT na Assembléia Legislativa, dizendo que a Lei complementar aprovada é transitória, não tem objetivo de resolver a situação dos temporários, a Lei determina a realização de concursos públicos para a seleção de servidores efetivos. Como diria o competente repórter Bena Santana – “Guerra é Guerra”.

MOTINHAS
______________________
A governadora Ana Júlia solicitou aos seus secretários que forem pre-candidatos às eleições do ano que vem, entreguem os cargos até o final do ano, para não afetar os projetos que estão em andamento. *** Um gesto bonito. Vários deputados do PT na Assembléia Legislativa, em nome do partido, pediram desculpas ao povo do Pará, no caso da menina de 15 anos que foi violentada em uma cela com vinte presos em Abaetetuba. *** Prefeito de Belém Duciomar Costa, fenômeno de votos, mandou instalar um chafariz e iluminação no sistema viário do Entroncamento. Me disseram que ficou com visual de primeiro mundo. *** Na última quarta-feira/12, o vice-governador Odair Corrêa recebeu o título de “Cidadão de Breves”, cidade onde nasceu o seu pai, Manoel Corrêa. A proposta foi apresentada pela vereadora Orquidéia Nascimento (PSB). *** Minha amiga assistente social Ana Júlia Hamad, após vários anos, foi demitida da direção da Funcap de Santarém pela governadora Ana Júlia. Na sua administração nunca houve rebelião, como aconteceu recentemente, quando foi registrada a morte de um menor. *** Presidente da Câmara Municipal de Santarém, José Maria Tapajós, encerrou na última quarta-feira/12, mais um período legislativo, desejando aos vereadores, funcionários, imprensa e a população santarena, votos de um Feliz Natal e Venturoso Ano Novo. *** Grande causídico José Ronaldo Campos, representou a OAB, na Audiência Pública, que aconteceu no Plenário da Câmara Municipal, sobre denuncias de irregularidades nos assentamentos organizados pelo Incra. *** Mais um protesto nacional contra a postura da juíza e delegada que encarceraram uma adolescente com 20 homens em Abaetetuba. Desta vez foi no Programa Altas Horas, da Rede Globo (Plim-Plim) *** Para relator da CPI do Sistema Carcerário, da Câmara Federal, houve omissão de autoridades no caso da menina presa em cela masculina no Pará. Também há suspeita de falsificação de documentos para camuflar episódio. Muita gente vai ser indiciada. *** Deputado Federal Lira Maia (DEM-PA), deseja a toda população do Oeste do Pará um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo e que Deus com sua infinita bondade cubra com seu manto sagrado todas as famílias, proporcionando um ano de 2008 cheio de esperança e grandes realizações. *** Meu amigo Luiz Carlos Barra recebeu da Câmara Municipal, o título de “Cidadão de Santarém”. Parabéns. Proposição do vereador Henderson Pinto.*** Supermercado Beira Rio (Aquino), abre cinco da manhã e fecha 10 da noite. Av. Tapajós em frente a antiga feira do tablado. ***Após sete anos de trabalho ininterrupto vou tirar alguns dias de férias, com a anuência dos comandantes Padre Edilberto Sena (Rádio Rural), Almeida (Jornal O Impacto) e Suzana Thomaz (Correio Popular e Juruti). Até porque ninguém é de ferro. Volto em Janeiro. *** Vamos aproveitar mais um final de semana acompanhado da gostosa loira gelada (Nova Schin), bela ruiva destilada e a exuberante morena quente. Fui

Miro Teixeira defende a revogação da Lei de Imprensa

A sessão solene em homenagem à Associação Brasileira de Imprensa (ABI), que completa 100 anos em 2008, ganhou mais destaque porque o presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia, decidiu lutar pelo fim da Lei de Imprensa. Segundo ele, a lei, datada da 1967, é "velha e autoritária". O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) é o autor de um anteprojeto que ainda será apresentado à ABI e aos deputados.
Para Miro Teixeira, a Lei de Imprensa "é o último entulho do autoritarismo em vigor, pois todos os demais já foram removidos". Ele lembrou que a lei foi criada durante o regime militar (1964 – 1985) e que até hoje jornalistas são intimidados em nome dela. O deputado acredita que a lei foi criada para inibir profissionais de imprensa que denunciavam o arrocho salarial e a opressão da ditadura.
"Não é preciso sequer lê-la para ficar contra ela. Basta ver quem são seus autores, basta ver a época, o que representa e por que foi motivada", declarou o deputado.
O anteprojeto de Miro Teixeira estabelece a responsabilidade civil de jornalistas e empresas caso violem a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem de pessoas e regula o direito de resposta, dando espaço proporcional ao dano causado.
O presidente da ABI, Maurício Azedo, prefere ler o texto antes de opinar.
Com informações da Agência Câmara, do jornal O Globo e do Portal Comunique-se

Oito mil fiéis acompanham o Círio de Outeiro

Foto: Júlio Palheta
Um público estimado em quase oito mil pessoas acompanhou o Círio de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira do Outeiro, no domingo/2. A romaria saiu às 8h15 da capela de Nossa Senhora de Fátima, no bairro de Itaiteua, e percorreu um trajeto de quase sete quilômetros até a Igreja-Matriz, na rua Manoel Barata, onde foi feita uma pequena exortação e celebrada a missa final pelo Arcebispo Metropolitano de Belém, Dom Orani João Tempesta, culminando com a benção aos fiéis.
Homenagens - Na liturgia e em todo o trajeto da procissão, Dom Orani foi auxiliado pelo padre Jonas Teixeira. titular da Paróquia da Conceição do Outeiro e das ilhas adjacentes. O Círio fez faz várias paradas, para dar aos fiéis a oportunidade de demonstrar seu amor e devoção a Nossa Senhora. Como já é tradição, ruas e residências foram enfeitadas com balões, bandeiras, flores e imagens da padroeira, que também recebeu várias salvas de fogos. Na esquina da Avenida Nossa Senhora da Conceição com a Rua Manoel Barata aconteceu uma das mais belas homenagens à Virgem da Conceição, promovida pela Administração Regional do Outeiro.
O cantor Maurício Amaral, acompanhado pelo tecladista Orlando Passos, interpretou várias canções marianas e arrancou aplausos da multidão. A homenagem foi complementada com um espetáculo pirotécnico. Dom Orani Tempesta fez questão de acompanhar a procissão, à frente do cortejo religioso. Sem demonstrar cansaço, percorreu os sete quilômetros do trajeto sem declinar de nenhuma solicitação dos fiéis. "Isso nos evoca a missão da Igreja e de Maria, Nossa Mãe Santíssima, que levam Jesus Cristo até as pessoas. E o povo, pelo que nós percebemos de uma forma inequívoca, recebe com muita alegria a festa de Nossa Senhora da Conceição das Ilhas", concluiu.
Coladoradores - O Círio de Outeiro, como é mais conhecido, realizado há 54 anos, teve o apoio do empresariado e comerciantes do Distrito e da Administração Regional - tendo a frente Elinaldo Ferreira- , que se encarregou da infra-estrutura, limpeza e pintura da Igreja, ornamentação da berlinda e recuperação das vias constantes do trajeto da procissão. Vários órgãos e entidades também colaboraram com o evento, como o 10º Batalhão Polícia Militar, Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças e Sargentos da Polícia Militar (CFAP), Corpo de Bombeiros Militar, Guarda Municipal de Belém, Cruz Vermelha, Sesma, Defesa Civil Municipal, Belemtur e Escoteiros, além das Guardas de Nossa Senhora da Conceição, de Nossa Senhora de Nazaré e São João Batista e Nossa Senhora de Fátima (Icoaraci).
O Projeto Luz no Círio, que tem o apoio da Prefeitura de Belém, distribuiu mil castiçais, confeccionados por comunidades carentes do Outeiro a partir da reciclagem de garrafas pet.
Também colaboraram: Terraplena, Casa Pena e os Armazens Paraíba.
A festividade prosseguiu até ontem/13, com programação cultural, missas, novenas, arraial e outras atrações.

“Se calarem a voz dos profetas as pedras falarão”

Sobre a matéria “Lula anuncia eletrificação do Marajó” publicada en vários blogs, acompanhada do sucinto comentário “Os furos de Breves”, o senhor José Varella ou “Zé Varela”, como ele caboclamente assina – pensavas que “caboclo” não dava advérbio? -, é oportuno e por isso estamos divulgando na nossa “rede”, que, esperamos, não seja de dormir, pois, acreditemos, se nos calarmos, ou, “Se calarem a voz dos profetas as pedras falarão”. (Sandra Rabelo)

Eis o comentário do senhor Zé Varela: (sic):

“Conterrânea Sandra Pontapedrense,Que saia justa, hen! A gente quer bater palmas e elogiar. mas, como diz o caboco; quem avisa amigo é... A crítica construtiva é melhor que o elogio barato. Não é? Então, vamos levando essa sina de remar contra maré até, um dia, a gente tomar pé na beira do igarapé onde canta a saracura.Brasília é longe. E a gente seria ingrato se não dissesse ao Lula, muito obrigado Presidente, em meter a cara no mato aqui com a gente. Nós Outros estamos no dito cujo, sem cachorro. já faz um par de tempos... Volte sempre Presidente. Que o primeiro que veio foi o General Geisel mas foi direto passando pra Soure no rumo das fazendas e foi embora sem dizer a que veio e adeus meu louro!... É duro ter que dizer a verdade como se a gente cuspisse no prato em que comeu. Mas, o Mestre disse "dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus". Qual o César que fala a verdade verdadeira? Deixa de bandalheira e me diz qual foi a arte que Maquiavel ensinou ao Príncipe?...Importante, mas a Mídia distraída não diz; que a visita presidencial ao esquecidíssimo Marajó com seu famosíssimo potencial ECOTURÍSTICO, CULTURAL, CIENTÍFICO, TECNOLÓGICO etecetera e tal tenha coincidido com a primeira reunião de Governadores (de fato de Governos estaduais / provinciais) do MERCOSUL... Essa combinação de Marajó & Mercosul terá futuro se depois do discurso for pra dentro das universidades e a discussão das empresas e dos cidadãos em cada canto da cidade. Se não, não adianta, não.A viagem sem precedentes do Presidente da gente, merecia outro enfoque... Agora vem essa estória do "Linhão"... Meu Deus, não vem com essa, não!!!... Ainda bem que se falou (envergonhadozinho, pra Mídia café-com-leite não dizer que é CLIENTELISMO (oh, palavrão nas redações da mídia caviar!), a outorga de TÍTULOS DE USO DE TERRAS DE MARINHA PELOS MORADORES RIBEIRINHO, estes nossos irmão servos da gleba, exilados das Sesmarias...Nem uma linhazinha de rodapé pra dizer que o projeto NOSSA VÁRZEA já ganhou prêmio de inovação no serviço público... Só deu linhão, e sabe por que? Pra faer crer que o povão vai ter bico de luz dentro da barraca na beira do igarapé fazendo teré-teré... Não vai dar pé. Por que? É IRRACIONAL... Linhão (a custa de um dinheirão pra molhar a mão de obras terceirizadas) chega e morre na beira, e olhe lá... a luz do outro lado atraindo o êxodo rural pra cidade entupida de gente saindo pelo ladrão. É dessas coisas de gabinete refrigerado com planejamento aloprado-esquizofrênico... O todo que vá para o Diabo!...Mas a culpa cai nas costas de quem? do Presidente e da Governadora num corre-corre maluco, e haja reunião até cansar e o mandato popular acabar!... Então, que venha outro e outra (mas, que não saia da linha, ou melhor do Linhão...)Estamos encurralados pela Mídia peso pesado e os donos do mundo! Há uma censura velada em plena Democracia... imagine se não houvesse internet hoje em dia como seria... Aquele caso da menina L. de Abaetetuba, vc. acha que teria repercussão sem televisão e foto pornô tirada por telefone celular?Não vamos nos enganar de alvo: Lula é refém do sistema herdado e precisa ser resgatado e Ana Júlia foi eleita pelo povo, a gente não pode dar tiro no próprio pé. Mas, dizer amém a tudo SEM GRITAR AI OS MEUS CALOS! Puxa vida, não se pode fazer papel de trouxa. A gente sabe muita estória de Tucuruí... Ainda bem que o Presidente meteu o dedo no buraco fundo da Vale que pra nós das ilhas ainda tem muito pouco valia, mas queira Deus ainda valerá com as bênção do Glorioso São Sebastião seja ele da Boa Vista ou da Cachoeira do Arari... Vísse!...A gente sabe do fundo do coração que Lula lá anda com o pensamento cá e em outras periferias onde a jeripoca mia e criança chora de fome. Não é culpa dele não, é esse tal de sistema global que põe cabresto geral. A nossa Governadora luta como leoa, mas não é fácil não...A gente sabe, a gente coompreende. Mas como dizia o maluco beleza Felipe Patroni, "o povo não é besta"... A gente agradece a gentileza da presença, mas a gente põe lá os pingos nos ii nessa estória de Cobragrande que é o tal linhão do dicussão de Tucuruí em primeiro plano... Pra quem foi o aceno meu mano? Pro caboclo ribeirinho ou pro madereio espertinho que eu não sei donde vem?Não vem, que tem...Vamos manter acesa a esperança sem apagar a lamparina. Só quem não conhece a "ilha" pode imaginar que o linhão de Tucuruí chegando aos quatro cantos... Paciência, chegando na beira do Parauau já é alguma coisa: Serrarias à vista! Mas, o dinheirão do linhão poderia ir primeiro noutra direção. Não é não, dona Conceição?Na barraca do tirador de açaí a eletricidade que vai chegar ainda não e'de Tucuruí. O choque não será do crescimento, mas do peixe elétrico poraqué (lá no Sul chaman de poraquê, não sei por que... Talvez porque nunca tomaram choque do bicho).a verdade verdadeira, mea mana, - diz o caboclo desconfiado - é que o Lula veio cá uma vez e os outros, nem seu Souza... Já é uma força. O que a gente queria era acabar com a MALARIA, melhorar de uma vez esse tal de TRANSPORTE pra cidade; cobertura total de BANDA LARGA em todas as escolas, essa novidade de TELE-MEDICINA e UNIVERSIDADE ABERTA...Ah, tem a desculpa das "consultas públicas"!... Mas, aí já é outra história... E o plano? Encrouo, será?Pra, nós Outros, o importante meu irmão não foi o discurso do linhão não... Se ele chegar no prazo em Portel já é um avanço. pra criar um pólo industrial na terra-firme e aí beneficiar a produção das Ilhas.Vamos manter a chama da esperança, sem apagar a lamparina (o que nos salva é o bolsa família, se não acabar a CPMF)... Te senta, mea mana. De pé, esperar cansa.

Zé Varela”

12/01/2007

Outeiro realiza o 54º Círio de Nossa Senhora da Conceição


Baseado no tema: “Com Maria Imaculada Conceição na Amazônia renovaremos nossa missão”, a comunidade católica do Outeiro realiza neste domingo, 2 de dezembro, mais um Círio de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da ilha de Caratateua. No sábado, 1º, ocorrerá a trasladação quando a imagem da Santa deixará a Igreja-Matriz (Rua Manoel Barata) em direção à capela de Nossa Senhora de Fátima, no bairro do Itaiteua. O Círio, propriamente dito, sairá às 07:00 h, obedecendo o seguinte itinerário: Rua Evandro Bonna, Rua Franklin de Menezes, Praia Grande, Av. Beira-Mar, Travessa São Jorge, Rua Nossa Senhora da Conceição, Rua Manoel Barata até a Igreja principal do Outeiro, num total de quase sete quilômetros (6.300 metros).
O Círio de Outeiro como é mais conhecido, realizado há 54 anos e que reúne algo em torno de 40 mil pessoas, tem o apoio não apenas da população – em sua maior parte, católica praticante – como do comércio, das empresas sediadas no distrito e da Administração Regional que se encarregou da infra-estrutura, da limpeza e pintura da Igreja, das flores que ornamentarão a berlinda, além da recuperação das vias constantes do trajeto da procissão.
A festividade tem início no sábado, 1º de dezembro e prossegue até o dia 10, com o arraial em torno da Igreja da Conceição, com a participação dos diversos segmentos existentes no Outeiro, no patrocínio da Barraca da Santa (noitários), bem como, o desenvolvimento de uma programação sociocultural e outras atrações.
De acordo com o padre Jonas da Silva Teixeira – que dirige pela há dois anos a Paróquia do Outeiro, e presidente da Festividade, o objetivo do Círio de Nossa Senhora da Conceição além de uma expressão de fé e devoção que une o povo de Caratateua em torno da Igreja de Maria, Mãe do Céu, é promover a integração e mobilização de todas as comunidades e segmentos sem distinção de cor e classe social em torno do maior ato religioso de nossas ilhas, propiciando uma releitura de fé e tradição do povo católico da ilha de Caratateua e ilhas adjacentes. Esperamos sinceramente que através da Mãe Imaculada que a festa deste ano, crie em todos nós, laços de profunda comunhão, de amizade, de acolhida, de conversão do coração, de vivência de uma fé autêntica, O mundo hoje precisa de gente que viva a paz e o amor intensamente”, observa.
Origens - O Círio do Outeiro teve origem com um casal de imigrantes portugueses, Joaquim e Maria Cortinhas Marques. Procedente dos Açores resolveram adotar a Ilha dos Barrancos – como era conhecida a atual ilha de Caratateua – como seu novo lar, e trouxeram a devoção a Maria. Como não havia capela, desde o início, o casal promovia em sua casa novenas e ladainhas em louvor â Mãe do Céu, duas vezes por ano. Em maio para Nossa Senhora de Fátima; e em dezembro para a Nossa Senhora da Conceição. Em 1932, com a ajuda da comunidade, o casal construiu uma capela de madeira em honra a Nossa Senhora da Conceição.
Após 21 anos de devoção, em 1953, os filhos de Joaquim e Maria resolveram dar seguimento a devoção. Dessa feita, além das ladainhas, e das novenas, também foi realizada uma procissão que constou de uma caminhada de menos um quilometro, após o que, foi celebrada Missa Votiva, e realizado um pequeno leilão.
Essa prática se prolongou até 1970. Nesse ano chegaram ao Outeiro as religiosas pertencentes à Congregação das Filhas do Coração Imaculado de Maria, conhecidas como “Irmãs Cordimarianas” – responsáveis pelo Colégio Nossa Senhora de Lourdes, de Icoaraci - que apoiadas pelos devotos e moradores deram continuidade às festas em homenagem a Nossa Senhora da Conceição. Com o apoio do então vigário de Icoaraci, Monsenhor José Maria Azevedo – a quem Outeiro estava subordinado - transformaram a pequena procissão no majestoso Círio, no mesmo formato dos dias de hoje “para que Maria se tornasse, cada vez mais, conhecida e amada pelo povo de Deus” .
Em 1977 com a cooperação das Agencias Distritais de Icoaraci e Outeiro, foi construída a atual Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, no mesmo local da antiga capela (Rua Manoel Barata). A partir de 1981, o Círio passou “a rezar e a viver um tema que ajudasse os fiéis a crescer na fé, na consciência do compromisso batismal e no amor a Maria”. Desde 1986 os temas também passaram a ser ligados aos adotados pela Campanha da Fraternidade.
Até o ano de 1995, o Círio do Outeiro saía da Comunidade de Itaiteua. Em 1994, a Igreja do Outeiro foi elevada à condição de Paróquia dedicada a Nossa Senhora da Conceição. Dois anos após, atendendo aos apelos das demais comunidades que foram se formando ao longo dos anos, ficou estabelecido que o Círio deveria sair cada ano de um bairro-comunidade, próximo da Matriz. Assim, no ano seguinte a procissão saiu de Brasília; em 1997, de Água Boa; em 1998, novamente Itaiteua; em 1999, novamente Brasília, dessa feita da Comunidade de São Francisco., etc. No ano passado, o Círio saiu da Capela de São José, em Água Boa. Este ano Itaiteua retorna ao privilégio de acolher o início do Círio de Nossa Senhora da Conceição. TV Nazaré Canal 30 dará ampla cobertura ao Círio de Nossa Senhora da Conceição das Ilhas – o Círio d Outeiro.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

José Wilson Malheiros


Chegou a TV de alta resolução, o HDTV. Mas cuidado! nem tudo é

Todo mundo está indo na onda da TV de alta resolução, a chamada "TV digital"

Meu amigo Alamar Régis me manda esta advertência. Mas, atenção. Nem toda tevê digital é necessariamente de alta resolução, ou seja, o HDTV que está sendo muito falado na mídia. As pessoas estão vinculando esta expressão "TV Digital" exclusivamente com o HDTV. É preciso saber que todo HDTV é tevêdigital mas nem todo aparelho digital é HDTV.
Está todo mundo tendo a impressão de que TV digital é novidade no País, que surge agora, quando na realidade a tv digital já existe há um considerável tempo.
Tenho um amigo que quase cai numa arapuca dessas. Empolgado com as propagandas e as notícias da TV de alta resolução, ele resolveu comprar um novo televisor para a sua casa, de olho no HDTV, com objetivos de ver neste novo televisor a alta qualidade tão anunciada.
De repente apontou um destes televisores de Plasma ou LCD que a gente vê nas lojas e foi logo dizendo: É este aqui!
Calma, a coisa não é bem assim: Nem todo televisor de LCD ou de Plasma, é necessariamente um televisor HDTV.
Entendamos bem esta nova tecnologia.
Para podermos receber um programa verdadeiramente de TV em alta resolução, é necessário que:
1) A emissora de televisão da sua cidade esteja transmitindo programação em HDTV. Para isto ela precisa comprar um novo transmissor, que não é barato, e todos os demais equipamentos em HDTV, como câmeras e um novo parque eletrônico.
2) O seu televisor deve ser HDTV de fábrica, ou seja, já ter sido fabricado com esta qualidade. Já existem vários, embora poucos, equipamentos assim em algumas lojas.
Saibamos todos que apenas algumas emissoras da cidade de São Paulo estão iniciando transmissões em HDTV no Brasil. Somente algumas, como a TV Globo, TV Record, TV Bandeirantes, SBT e Gazeta começam a a transmitir dia 2 de dezembro... as outras ainda não estão. Estes sinais chegarão muito bem nas casas das pessoas residentes na área chamada Grande São Paulo, cidades que são emendadas na capital, como a Região do ABCD, Guarulhos, Osasco, Taboão etc...
Nem o Rio de Janeiro, o grande Rio, onde fica a matriz da Rede Globo, está começando ainda.
Em algumas outras cidades, alguns donos de emissoras de TVs, com uma certa folga financeira, já estão conversando com fabricantes acerca da compra de transmissores de alta resolução, já que existem estes transmissores fabricados aqui no Brasil, como é o caso da LINEAR e da TELAVO. Mas não é a realidade da maioria dos donos de TVs, que vivem se queixando de dificuldades o tempo todo, donde se conclui que na maioria das cidades ainda vai demorar muito. Mas de repente alguém me pergunta: "Mas, Alamar, eu tenho o SKY na minha casa, e estou ouvindo falar na digitalização das TVs por assinatura, isto não quer dizer que terei o HDTV?".
Não. É aí que está a confusão que muita gente tá fazendo. Digitalizar não significa necessariamente ser HDTV. As televisões DTH, como é o caso do SKY, não serão tão cedo HDTV, já que a mudança de sistema é caríssima, mas muito cara mesmo, e elas não têm a menor condição de, creio que dentro dos próximos 5 ou 10 anos, transmitirem em alta resolução. Primeiro porque recentemente, mesmo dentro deste padrão que estão, quase foram à falência, tendo que se juntarem o Direct TV e o SKY, no Brasil, para não fecharem. Eu, particularmente, acho que é pela ganância que sempre acontece em nosso país, onde todo mundo quer cobrar o mais caro possível por todo serviço que oferece. Na Argentina, por exemplo, a TV por assinatura, tanto a cabo quanto DTH, é o maior sucesso e todo mundo pode ter em casa, sem aperto nenhum. E aqui? qual a faixa de população que agüenta pagar de 100 a 150 reais por mês por assinatura de TV?
Segundo porque, já que elas têm muitos canais, certamente eles teriam, também, que produzir os seus programas em HDTV. É claro que a grande maioria destes canais não vai poder fazer isto.
Portanto, tiremos o cavalinho da chuva, que as TVs DTH e cabo tão cedo não serão HDTV.
Mas vamos explicar onde está a grande enganação em nosso país
Conforme está sendo percebido por todos, existe em nosso país aquela estratégica governamental do "agradar pobre a qualquer custo". Observa-se nas declarações dos políticos que a tv de alta resolução vai chegar para todas as pessoas, inclusive para os pobres.
É papo furado! não vai chegar não.
Mas, Alamar, não tem essa tal caixinha aí, que dizem que é só a gente comprar numa lojinha qualquer de eletrônica e ligar em qualquer televisor comum, que ele vira televisor de alta resolução?
Mentira, conversa fiada. Este milagre é impossível de acontecer. Um televisor comum jamais será um televisor de alta resolução.
Este televisor nunca será HDTV; A televisão de alta resolução terá sempre este formato, ou seja, o formato de cinema.
Por mais que você veja numa loja um televisor, destes mais largos, em plasma ou LCD, o chamado formato 16x9, nem todos eles são HDTV, apesar de todos os HDTVs serem neste formato.
Mas, de repente, você entra numa loja e vê uma demonstração de uma tal caixinha, cujo nome é "set-top-box" ligado num televisor, o vendedor diz que aquilo é tv de alta resolução, você termina acreditando porque percebe que aquela imagem é de fato bem melhor que aquela que você e eu temos em nossos televisores em casa, e fica convencido que HDTV é aquilo ali.
Não é não. HDTV é bem melhor do que aquilo.
Uma imagem de um bom DVD, ligado em um televisor de plasma ou LCD novinho, numa loja, mesmo em analógico, fica bem melhor que os nossos televisores de casa.
Mas uma imagem, verdadeiramente de alta resolução, com as suas 1080 linhas, é algo impressionante. Você percebe os olhos azuis de uma pessoa, por exemplo, como se fosse aquela jóia de vidro, bonita, com aquele brilho e tudo. Os fios de cabelos das pessoas são vistos com uma nitidez impressionante, assim como as peles, as texturas dos objetos, as coisas prateadas e douradas, os cromados e tudo isto.
Cuidado! é aí que muita gente está se enganando e comprando gato por lebre.
O set-top-box de fato melhora a imagem de um televisor, mesmo comum, porque recebe uma transmissão mais limpa, sem fantasmas, originalmente saída de câmeras de melhores definições e tem que chegar melhor sim, mas não é ainda o HDTV, repito.
Vou explicar bem como funciona a ligação de imagens de outros equipamentos em seu televisor, partindo do princípio que muita gente já fez ligação do seu vídeo cassete ou do seu DVD para a imagem aparecer na TV:
Quase todos os televisores comuns têm este tipo de entrada, que é chamada de RF. É nela que a gente liga a antena, onde entra imagem e som, juntos, pelo mesmo cabo. Podemos ligar o vídeo cassete no televisor por este tipo de conector.
De todas as conexões, é que apresenta a PIOR QUALIDADE DE IMAGEM.
Esta aqui é chamada de entrada componente, onde são necessários 3 cabos para ligar a imagem. Bem melhor que a S-VHS. É a melhor de todas estas entradas ANALÓGICAS que colocamos aí. Esta é uma entrada utilizada, profissionalmente, pelas emissoras de TV. Mas tudo aí é ANALÓGICO, e não digital.
Esta, sim, é a chamada entrada HDMI, totalmente digital, para trabalhar com a imagem HDTV, a imagem de alta resolução. Se o televisor não tiver este tipo de entrada, ele não é HDTV de fábrica. Vai apenas quebrar o galho, mas não terá a qualidade total da alta resolução.
Agora veja só o que acontece: Se o seu televisor só tem uma entrada RF ou entrada de vídeo composto, conforme eu mostrei acima, que milagre o governo pretende fazer para que a imagem de alta resolução chegue em um televisor comum? Televisores de 14 polegadas, por exemplo, o que tem a esmagadora maioria do povo brasileiro, geralmente não vem nem com entrada S-VHS, quanto mais com entrada digital.
Esta segunda entrada, onde ligamos a imagem é chamada de entrada de vídeo composto. É menos ruim que a entrada RF porque, pelo menos, já não vem junto com o áudio (som) que, por sua vez, é ligado por outro conector.
Esta é a entrada S-VHS, também chamda Y/C, que a imagem fica bem melhor que a ligada pela de cima, que é o vídeo composto.
Então que fique bem entendido: O televisor, para ser de fato HDTV, fabricado como televisor para tv de alta resolução, com as 1080 linhas de imagem, tem que ter esta entrada que é chamada HDMI.
Você tem idéia de quanto custa só um cabo de HDMI destes, em São Paulo? Aproximadamente uns 300 reais. Dá pra encarar?
E o governo ainda está com a conversa de que as caixinhas, que não são HDMI, cheguem ao "POVO", por 80 ou 100 reais. As de mais baixa qualidade estão sendo vendidas na faixa dos 400 reais, as que são mais ou menos, na faixa de 700 a 800 reais, as boas mesmo, ultrapassam de 1.000 reais.
Agora, de que adianta você pegar uma caixinha desta e ligá-la no seu televisor com um cabo de vídeo composto, ou mesmo S-VHS?
Portanto, todo cuidado é pouco na hora de comprar um televisor novo. Não vá na onda do Senhor Noel, porque o que ele quer é vender, vender e vender na época natalina e não está nem um pouco preocupado se você vai se beneficiar ou não com o produto que comprar.
Para encerrar, para atender a muitos amigos que moram na grande São Paulo, que certamente me farão perguntas do tipo, vale ou não a pena comprar a tal caixinha, respondo:
É claro que melhora, sim, a imagem e vale a pena. Você terá uma imagem de tv muito bonita, sem fantasmas, sem interferências e sempre estável em qualquer lugar da grande São Paulo, já que todos os testes de campos já foram feitos. Aconselho, inclusive, aos síndicos de edifícios a comprarem boas antenas de UHF e instalarem nos altos dos seus prédios, coletivamente; elas são baratas demais e não tem porque serem tão miseráveis em quererem aproveitar a velha antena coletiva, VHS, para sintonizarem estes novos canais. O sinal é tão bom que até as velhas coletivas VHS pegam, mas as que são UHFs pegam bem melhor.
Comprar a caixinha é válido, sim, o que ninguém deve é se deixar enganar achando que com ela terão a beleza da tv de alta resolução.
HIDROPIRATARIA
Americanos venderão água da Amazônia

Brasília
– A revista Veja desta semana, edição de quarta-feira/ 28, traz uma pauta inquietante. O boxe “O apelo exótico da selva”, na página 106, vinculado à matéria “A guerra contra a água mineral”, que começa na página 104, afirma que a água mineral Equa é retirada do solo da Amazônia e será distribuída nos EUA a partir de abril de 2008. Segundo o jornalista Paulo Neiva, a Equa “é extraída de uma fonte no coração da Floresta Amazônica brasileira. Sua história começa com o americano Jeff Moat, que trabalhou durante quinze anos em Manaus, onde tinha uma firma de exportação de pescados. Dois anos atrás, de volta ao Brasil, ele teve a idéia de analisar amostras das águas amazônicas”.
Jeff Moat: “As análises feitas em laboratórios americanos da fonte da Equa mostram que essa é a água mineral mais pura do mundo”.

Paulo Neiva: “A Equa chegará ao mercado americano em abril do ano que vem, ao custo de 8 dólares a embalagem de 750 mililitros. O lançamento no Brasil está previsto para maio de 2009”.
Pergunta-se: essa água será engarrafada no Brasil? Como sairá do país para ser vendida nos Estados Unidos? O Brasil está vendendo ou dando essa água? A água é produto da Humanidade ou do país onde é extraída? Água de rios internacionais pertencem a quem? Para construir hidrelétricas no rio Madeira o governo brasileiro não precisaria pedir permissão à Bolívia? Se água é um bem da Humanidade, por que a ONU (Organização das Nações Unidas) não cria um mercado internacional de água, para suprir países do Quarto Mundo, onde a população morre bebendo água suja, quando há? Por que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva está providenciando água para os grandes agricultores na bacia do rio São Francisco, com a transposição do rio, enquanto a população pobre do Nordeste morre à mingua por falta de água potável?
Publiquei, este ano, na minha coluna na Agência Amazônia (http://www.agenciaamazonia.com.br/), um artigo provocativo, “Já é tempo de a Amazônia exportar água”, apenas para advertir para a denúncia do oceanógrafo Frederico Brandini na Amazônia.Org, de que, em 7 de julho de 2004, o jornal Gazeta do Povo, do estado do Paraná, publicou matéria intitulada “Navios roubam água do rio Amazonas”.
Segundo a matéria, após descarregar óleo cru nos portos da Amazônia, petroleiros do Oriente Médio abastecem seus tanques com até 250 milhões de litros de água, cada um, sem pagar uma titica de imposto. Essa água é ouro no Oriente Próximo e na Europa. Assim, a charmosa Perrier pode ser água do Amazonas. Na Arábia Saudita, a dessalinização custa US$ 1,5 por metro cúbico; o tratamento da água do Amazonas sai pela metade disso. Um negócio da China.
A imprensa começou a chamar a isso hidropirataria. Porém a falta de uma denúncia formal impede a Agência Nacional de Águas (ANA), responsável por esse tipo de fiscalização, de atuar no caso. A diretoria da ANA sabe da hidropirataria, mas nenhuma denúncia oficial chega à entidade.
A defesa das águas brasileiras está na Constituição Federal, no Artigo 20, que trata dos bens da União. Em seu Inciso III, a legislação determina que rios e quaisquer correntes de água no território nacional, inclusive o espaço do mar territorial, pertencem à União. Isso é complementado pela Lei 9.433/1997, que trata da Política Nacional de Recursos Hídricos, em seu Artigo I, Inciso II, que estabelece ser a água recurso limitado, dotado de valor econômico, e determina que o poder público seja responsável pela licença para uso dos recursos hídricos, “como derivação ou captação de parcela de água”.
A ingerência estrangeira nos recursos naturais da Amazônia tem aumentado significativamente nos últimos anos. Seja por ação de empresas multinacionais, pesquisadores estrangeiros autônomos ou pelas missões religiosas internacionais. Mesmo com o Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam) ainda não foi possível conter os contrabandos e a interferência externa dentro da região.
O CONTRABANDO - A captação de água seria feita por petroleiros no rio Amazonas. A foz do rio, o maior do mundo, tem 320 quilômetros de extensão, na costa do Amapá, despejando no Oceano Atlântico pelo menos 200 mil metros cúbicos de água por segundo. Na foz, a profundidade média é em torno de 50 metros, o que suporta o trânsito de grandes cargueiros. O contrabando é facilitado pela ausência de fiscalização na área. Um navio petroleiro armazenaria o equivalente a meio dia de água utilizada pela cidade de Manaus, de 1,5 milhão de habitantes. Essa água, apesar de conter uma gama residual imensa e a maior parte de origem mineral, pode ser facilmente tratada. Para empresas engarrafadoras, tanto da Europa como do Oriente Médio, trabalhar com essa água, mesmo no estado bruto, representa uma grande economia. O custo por litro tratado é muito inferior aos processos de dessalinizar águas subterrâneas ou oceânicas, além de livrar-se do pagamento das altas taxas de utilização das águas dos rios europeus.
As águas salinizadas estão presentes no subsolo de vários países do Oriente Médio, como Arábia Saudita, Kuwait e Israel. Eles, praticamente, só dispõem dessa fonte para seus abastecimentos. O procedimento de retirada do sal é feito por osmose reversa, extremamente caro. Na dessalinização são gastos US$ 1,50 por metro cúbico e US$ 0,80 no mesmo volume de água doce tratada.
O avanço sobre as reservas hídricas do maior complexo ambiental do mundo, segundo os especialistas, pode ser o começo de um processo desastroso para a Amazonia. E isso surge num momento crítico, cujos esforços estão concentrados em reduzir a destruição da flora e da fauna.
A Amazônia é considerada a grande reserva do planeta para os próximos mil anos. Pelo menos 12% da água doce de superfície, não congelada, se encontram no território amazônico. Dois terços do planeta são ocupados por oceanos, mares e rios. Porém somente 3% desse volume são de água doce. Um índice baixo, que se torna ainda menor se for excluído o percentual encontrado em estado sólido, como nas geleiras polares e nos cumes das grandes cordilheiras. Água doce em estado líquido representa menos de 1% do total disponível na Terra.
Sob esse aspecto, a Amazônia se transforma em local estratégico. Mas a importância desse reduto natural poderá ser, num futuro próximo, sinônimo de riscos à soberania dos territórios panamazônicos. O que significa dizer que o Brasil seria alvo prioritário numa eventual tentativa de se internacionalizar esses recursos, como já ocorre no caso das patentes de produtos derivados de espécies amazônicas.
Entre 1970 e 1995, a quantidade de água disponível para cada habitante do mundo caiu 37% em todo o mundo; atualmente, cerca de 1,4 bilhão de pessoas não têm acesso a água limpa. Segundo a Water World Vision, somente o rio Amazonas e o Congo podem ser qualificados como limpos.
GUERRA – Doutrina que vem se estabelecendo em círculos de debates internacionais sobre a existência de bens comuns - como água doce e florestas - a serem gerenciados pelas potências internacionais pode ser o embrião de futuras ingerências estrangeiras na Amazônia, avalia o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães. Ele entende que o governo deveria criar o Ministério da Amazônia, com sede em Manaus. “É na medida em que o estado soberano administra os recursos naturais da Região Amazônica que toda e qualquer ameaça se reduz na mesma proporção” – analisa Guimarães.
As Forças Armadas estão à míngua. "Nós consideramos que as nossas forças são apropriadas para a defesa da Amazônia num confronto regional. Com relação a uma ameaça de potência superior, vamos ter que adotar uma tática, uma estratégia que o Exército está treinando muito bem, que se chama estratégia da resistência" – afirmou o almirante-de-esquadra Miguel Ângelo Davena. "Eu creio que seja do conhecimento de todos os brasileiros que as nossas forças estão carentes de reaparelhamento" – advertiu.Relatório de 2004, encomendado pelo Pentágono à Global Bussines Network, empresa especializada em tendências de negócios, baseada na Califórnia, e revelado pela jornalista Memélia Moreira, da Agência Amazônia, considera que as potências estrangeiras, especialmente os Estados Unidos, não descartam captar água da bacia Amazônia, principalmente do rio Amazonas, à bala.