11/28/2007

Presença de Luiz Lima Barreiros

Academias

Se a Academia se desvia desse movimento regenerador, se a Academia não se renova, morra a Academia”
GRAÇA ARANHA (in “O Espírito Moderno” , 1922 )
.

Na enquete literária (com 36 participantes) que realizei para o extinto Suplemento Cultural da Imprensa Oficial do Estado,em 1986, nº47 (março/abril) e nº48 (maio/junho),e na entrevista que concedi para a Revista da A.P.E nº3,de dezembro de 1989,e noutra, em junho,para o extinto Setrentião nº1 (editado por Lucinerges Couto e Ivanilda Góes),emiti minha opinião sobre as academias de letras, ampliando a explanação para também as associações de escritores (inclusas as seccionais da União Brasileira de Escritores – UBEs),dos sindicatos,etc. Sou a favor de todas as organizações culturais,mas em diversos graus.
Acho (como a grande maioria das pessoas de minha geração) que as academias são entidades paradas, conservadoras, e às vezes,muito atreladas ao Estado, sem ao menos definir uma política cultural, e preocupando-se muito com discursos de posses ou homenagens louvaminheiras. Incentivando coquetalarias, pompas e badalações que desservem à literatura, como também lembrei no prefácio que fiz para a novela do Orlando Carneiro, “JUCÁ-Um Escritor Amazônida”(Cejup,1991). Existem, é claro, louváveis exceções,principalmente entre alguns acadêmicos,que tentam agilizá-las e dinamizá-las, deselitizando-as... Exemplos: Jorge Amado, Antonio Houaiss, Barbosa Lima Sobrinho,etc. (O acadêmico e senador José Sarney declarou em 1993,que a maioria de seus pares ,era a favor do impeachment de Collor).
Mas, aqui, até hoje, não vimos nenhum, seminário ou um ciclo de palestras, um fórum de debates para os problemas culturais e literários amazônidas,por exemplo (e, não me refiro a minipalestras para ginasianos),aproveitando uma confortável infra-estrutura,existente desde 1979. Creio ser estas minhas observações elegantes e justas.
Por volta de 1629, alguns burgueses letrados, na França,revezavam-se em reuniões caseiras, para se entreterem com literatura e lerem suas próprias produções,ou nos salões das madames cultas, até que o Cardeal de Richelieu,em 1635, solicitou-lhes que, sob sua proteção, se organizassem numa corporação,e se reunissem com regularidade,e um regimento,e que foi a Academia Francesa (registrada no parlamento,em 1637), a princípio com nove, depois doze, 28 e 40 membros,e que serviu de modelo para o resto do mundo. Nessa época, René Descartes trabalhava solitariamente, longe de badalações, para influenciar gerações. Mais de um século depois, a Academia de Dijon, chegou a premiar Jean-Jacques Rousseau !
Quem o premiou ? Quem era o alcaide de Dublin, na época de Swift, ou o de Stratford-upon-Avon, na época de Shakespeare ? Quem eram os vereadores das cidades-estados na época de Aristófanes, Sócrates, Platão e Aristóteles ? Bom lembrar que desde sua fundação, a Academia Francesa foi palco de brigas, dissenções ou expulsões, por motivos culturais e políticos,hoje risíveis. Acho estranho, o mórbido processo de entrada nessas instituições. Por isto, as academias são entidades que estão sempre em pequenas sístoles e diástoles, nivelando-se pelo peso do tradicional,e aí podem se tornar tumbas. Compreendo-as...
E, como intelectuais participantes, temos a obrigação de analisarmos a nossa realidade ! Poucos sabem que a fundação da Academia Paraense de Letras não foi um mar de rosas. Depois da fundação no dia 3 de maio de 1900, por desavenças,ela só vai tentar se reorganizar em agosto de 1913,e com novos problemas. Somente em 1928 (e já com 40 membros) com a arrancada de Eustáquio de Azevedo (dos raros com obra que ficou), Martinho Pinto, Rocha Moreira, Djard de Mendonça, Luiz Barreiros, Elmano Queiroz e Severino Silva, é que ela vai começar a vingar, sempre atrelada ao poder de plantão. Isso não quer dizer que, atualmente (1994),ela não esteja sendo bem administrada pelo Dr.Hilmo Moreira.

Vamos lembrar alguns fatos históricos/literários incontestáveis

Aqui, uma associação literária de importância para a época foi a Mina Literária , organizada por Eustáquio de Azevedo (Belém, 1867 / 1943),em sua própria casa, situada na confluência, ainda hoje, e que precisa ser tombada,da Trav.Padre Prudêncio com a Rua Silva Santos, a um quarteirão do Largo da Trindade. E, em 1895 (1ºde janeiro) é que se faz uma sessão solene no Teatro da Paz, que precedeu a fundação da Academia Brasileira de Letras (15.12.1896). Depois de extinta, a Mina Literária,em 1899, Álvaro da Costa, Enéas Martins e Arthur Lemos, reunidos no Clube Euterpe, pensaram em fundar uma academia de letras, déia que foi combatida pelos jornais, por Eustáquio. A 24 de janeiro de 1900, o jornalista João Marques de Carvalho (autor do romance naturalista “Hortência” e de “Contos Paraenses”),e outros, tiveram a mesma idéia, e no já citado clube, fizeram uma diretoria provisória, indicando 30 membros para esta academia. Reuniram-se em pontos variados: no Clube Euterpe (na Rua Dr.Moraes), na Escola Prática de Comércio, no Salão Ciel da antiga “A Província do Pará” (onde é o IEP), “onde calhava”, como diziam. E, no dia 3 de maio de 1900, fundaram a Academia Paraense de Letras, no Teatro da Paz, juntamente com o Instituto Histórico e Geográfico do Pará (onde presume-se haver pouquíssimos historiadores ou geógrafos). Pois bem, um belo dia, após três ou quatro sessões,como bem nos narra Eustáquio de Azevedo, no seu livro “Literatura Paraense” (1ª edição,1922; 2ªedição:1943 e 3ªedição,1990: FCPTN/Secult/CVRD: “a academia desaparecera e ninguém dela mais falou”.
Treze anos depois, , em 1º de janeiro de 1913, Martinho Pinto e Rocha Moreira (uma dinâmica dupla,sempre reorganizando), distribuem convites e publicam notícias na imprensa, e fazem nova reunião na sede do “Ateneu Paraense”. Passou a presidi-la o Dr.Luiz Barreiros,e tendo como 1º e 2º séc retários, Martinho Pinto e Manoel Lobato. E foi oferecida a sede da Associação de Imprensa (fundada por Eustáquio, em 1912), para as reuniões acadêmicas, agora, com 40 membros, três dos quais renunciaram suas cadeiras, no início da primeira sessão (Manuel Barata, Eustáquio de Azevedo e Alfredo Souza). Esta segunda fase da APL,também tem vida efêmera. Na revista “A Semana”, de 09.10.1920, Rocha Moreira escreveu sobre o fato:
“A desídia dos acadêmicos matou a Academia, cujo único brilho consistiu na sua sessão de instalação, realizada no recinto da Câmara dos Deputados. Depois, a apatia reinou em torno da agremiação. E, na verdade, nada mais fizeram por ela os 40 acadêmicos”.
Em 1928, quinze anos depois, a 3ª fase: a academia ressurge pelos esforços de Martinho Pinto, Rocha Moreira, auxiliados por Djard de Mendonça, Elmano Queiroz e, então,por Eustáquio de Azevedo, que aceita novamente a cadeira que recusara quinze anos antes !
Em 1931, o silogeu eclipa-se de novo, para reaparecer em janeiro de 1936. Mas, “de agosto de 1937 a agosto de 1940, a nossa academia meteu-se de novo em copas”, no dizer de Eustáquio. Só em dezembro de 1941, re-elege-se (antes, só figuração) nova diretoria, reformando seus estatutos,e aderindo à FALB (Federação das Academias de Letras do Brasil),em nova sessão solene no Teatro da Paz, por ocasião da leitura de um discurso do ditador Vargas à intelectualidade paraense ! Diz-nos Eustáquio de Azevedo, na página 108, de sua “Literatura Paraense”: “A APL é vítima de constantes colapsos, de desfalecimentos periódicos, que não a deixam viver desassombradamente, mas, consta-nos que esse mal ataca também as suas irmãs do norte e do sul do país. É um mal sem cura, infelizmente”.
Após revelar estas manifestações da realidade, digo que as associações de escritores (que se equivalem a sindicatos com a Constituição Brasileira de 1988) são mais descompromissadas com o conservadorismo. Tentam organizar a individualista categoria, lutam pelos direitos autorais, pelos contratos nas edições, pelas amplas liberdades democráticas,etc. São entidades mais arejadas. Aceito-as...
E, desde 1981, talvez antes (em 1977) com, a idéia de cooperativa, estou nesta luta organizacional,e filiei à UBE-SP, dois terços dos paraenses que são sócios. Após fundarmos a seccional paraense , em abril de 1985, da UBE, durante a realização do I Congresso Paraense de Escritores, organizado na sua parte de infra-estrutura pela SECDET, gestão de Acyr Castro (Governo Jáder Barbalho), no Teatro da Paz (2 e 3 de abril mde 1985) quando a categoria lançou publicamente a Carta dos Escritores Paraenses (ver número 7,da Revista da APE, pág.21), quando numa série de cinco artigos, recaptulei mais cinco outros importantes manifestos literários de nosso Estado, e também os publiquei no Diário do Pará,em 1992).
Participei, logo depois,com mais doze colegas, do V Congresso Brasileiro de Escritores, realizado de 17 a 21 de abril, em São Paulo. E, somente em fevereiro de 1986, após um pequeno recesso (no qual se fez poucas reuniões e duas feiras de livros) é que transformamos , de certa forma, e também no Teatro da Paz (após uma ampla reunião na SEMEC,em janeiro quando se instituiu uma comissão para elaborar o antiprojeto estatutário, composta por mim, Ruy Barata, Ronaldo Bandeira, Salomão Laredo e João Carlos Pereira), com 65 escritores presentes, com direito a voz e voto, a UBE-PA, em Associação Paraense de Escritores (A.P.E), na noite de 26.02.1986; registrada legalmente por mim e pelo Agildo Monteiro,em 20.03.1986.
Muitos acham que as associações estaduais descentralizam mais. Mas, esquecem-se do problema pernicioso do bairrismo e do provincianismo. Das quais as seccionais não estão livres, é certo,e muito menos as academias. As associações têm vasto intercâmbio entre si, procurando a vinculação nacional (e, não me preocupo se o centro está em São Paulo – é uma realidade objetiva que faz este eixo cultural – absurdo seria se fosse em Aracaju), atentas ao combate ao caipirismo, ou ao besteirol carioca, ou de qualquer outro lugar, inclusive os daqui da terrinha ! Somente quando aumentar o movimento editorial é que questões mais complexas aflorarão entre os escritores ce os editores, por exemplo. E, uma boa associação deve exigir de seus quadros (de saída, os diretivos) participação mais ativa e constante trabalho intelectual, para estarmos preparados e treinados, com os nossos democráticos debates. Fui filiado ao Sindicato dos Escritores do RJ,desde 1985. Fui eleito três vezes secretário-geral da A.P.E; três vezes, presidente da entidade, a que dei projeção nacional, por vontade dos companheiros, que me viram como bom coordenador, sendo um parlamentarista republicano convicto. Nossa administração fez modernização, desburocratização e mais interiorização da entidade. E, com parcos recursos, levamos o barco !
Creio ter colocado, desta maneira, uma série de questões para um amplo debate cultural. E, expresso-me como cidadão livre e consciente, exercendo sagrado direito, contra os falsos moralismos dos sepulcros caiados da incultura. Lastimando que o jequismo reinante, composto de espertalhões da surdina e bocozinhos, tenha se amuado, e como de praxe, se utilizado de “cortes” nos bastidores... por falta de argumentos: AD PERPETUAM REI MEMORIA

________________
Luiz Lima Barreiros ( 28.11.2007)

11/25/2007

O jovem é o alvo da era em que vivemos


Carla Michelle Matos Gomes (*)

É volúvel ao avanço tecnológico. Prioriza o celular, fone de ouvido, as “raves”, os “ipods”, o “ter” em detrimento do “ser”. Se expõe à violência, às drogas. Ignoram a religião e muitos não tem fé em nada.
Somos uma juventude que está se perdendo. Os motivos são vários, mas sempre há uma saída para os problemas e deve estar na hora de usar toda nossa fé, se quisermos um mundo melhor. Talvez esteja na hora de dar toque maternal à sociedade e intensificar a presença de Jesus em nossas vidas, dar-nos a chance de sermos salvos.
Deus deu a Jesus à Maria; Maria nos deu Jesus, e este nos deu a salvação. Esse é o caminho. Temos Maria como Mãe, portanto, se quisermos teremos toda força ao nosso favor, pois temos a mão, o carinho, o acolhimento e a compreensão maternal. Tudo o que uma juventude precisa. Só basta consciência.
Se Jesus é a chave para o paraíso, Maria pode nos orientar até esta chave. Não podemos ignorar o caminho que Ela nos mostra, porque isto é o mesmo que ignorarmos nossas vidas.
Confiemos em Maria, porque Ela nos orientará e mostrará o caminho que nos conduzirá ao encontro com Jesus Cristo. Enfim, nos mostrará o caminho, a verdade e a vida.
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

■ Redação vencedora do concurso do Círio de Nossa Senhora das Graças - Icoaraci
* Aluna da 8ª série da Escola Estadual Professor Jorge Lopes Raposo

Não existe imprensa independente nem liberdade de imprensa


"Não existe imprensa independente" e a neutralidade informativa "é um disparate". A afirmação feita na última quinta-feira/22, pelo ex-catedrático de Ética Jornalística da Universidade Nacional de Assunção, profissional da comunicação durante mais de duas décadas e atual presidente do Paraguai, Nicanor Duarte, soa meio exagerada, mas não deve ser deprezada ou tratada como um completo disparate.
"Os senhores [os jornalistas] não são livres, não existe a liberdade de imprensa", setenciou o presidente do Paraguai, antes de afirmar que a liberdade de imprensa "no mundo capitalista, na sociedade de mercado, é uma ilusão", porque, segundo sua opinião, "para ser livre, um meio não deveria ter nem financiamento estatal nem do setor privado". Nicanor ainda arrematou que não existem nem liberdade nem independência da imprensa em seu país.
Paraguai Piorado - Se Nicanor estiver certo, pelo menos no que diz respeito ao Paraguai, imagine o que ele não diria se fosse brasileiro. Afinal, no Brasil, dos 81 senadores, 23 deles - quase um terço do total - aparecem como proprietários de empresas do gênero, segundo recente reportagem do jornal O Estado de S.Paulo. Sem falar nos nossos políticos suspeitos de utilizar "laranjas" para controlar veículos de comunicação, inclusive rádios ditas comunitárias.
Se analisarmos as nossas concessões públicas de rádios e TVs, que mais se assemelham às capitanias hereditárias do tempo do Império, podemos acabar concluindo que pelo menos em matéria de imprensa independente e liberdade de imprensa, estamos, com todo o respeito que o país vizinho merece, bem pior que o Paraguai.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Transcrito do portal O Jornalista que está no ar

11/23/2007

FUNDO DO POÇO
Jovem é estuprada sistematicamente em delegacia no Pará


Brasília – L.S.P. foi presa durante 15 dias com 20 homens. Foi estuprada sistematicamente. Essa brutalidade aconteceu numa terra onde há escravidão e tráfico de escravos sexuais, o Pará, na cidade de Abaetetuba, no baixo Tocantins, próximo de Belém. O estado é governado pela petista Ana Júlia Carepa e a secretária de Segurança Pública, Vera Tavares, foi presidente da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SPDDH).
L.S.P., presa por furto, conseguiu fugir, sábado/17. Assistentes do Conselho Tutelar a recolheram na orla da cidade, quando ela se prostituía. Contou que foi humilhada, estuprada e que, para comer, tinha que se submeter sexualmente aos presos.
A secretária de Segurança determinou, terça-feira/20, que as corregedorias da Polícia Civil e do Sistema Penal abram inquérito disciplinar para “apurar, responsabilizar e corrigir de imediato as distorções encontradas”.
O delegado de Abaetetuba, Celso Viana, encarregado das investigações, descobriu que a jovem tem 19 anos e não 15, como informou ao Conselho Tutelar. A certidão de nascimento em poder da Polícia seria falsa, para recebimento da Bolsa Família, programa mata-fome do governo federal. Um tio da jovem, conhecido por Carlinhos, confirmou que L.S.P é dependente de drogas e se prostitui na orla da cidade. Celso Viana reconhece que a delegacia não conta com cela para mulher, situação comum na maioria das unidades policiais do interior do Pará.
“O problema não é da Polícia” – defendeu-se o delegado, que também tem dúvida se a menina teria sido currada. “Embora ela estivesse misturada com os homens, o setor onde ela estava é aberto e permite uma ampla visão de qualquer policial” – argumentou. Disse que a garota jamais se queixou aos policiais. Afirmou ainda que o Ministério Público sabia que a jovem estava presa havia 15 dias e tinha pedido à Justiça para liberá-la. “A polícia estava aguardando a ordem.”
Faço minhas as palavras do jornalista Chico Bruno (http://www.chicobruno.com.br/): “A história da mulher, não interessa se tem 15 ou 20 anos, que esteve presa numa cela na cadeia de Abaetetuba, no Pará, por quase um mês com 20 homens, é uma demonstração cabal que o país perdeu todos os parâmetros de civilidade. Não é possível que um delegado e seus auxiliares não tenham o mínimo bom senso em perceber que estavam cometendo um atentado contra os direitos humanos.“
A secretária de Segurança Pública, Vera Tavares, uma militante da causa dos direitos humanos no Pará, tomou apenas uma providência burocrática, determinou que as corregedorias da Polícia Civil e do Sistema Penal abram inquérito disciplinar para “apurar, responsabilizar e corrigir de imediato as distorções encontradas”.
A secretária Vera Tavares, em função das evidências, deveria ter afastado dos cargos e recolhido os envolvidos, no mínimo, em prisão domiciliar.
Já a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, ao invés de dançar carimbó na solenidade de abertura do Simpósio da Amazônia, em Brasília, deveria ter dado uma mínima satisfação aos paraenses e aos brasileiros.
O mais grave é que o delegado de Abaetetuba, Celso Viana, informa que o Ministério Público sabia que a jovem estava presa há 15 dias, tinha pedido à Justiça para liberá-la e a polícia aguardava o alvará de soltura. A história é realmente surreal e expõe ao ridículo o estado do Pará e o país, principalmente pelas ações posteriores ao episódio.
“A governadora e a secretária precisam agir com rigidez, pois não interessa a idade da jovem, se é isso ou aquilo, se tem duas certidões de nascimento, uma verdadeira e outra falsa para fraudar o programa Bolsa Família, conforme declara o delegado Celso Viana à imprensa paraense. O que entristece é que os culpados pela barbaridade, que envergonha o Pará e o país, não tenham, ainda, sido punidos.“É injustificável, por todas as evidências, que eles, ainda, estejam usando a mídia para tentar confundir a opinião pública com suposições duvidosas, ao invés de estarem sofrendo as conseqüências de ato tão brutal contra os direitos humanos.”

Arremato: esse episódio mostra o quanto somos um país brutal, onde quem é pobre é tratado como se fosse merda.

Alfredo Ramos é “Cidadão Paulistano”


Neste sábado/24, às 16 horas, o paraense radicado em São Paulo, Antônio Alfredo de Oliveira Ramos, receberá da Câmara Municipal de São Paulo, através do seu Presidente, vereador Antonio Carlos Rodrigues, o título honorífico de Cidadão Paulistano.
A iniciativa é de Antonio Goulart (PMDB)0, atual 1º Vice-Presidente daquele Poder. um dos mais atuantes vereadores do município e lider da regiao de Santo Amaro (Votação em 2004: 67.594 votos e mais de 4000 trabalhos em três legislaturas). Goulart é autor de importantes projetos na Região Sul (Santo Amaro-SP) como o recém inaugurado, pelo prefeito Gilberto Kassab, Complexo Jurubatuba formado por duas pontes (ida e volta) que passam sobre o rio Jurubatuba, com extensão de 230 metros e oito faixas cada, ligando importantes bairros da região de Interlagos.
O cidadão - Radicado em São Paulo há 40 anos, Antônio Alfredo de Oliveira Ramos – natural de Bragança do Pará - estabeleceu na periferia de Santo Amaro, região de grande carência e totalmente abandonado pelos poderes públicos da época.
Premido pelas circunstancias e inconformado com a realidade da periferia, onde foi morar, mais ainda pelo fato de Santo Amaro na época ser responsável pela arrecadação de mais de 33% dos impostos devidos à prefeitura, mas não investidos, Alfredo Ramos, lançou-se à luta. Fomentou grupos e criou varias sociedades amigos do bairro. A idéia era unir tanto ou mais comunidades carentes, pressionar e reinvidicar junto aos poderes públicos melhorias básicas na região. Após 15 anos de esforços viu o panorama local se modificar com a construção de dezenas de escolas, creches, redes elétricas publicas, rede de água e esgotos, transportes e comunicação. Hoje a região é uma das mais prospera de São Paulo.
Além disso Alfredo Ramos fundou a Liga Esportiva de Santo Amaro (extinta) e organizou o primeiro campeonato de várzea da região. Fez parte de diversas associações sociais e comunidades locais. Foi um dos idealizadores da União das Sociedades Amigos de Bairro (extinta). E por sua grande atuação comunitária foi indicado pelo antigo partido Arena para ser um dos seus candidato a vereador na década de 80, mas declinou do convite devido seu estado de saúde, comprometido por um enfarto.
Hoje, a região sul de Santo Amaro, é denominada Capela do Socorro e passou a categoria de subprefeitura, e seus principais bairros, Veleiros, Interlagos, Rio Bonito e Cidade Dutra estão entre os mais bem servidos pelos poderes público, municipal e estadual.
Diante de tanta dedicação, Terra de Piratininga onde Alfredo Ramos escolheu para viver, após oito lustros. Decidiu retribuir a preferência concedendo-lhe de forma honrosa a Cidadania.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

O Jornal do Feio tem muito orgulho de Alfredo Ramos.
Além de ser cunhado do redator é, também, o seu representante na Paulicéia.

A Chapa 2 ganhou no Conselho Regional de Contab ilidade do Pará


Oi amigos:

Por alguns momentos voltei a agir como um adolescente, um estudante de colégio e da faculdade, quando fazia campanha para o grêmio do Colégio Marista Nossa Senhora de Nazaré, o Albino de Figueiredo; do Colégio Estadual Paes de Carvalho, o Centro Cívico Honorato Filgueiras, ou mesmo, para o diretório acadêmico de Direito, em Belém e no Rio de Janeiro.
Por amizade e simpatia, resolvi abraçar a campanha da Chapa 2 que tentava a direção do Conselho Regional de Contabilidade do Estado do Pará.
Fí-lo com a maior alegria, entusiasmo e garra, uma semana antes das eleições.
Para tanto usei todos os meus conhecimentos de abordagem, persuasão, marketing direto e telemarketing, além da imprescindível ferramenta que é, sem dúvida, a mídia eletrônica; e no caso, digital – o meu/nosso blog – Jornal do Feio.
Expus-me, até demais.
Mas deu certo, graças a Deus.
A Chapa 2 ganhou.
Assim pude constatar a penetração e a força deste jornal eletrônico; senão os muitos e-mails que recebi, das mais variadas tendências e opiniões.
Todas as mensagens foram bem-vindas.
Inclusive aquelas um pouco mais contundentes que me alertavam que deveria ser imparcial.
Mas, a Chapa 2 chegou lá.
O provedor – e o público que acessa este blog - devem ter entendido que tenho as minhas preferências, mesmo sendo profissional.
Muito Obrigado pela confiança. .
Espero contar sempre com todos, indistintamente, enquanto este blog estiver no ar.
E aos amigos da Chapa 2, confesso entusiasmado e feliz: valeu a pena.

Parabéns Ticiane Santos e equipe.
_____________
Aldemyr Feio
GATOS OU GATUNOS ?

O ex-deputado José Priante, retirou seu apoio ao secretário de Saúde Halmélio Sobral Neto, através de documento endereçado a governadora Ana Júlia Carepa (PT), no entanto, quem está mandando no órgão são os três mosqueteiros do Partido dos Trabalhadores, Paulo de Tarso Oliveira, secretário adjunto, indicado pelo deputado Paulo Rocha – Fernando Azevedo, diretor financeiro e Daniele Soares Cavalcante, diretora técnica, ambos indicados pela governadora Ana Júlia – Jader Barbalho (PMDB), garoto esperto, possui o maior número de indicações espalhados em cargos importantes na capital e interior do Estado. Uma verdade, quem menos manda na Sespa é o secretário, que acabou virando vaca de presépio. Tudo leva a crer que o poderoso chefão é o afilhado de Paulo Rocha, apesar de Jader Barbalho ter feito dez indicações, campeão de nomeações. A deputada federal Elcione Barbalho, indicou a diretora do hospital Ofir Loyola, Laura Rosseti, até o derrotado ex-senador Luiz Otávio Campos, preso por determinação do então governador Jader Barbalho, indicou a diretora financeira do Ofir Loyola, Helena Moscoso, imagine. Para completar a divisão do bolo, Jader indicou Acácio Centeno, diretor de Ensino e Pesquisa, seu cunhado, irmão da sua mulher atual, Márcia Centeno. Como podemos observar, a Sespa se transformou em um verdadeiro balaio de gatos, ou gatunos?

PEMATEC TRIANGEL

Neste mês de novembro, a Pematec Triangel do Brasil colocou no ar o endereço eletrônico na Internet http://www.pematecpara.com.br/ para direcionar os trabalhos realizados pela empresa em suas unidades agrícola e industrial em Santarém, Oeste do Estado do Pará. Porém, a empresa mantém o site institucional http://www.pematec.com.br/ .
O site Pematec Pará tem por finalidade aumentar a comunicação da empresa com a sociedade. Utilizando métodos simples de navegação e atendendo necessidades de informações dos clientes, colaboradores e parceiros. O site explora informações sobre o Projeto Curauá e também sobre a planta que originou o Projeto. Além de outras fibras naturais utilizadas pela Pematec.

PEMATEC TRIANGEL II

Na Home o usuário pode cadastrar seu endereço de e-mail para receber notificações de quando quadro "InfoPematec" for atualizado. Vai também poder interagir com a empresa através de sugestões, críticas e dúvidas pelo canal "Fale Conosco".
No "Menu Principal" o internauta pode conhecer a empresa através dos menus "Missão", "Histórico", "Localização", "Clientes", "Tecnologia" e "Produtos" . A página possui ainda o quadro "Benefícios" que retrata os principais Benefícios Sociais e Ambientais trazidos pelo Projeto Curauá para a cidade de Santarém e região.
Utilizando alta tecnologia do Google Maps a Pematec disponibiliza através do menu "Localização" três maneiras de localizar a fábrica. A primeira através imagens via satélite, a segunda por meio de mapas de ruas e estradas e a última que é a fusão das duas primeiras.
Acesse o site http://www.pematecpara.com.br/ e descubra as tecnologias, os benefícios e atividades da Pematec em Santarém.

PRECONCEITO

Dizer que não existe discriminação e preconceito contra os negros no Brasil é papo furado. Na última terça-feira /20, foi celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra, e um dos principais órgãos de pesquisa do País indica que os negros brasileiros estão em desvantagens no mercado de trabalho. Se você perguntar para qualquer pessoa se tem preconceito racial, a resposta é negativa, no entanto, a realidade é bem diferente, a discriminação acontece de forma velada, muitas pessoas tem vergonha de assumir. O mercado de trabalho ainda privilegia brancos mesmo quando negros e brancos tem a mesma qualificação. Somente através da educação e que os negros poderão obter melhores posições no mercado de trabalho e viver com dignidade. “A grandeza do ser humano não consiste em sua superioridade ou fama, mas em sua personalidade, marcada por ações de bondade e amor. O calor humano contagia sempre, provoca transformações no coração do próximo. Sem dúvida, o amor é o principal remédio para diminuir o preconceito, a violência, a fome e a miséria. Promover a comunhão entre as pessoas é o gesto mais nobre e urgente de que o mundo precisa”. Pense nisso.

NOTA 10

Em audiência na sede da Polícia Rodoviária Federal com o Coordenador de Ensino do Departamento, Inspetor Carvalho, o deputado federal Lira Maia (DEM-PA), confirmou a realização das provas do concurso da PRF no município de Santarém, beneficiando diretamente todos os candidatos da região Oeste do Pará. Segundo o deputado, somente no Pará foram cerca de 22.000 (vinte e dois mil) inscritos. As provas serão realizadas no dia 9 de dezembro nas dependências da UFPA durante a tarde, para não coincidir com as provas do vestibular. Decididamente, os méritos são de Lira Maia, que acabou ganhando nota 10 da população do Oeste do Pará.

CÍRIO 2008

Neste domingo/25, o povo santareno vive mais um Círio, quando na oportunidade milhares de pessoas se reúnem para a maior procissão de fé da região Oeste do Pará, onde peregrinos se deslocam das mais variadas localidades desta imensa região amazônica, para reverenciar a nossa Padroeira Nossa Senhora da Conceição. O Círio da Conceição iniciou em 28 de novembro de 1919, a caminhada atual tem um percurso de pouco mais de 6,5 Km. A festa do Círio começa as 05h00 com uma salva de fogos, as 06h00 Celebração Eucarística de Abertura na Igreja de São Sebastião, as 07h00 inicio da Liturgia do Círio 2007. O trajeto será: Av. São Sebastião, Av. Cuiabá, Av. Tapajós, até a praça da matriz Nossa Senhora da Conceição, culminando com a celebração da Santa Missa com Dom Esmeraldo Barreto de Farias, Bispo Diocesano de Santarém. Tenham todos um excelente Círio, com as Bênçãos da nossa Santa Mãe.

SEMSA HOMENAGEIA PADROEIRA

A exemplo do ano passado, a SEMSA - Secretaria Municipal de Saúde prepara suas homenagens à Nossa Senhora da Conceição, a Santa Padroeira da Cidade da Gente.
Dia 23 de novembro (6ª feira), os funcionários do prédio central da Secretaria Municipal de Saúde realizam solenidade especial, marcando a Entronização da Imagem de Nossa Senhora da Conceição, às 10h da manhã. Os servidores do Hospital Municipal de Santarém também homenagearão a Santa dia 23/11, às 16h. Na oportunidade, a imagem da Santa vai percorrer os leitos do HMS para que os fiéis católicos que se encontrarem internados, impossibilitados de acompanhar a procissão do Círio 2007, possam também reverenciar Nossa Senhora da Conceição. Solenidade semelhante foi realizada no ano passado.
A Entronização da Imagem da Virgem Maria, tanto no prédio Central da SEMSA quanto no HMS, contará com a participação do Pe. Ademar Ribeiro.
25/11 - As homenagens à Padroeira da Cidade da Gente vão continuar no dia do Círio. Logo após a saída da imagem da Santa, da Igreja de São Sebastião, o Coral da SEMSA vai homenagear Nossa Senhora, com a apresentação de músicas de louvor à Maria. Será a primeira homenagem oficial, prevista para às 07h30.

SENADORES

A pesquisa assinalou os senadores que tiveram maior participação plenária nas sessões deliberativas de fevereiro de 2007 até outubro deste mesmo ano. Marco Maciel (DEM-PE), que obteve três faltas em um total de 101 sessões, e Alvaro Dias (PSDB-PR), que teve uma falta em 55 sessões (esteve de licença entre março e julho), serão os premiados do Senado. Ambos tiveram assiduidade superior a 97%.
Na Câmara, os oito deputados que conseguiram manter 100% de presença também participarão da cerimônia do Prêmio Congresso em Foco, na noite do dia 26 de novembro, próxima segunda-feira, na churrascaria Porcão. São eles: Angela Amin (PP-SC), Arlindo Chinaglia (PT-SP), Jofran Frejat (PR-DF), José Genoino (PT-SP), Jutahy Jr. (PSDB-BA), Manato (PDT-ES), Pedro Fernandes (PTB-MA) e Sérgio Barradas Carneiro (PT-BA).
Os deputados começam a semana com quatro MPs trancando a pauta. Só após examinar esses itens, que têm preferência sobre os demais, os deputados poderão votar a proposta de emenda constitucional (PEC) que altera a composição das câmaras de vereadores e estabelece novos critérios para os repasses das prefeituras para o legislativo municipal.

MOTINHAS
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

O cantor santareno Ray Brito foi o escolhido para interpretar a música de Roberto Carlos, Nossa senhora, na praça da matriz, quando da chegada da procissão. ●●● Deputado estadual Alexandre Von (PSDB), foi o relator do Projeto de Lei Complementar que dispõe sobre os servidores temporários contratados no Estado do Pará, com base no art. 36 da Constituição Federal, de autoria do deputado estadual Domingos Juvenil (PMDB), que mantém os temporários até 31 de dezembro de 2008. O parecer de Alexandre Von na Comissão de Fiscalização Financeira e Orçamentária, foi favorável a aprovação do projeto. ●●● Um fato lamentável, nosso colega radialista Luiz Araújo, filho de Alenquer, foi condenado a 80 anos de prisão em regime fechado, pelas mortes dos irmãos Novelino. Quando a cabeça não pensa o corpo padece. ●●● Faltou preparo e competência para o IBAMA salvar a Baleia que encalhou nas margens do rio Tapajós. Uma pena. O órgão serve apenas para perseguir madeireiros, e olhe lá. ●●● Já o INCRA serve para fazer falcatruas, negociatas, usar e abusar dos pobres assentados. É catedrático e PHD em corrupção. ●●● O clima ficou tenso na sessão da última quarta feira/21 na Câmara Municipal de Santarém, entres os vereadores Erasmo Maia (DEM) e Odete Costa (PT). ●●● A concorrência entre as faculdades particulares em Santarém, está parecendo briga de foice no escuro. Querem ganhar os alunos no grito, haja propaganda volante. ●●● Foi encontrada e fotografada uma perereca (sapo) em uma das refeições servidas pela empresa GR para os trabalhadores da Mina no município de Juruti. Se fosse rã, até que seria um bom prato. ●●● Nesta sexta-feira/23 tem a tradicional Seresta no Fluminense em homenagem aos romeiros, com o maestro José Maria Alho. Imperdível. ●●● Prefeito de Belém Duciomar Costa está realizando grandes obras, todos os partidos querem apontar seu vice nas próximas eleições, para muitos é vitória garantida. ●●● Feliz Círio para o grande Causídico José Ronaldo Campos, esposa Selma e filhas. XX O tradicional pato no tucupí do Círio deste ano, será na residência do amigo Valber Xavier e esposa Nazaré. ●●● O depósito de bebidas do Dirceu (São Sebastião com Barjonas), está superando o Círio do ano passado na venda de cervejas, refrigerantes e bebidas quentes. ●●● Um feliz Círio para os nossos leitores e amigos, com a gostosa loira gelada (Nova Schin), a estrondosa ruiva destilada, a exuberante morena quente e o belo pato no tucupí, é claro. Fui.

11/22/2007

Ana Júlia sanciona lei que cria a Secretaria de Comunicação

Foi criada oficialmente nessa quarta-feira/21, com a sanção, pela governadora Ana Júlia Carepa, da Lei número 7.056, de 19 deste mês, a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom). O projeto de lei, que tramitou durante quatro meses na Assembléia Legislativa, extingue a Coordenadoria de Comunicação Social (CCS), criada na administração estadual anterior. Com a Secom, o Estado contratará 70 servidores, por meio de concurso público.
Segundo o coordenador de Comunicação Social do governo, Fábio Castro – que, dentro de alguns dias, será nomeado secretário de Comunicação –, a Secom surge com a missão de criar uma política diferenciada de comunicação, que tenha como objetivo final a contribuição para a criação de uma sociedade mais democrática e politizada. A função do órgão não é de apenas cuidar da imagem do governo, enfatiza.
“A CCS tinha apenas a função de fazer marketing, jornalismo e publicidade. A Secom vai além, pois tem autonomia para fomentar uma política de comunicação pública. Aprimoramos as funções e passamos a ser um órgão de governo finalístico”, explica Fábio Castro. A Secom poderá, por exemplo, lançar editais de concorrência pública e apoiar projetos como de rádio comunitária.
Segundo a lei, publicada nesta quarta-feira, no Diário Oficial do Estado, a Secom tem, em sua estrutura, os cargos de secretário e secretário-adjunto, o gabinete, as diretorias e os núcleos. A Secretaria de Comunicação contará com seções e departamentos até então inexistentes na CCS, que era apenas uma empresa de administração indireta, vinculada à Secretaria de Governo (Segov).
Às diretorias já existentes – de Jornalismo, Pesquisa e Documentação, de Publicidade, Propaganda e Marketing, de Relações Públicas, denominada agora Institucional, e de Administração e Finanças – foi acrescida a Diretoria de Comunicação Popular e Comunitária. Também foram criados os núcleos Jurídico, de Controle Interno, de Administração e Serviços e o Núcleo Financeiro.
Com a criação da Secom, foi criado também o Sistema de Comunicação do Governo do Pará, que reunirá os outros órgãos de comunicação mantidos pelo Estado, como a Fundação de Telecomunicações do Pará (Funtelpa) e a Imprensa Oficial do Estado. O objetivo é constituir uma unidade entre eles, sob coordenação da Secom. As funções e o funcionamento do sistema serão previstos em regulamento próprio.
Pessoal - A estrutura de pessoal da Secom contará com servidores efetivos (admitidos por meio de concurso público) e comissionados. Existirão também as funções gratificadas. O concurso, que deverá ser aberto em fevereiro do ano que vem, terá 70 vagas, das quais 20 para jornalistas, três para relações públicas e três para publicitários, cujo vencimento-base será de R$ 976,04.
Profissionais de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas, que serão contratados para o cargo de técnico em gestão pública, terão seis vagas e R$ 407,13 como salário-base. Haverá também duas vagas para bibliotecários e duas para estatísticos, com o mesmo salário.
A estrutura funcional da Secom comporta ainda o cargo de técnico em gestão de informática, que tem quatro vagas e salário de R$ 407,13, e ao qual poderão concorrer graduados em Ciência da Computação, Engenharia da Computação, Sistemas de Informação, Tecnologia em Processamento de Dados e Tecnologia em Rede de Computadores.
Outras duas vagas foram criadas para assistente de informática e cinco para assistente administrativo. Serão contratados ainda dez motoristas e cinco radialistas. Para estes cargos, o salário é de R$ 384,30. Também serão abertas cinco vagas para repórter fotográfico, cujo salário-base é de R$ 976,04.
Os cargos comissionados – que incluem o secretário, seu adjunto, diretores, chefe de gabinete, coordenadores de núcleos, secretários e assessores de comunicação e imprensa – são 66, e os de função gratificada, oito.

_________________
Luiz Carlos Santos - Secom

11/21/2007

CRC.Pa. Chapa 2 "na cabeça"


Todos os Contabilistas devem votar hoje na Chapa 2 para o CRC/Pa.
Vale a pena.

Parabéns, Jeronymo Filho

Foto; João Rodrigues

Jerônymo Gomes de Lima Filho hoje está “no berço”.
Nascido em Recife, Pernambuco, escolheu Belém do Pará para viver a 35 anos;
Sempre atuou ao ramo da Comunicação Social.
Inicialmente na Rede Globo do Recife e, posteriormente, na TV Liberal – canal 7, onde permaneceu por 14 anos apresentando o Jornal Liberal – 2ª Edição, às sete da noite.
Quem não se lembra da sua despedida, aos sábados, no final do programa? “Tenham um abençoado final de semana”?
Jerônyo Filho foi vereador por uma legislatura.
Logo em seguida, sendo Ministro do Evangelho, dedicou-se à pregação da Palavra de Deus. Concomitantemente desenvolveu, como desenvolve até hoje, atividades de radialista, jornalista e administração de empresas, uma das suas profissões.
Bacharel em Comunicação Social – especialista em Relações Públicas - , ainda encontra tempo para dar aulas no Curso de Comunicação Social da Universidade da Amazônia (Unama); presidir a Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil – Conselho do Pará - OMEB/PA. e apresentar programas na Rede Boas Novas – Rádio e TV, onde é diretor e foi um dos fundadores.
Atualmente empresta a sua colaboração à Administração Municipal como “Assessor Especial” do prefeito Duciomar Costa. E foi lá no Palácio Antônio Lemos, sala do cerimonial que os seus colegas comemoraram o aniversário com um pequeno e animado desjejum, e cantaram o “Parabéns pra você”.
Jerônymo Filho é casado com Mércia Maria Meira Lima, e possui três filhos, André Gustavo, Rodrigo Sávio, médico (que se encontra em Goianésia), Rivaldo Elias e dois netos - Caio e Manuela - , filhos de André.
Parabéns, amigo.
Muitas felicidades.
Muitos anos de vida.

11/16/2007

Alcir. Quatro anos de saudade

Meu irmão Alcir morreu 38 dias antes do Natal.
Num dia como hoje, 17 de novembro, há quatro anos
Certamente foi para o céu – lugar reservado para os bons, para os justos, e puros de coração.
Meu irmão tinha problemas.
Praticamente não era responsável por seus atos.
Tinha problemas mentais.
Apesar da sua situação, era um bom menino.
Bom mesmo
Foi o primeiro rebento da nova relação de minha mãe.
Eu... Fui o último da primeira (e oficial) relação que... não deu certo.
Mas isso não interessa.
Muitas pessoas erram por amor.
Aliás, quem não erra?
Eu o conheci aos 12 anos, na primeira viagem que fiz com os meus pais adotivos a São Paulo;
Fomos primeiramente ao Rio de Janeiro, viajando pelo “famosos” DC4 da Paraense Transportes Aéreos.
Saímos de Val de Cans às sete horas da manhã e, precisamente às 18 horas e dezesseis minutos vi pela janelinha do avião o Cristo Redentor de braços abertos sobre a Guanabara tal qual o verso de Tom Jobim no “Samba do avião”... Ou seja, quase 13 horas de vôo passando por estes brasis até a Cidade Maravilhosa.
Após alguns dias no Rio, hospedados no Paulistano Hotel, na Visconde do Rio Branco, próximo a Praça Tiradentes, e depois de visitar alguns amigos, tomamos um ônibus super confortável da "Viação Cometa" na antiga rodoviária carioca – atualmente “Novo Rio” – na Rua Francisco Bicalho, quase esquina da Avenida Brasil e alguns quarteirões da famosa Praça Mauá, com destino à cidade de São Paulo.
Isso às nove horas da manhã.
Após oito horas de viagem contemplando a beleza – naquele tempo era bela! - Rodovia Presidente Dutra – ou Via Dutra – e passando por algumas cidades, eis que, quase à noitinha, o belo veículo ingressa numa dos boxes da antiga rodovia de São Paulo. no bairro da Luz.
Quem nos estava a esperar? Raimunda Costa Uchoa, ou simplesmente Dona Zizita “minha tia” – naquela época eu não sabia que ela era minha mãe; tomei conhecimento quando fiz 15 anos, ou seja, três anos após, que também já se foi – que colocou à nossa disposição um confortável automóvel e nos levou até à sua bela Casa na Alameda dos Guaianumbis, 1080 – Indianópolis,
Foi aí que eu conheci o Alcir – que soube depois que era conhecido como "Carlão" -, a Célia, uma linda menina loira de olhos azuis-esveredados e o Ricardo que ainda era um lindo garotinho... Meus queridos irmãos.
Fomos tratados principescamente.
Aliás, Dona Zizita tratava muitíssimo bem os seus visitantes.
Ficamos cinco dias em São Paulo.
Deu pra conhecer uma porção de coisas na bela - e mal tratada – megalópole, orgulho do nosso país.
Deu para observar – agora com precisão – que o Alcir gostava muito de discos. Tinha coleção daqueles velhos vinis de 78 rotações.
Alcir e Dona Zizita foram nos deixar na Rodoviária na volta ao Rio, ainda pela “Cometa”- a maior e mais importante transportadora rodoviária daqueles tempos.
O tempo passou.
Fui morar em São Paulo com o meu irmão Ari – o mais velho do primeiro relacionamento de minha mãe -, na Rua Alberto Willo, Planalto Paulista, quase esquina na com a Avenida Indianópolis. Três quarteirões da casa de Dona Zizita.
Por intermédio do Ari – que trabalhava na Contabilidade da Varig. Era chefe de sção - e do Almir, meu irmão do meio – que trabalhava na Fundação dos Funcionários da Varig, adquiri o meu primeiro emprego – CTB/FR – Contabilidade de Fretes e Encomendas, Auxiliar.
Na Carteira Profissional – extraviada no Rio de Janeiro – constava Real S/A – Transportes Aéreos. A Varig tinha acaba de comprar a antiga Real Aerovias.
Ia sempre na Casa da mamãe conversava com o Alcir...
Após algum tempo fui demitido da Varig.
Resolvi voltar para Casa.
Subi na Gerência Geral com a intenção de solicitar um GC (Cortesia).
A moça que me atendeu – a Priscila - uma morena espetacular, natural de Pirajuí – foi muito gentil e me apresentou ao Todo Poderoso Dr. Benedetti, gerente geral. Ele me ouviu e disse que não tinha problemas: iria autorizar um GC com a seguinte argumentação: ex-funcionário que volta para Casa. Uma forma, segundo ele, da Varig agradecer os meus serviços de quase três anos.
Só tinha coisa: como era “cortesia”... só poderia viajar se sobrasse lugar no avião. Eu teria que ir para Congonhas fazer o check-in e aguardar vaga.
Só havia dois vôos para Belém.
Um às sete da manhã – o pinga-pinga, isto é, pousava em tudo quando era cidade, a partir de São Paulo –; e outro que saia às 18 hs, o internacional, que vinha do Chile, passava por Sampa, Rio, Brasília, Belém, Manaus e Caracas.
Cismei de ir para o Congonhas à tarde.
Despedi-me de todo o mundo. Peguei a minha bagagem e me mandei.
Se não conseguisse passagem, tudo bem,
Caso contrário, retornava para a Alberto Willo. Era perto, podia ir a pé.
Dei sorte.
Aliás, dei muita sorte,
Fiz o check-in e a moça mandou esperar.
Menos de uma hora, a atendente solicitou-me a autorização - a ordem do GC, uma espécie de bilhete nas cores da Varig – examinou os documentos, colocou etiqueta na minha mala, e me falou: “Corre paraense que o avião já vai sair”.
Naquele tempo não tinha cartão de embarque.
Você apresentava apenas o canhoto do bilhete.
Apressei o passo e fui tomar o avião: um super "Convair Coronado", o avião mais moderno da época, cheio de frescura e luxo, que, como falei, vinha de Santiago do Chile.
O meu assento - nº 36B (janela) no meio do avião – já estava reservado. A comissária me levou até ele.
Para falar a verdade, fui o antipenúltimo a embarcar.
Cheguei em Belém às quatro e meia da manhã.
Foi uma surpresa geral,
Após isso, voltei a São Paulo mais quatro vezes,
Uma delas para participar de um Congresso Religioso (Mariápolis) realizado no Colégio D. Mota, no Ipiranga.
Em todas essas ocasiões fui visitar os parentes, mesmo que rapidamente.
Muito tempo se passou.
Há nove anos, nesta mesma época, aproveitando uma licença-prêmio e uma féria, resolvi levar a Telma para conhecer os meus parentes longínquos.
A moça me ajudou.
Compramos uma passagem para São Paulo pela Itapemerim, e duas passagens Rio-Belém pela Varig,
A nossa intenção era passar alguns dias em São Paulo, após o que, tomaríamos um “Cometa” para o Rio de Janeiro; visitaríamos a família do Ari, - que tinha falecido havia alguns meses antes em abril – em Campo Grande, e, em seguida, apanharíamos um avião de volta para casa.
Deu tudo certo.
Principalmente devido à ajuda do meu irmão Almir que, praticamente bancou todos os 19 dias que passamos em Sampa.
Inclusive.. ele e a Dolores, sua mulher (que se - e me - emocionou ao chorar ao telefone quando lhe transmiti a notícia, logo após o Alfredo me dar, da infausta notícia do falecimento do Alcir) – foram nos apanhar na Rodoviária do Tietê, nos indicaram o metrô que nos transportou até ao seu apartamento no Conjunto da Cohab. em Itaquera.
Dois dias após a nossa chegada, o Almir nos levou até a Rua Virgílio de Lemos, no bairro do Jabaquara, onde o Alcir a mamãe moravam.
Na realidade, o Almir – apesar da sua boa vontade – não chegou até à casa da mamãe. O problema na sua perna direita – e que, praticamente, o levou à sepultura – o impediu de subir o morrinho onde casa está localizada. Ele ficou alguns metros no início da subida.
A chegada, desculpem-me, foi inesquecível.
Vi o Alcir feliz da vida.
Ele veio me abraçar todo desajeitado, com vigor, com força. e disse que estava com saudades de mim.
Abraçou, educadamente, a Telma, sem antes dizer que eu tinha (tenho) bom gosto: “Você tem sorte cara... sua mulher, minha cunhada é muito bonita. Aldemyr você tem muito bom gosto”.
Em seguida fez questão de mostrar a sua coleção de discos do Roberto Carlos.
Ele tinha desde o primeiro: João e Maria.
Mamãe chamou a sua atenção para ele não nos cansar com aquelas coisas. Alcir respondeu que fazia exatamente 21 anos que não me via e, portanto, queria festejar o encontro... à sua maneira. Logo após rodou várias versões da música Theme cantada por Connie Francis, como forma de homenagear a Telma.
Depois ele colocou no velho toca discos uma música de Tom e Vinícius, interprretada por Elizete Cardoso: Eu sei que vou te amar
O disco era tocado sempre por ele e pela mamãe para se lembrarem de mim.
Aliás, a partir daquele momento passei a escutar sempre esta música. Já fazia antes, todavia, uma vez por outra.
Não demoramos muito.
Foi um erro.
Deveríamos passar mais tempo com ele.
Quando nos despedimos eu percebi uma lágrima em sua face muito branca e rosada caindo dos seus olhos de um azul forte e penetrante.
Ele não queria que nós saíssemos.
Queria – ele e mamãe – que nós pernoitássemos lá.
Mas... tínhamos outros compromissos.
Foi a última vez que eu vi o “Carlão”.
Não voltamos mais ao Jabaquara.
Na ida para o Rio, sofremos um pequeno acidente.
O nosso ônibus entrou na traseira de um caminhão à altura de São José dos Campos.
Era noite, muita chuva, foi um tumulto. Não houve vítimas graves, senão o motorista que teve um braço fraturado.
Mas a “Cometa” providencialmente arrumou um novo ônibus e, quase duas horas depois seguimos viagem.
Amanhecemos no Rio. Apanhamos um ônibus 766 (ainda me lembro) e nos mandamos para Campo Grande.
Seis horas da manhã, estávamos em Santa Margarida, em frente à casa do Ari.
Ninguém na rua
Toquei a campainha. Todo mundo dormindo.
A Natália, minha cungada, abriu a portinha da porta principal e perguntou quem era.
Eu respondi que era eu,
Eu quem?
Vem olhar!!!
Ela já invocada botou a cabeça para fora e deu um gritou: "Aldemyr... que surpresa...pô tu continuas moleque, palhaço... eu pensei que fosse outra pessoa, aqui a gente tem que ter muito cuidado..vamos entrando.Turma... o tio de vocês está aqui. Veio do Pará!”
Não precisa dizer que ninguém mais dormiu.
E foi festa nos três dias em que lá estivemos.
No retorno o meu sobrinho Ariovaldo nos levou de carro até o centro de Campo Grande,
E lá tomamos um táxi – de um amigo dele - até a Ilha do Governador, Aeroporto Internacional do Rio – atualmente Antônio Carlos Jobim - pegamos um "Boeing" da Varig e chegamos em casa às duas e meia da manhã.
Dois anos depois, estive em São Paulo para o enterro do Almir.
Aliás, por questão de justiça, com passagem dada pela então vice-prefeita Ana Júlia Carepa.
Alcir já estava na casa de repouso.
Não houve tempo de vê-lo.
______________________________

Como disse no início, o meu irmão Carlos Alcir Uchoa Rodrigues foi para o céu – lugar reservado para os bons, para os justos, e puros de coração.
Lamento profundamente de não estar mais perto dele
De conversar com ele, de ouvir as suas músicas, os seus papos, dos feitos do Corinthians, de levar um pouco de conforto... que ele tanto precisava.
Ele era uma criança.
Uma boa criança... grande.
Tinha os seus momentos alegres, tristes... quem sabe, lembrando do irmão mais velho... distante... talvez, com um pouco mais de sorte.
Meu irmão se foi... para sempre.
Foi, segundo minha tia Estrela, ao encontro de mãe, da nossa mãe.
Mais dia, menos dia vamos nos encontrar... para ficarmos juntos, bem juntos, o que não aconteceu nesta vida.
Ele se foi 38 dias antes do Natal.
Vai comemorar o evento ao lado dos anjos.
Puros como ele foi
Vou parar por aqui já que as lágrimas estão vencendo a minha comoção.
Tchau, maninho.
Perdoe a ausência – involuntária - e não ter podido ser o irmão que você esperava que eu fosse.
Mas você, assim como o Ari e o Almir, estará presente em todos os meus dias tristes, cansados e inúteis, como dizia Rui Barbosa
Que a terra continue lhe sendo leve.
Que Deus – o Todo, Único e Suficiente Salvador, como dizem os evangélicos; O Supremo Arquiteto do Universo, no entendimento dos maçons – o Pai Eterno O tenha em seu seio,
Descanse em paz, meu querido irmãozão.
Tchau Carlão.

CHARGE
Sonhos corruptos num dia corrompido

Brasília - Aqui vai um conto ambientado na Ilha da Fantasia, que escrevi especialmente para meus dois ou três leitores, nesta véspera de feriadão. Advirto que qualquer verossimilhança será mera coincidência.

Sonhos corruptos num dia corrompido

- Adoro mamãe Congresso Nacional; ela é igual cadela, tem seis tetas, prenhes de recursos! - disse Rato Mala à sua mulher, enquanto examinava o embrulho que lhe enviaram pelos Correios. – Não se manda recursos pelos Correios; rouba-se nos Correios - disse, desconfiado, olhando o embrulho por todos os lados.
- Será que não é o décimo-quarto salário, querido? – Salamandra lhe perguntou, interrompendo ligeiramente a maquiagem.
- Não seja burra, o décimo-quarto salário é depositado no Banco Rural - disse Rato Mala, referindo-se ao pró-labore da Confraria dos Mensalistas.
Ofendida, Salamandra ficou na dela. “Ele já me chamou de anta, cérebro de galinha, hipopótamo fêmea, marmota e agora de burra” - pensou. “Mas é o homem mais charmoso que eu já conheci; tem bolsos recheados de dólares, dólares até na cueca.”
- Aarrah! - disse Rato Mala. - Olha só o que me mandaram: um cuecão com capacidade para grandes depósitos!
- Tenho orgulho de você, minha Catita. Logo você terá uma conta, ou várias contas tão recheadas como as do Dudu Geronço, ou até mesmo do Salim – disse Salamandra, concentrada no pincel de rímel.
Rato Mala derretia-se todo quando Salamandra utilizava seu apelido de criança, Catita ou Cafifa, e ao ser comparado ao seu ídolo, Salim. Parou, sonhador, e fez alguns cálculos mentais.
- Oh! não! Salaminho – disse Rato, usando um dos apelidos de Salamandra. – Ainda terei que dar muito duro para chegar a Salim.- Mas pode chegar a Dudu, não pode? – disse Salamandra, toda melosa, devido à atenção que Rato estava lhe dando. – Ocê merece, pai!
- Vou para o quarto, experimentar o cuecão. Tenho que dar uma passada, hoje, no Banco Rural e depois ir a São Paulo para me avistar com alguns companheiros.
- Cuidado no aeroporto com aquele pessoal xereta da Polícia Federal.
- Eles sabem que não podem nem se aproximar de mim; ficou tudo acertado com nosso braço na Infraero.
- E se estiverem com aqueles cachorros que vão diretamente ao dinheiro? Poderão morder sua virilha, querido!
- Só se for a sua. Esse tipo de cuecão é anti-farejamento, galinácio.
- Você já está me ofendendo de novo, ratuíno!
- Desculpe-me, querida, é que fico nervoso sempre que levo um carregamento grande para o reduto da minha estrela-guia.
- Acho que você tem que seguir o exemplo do Dudu. Ninguém consegue descobrir os depósitos dele e ele ainda continua com as contas da Ptbras.
- Você tem razão. Vou marcar um encontro com ele.
Rato Mala foi ao quarto e voltou de lá vestido com o cuecão.
- Veja, Salamandra! Sob medida! – disse Rato Mala, dando uma volta para ela ver o cuecão.
Salamandra prestou atenção.
- Ué, Catita, você tem que diminuir o ventre, porque então caberão mais verbas – disse Salamandra.
- Já mandei fazer um remédio para emagrecer.- Daquele não, homem; contém Racumin.- Humm! Acho que aquele médico da Câmara está trabalhando pro DEM. Não é com Racumin que irão acabar comigo. Já decidi: não precisarei perder minha barriguinha. Falarei com José, Nobre e Vieira. Eles aperfeiçoaram o transporte de valores e podem burlar os mais sensíveis detectores de mentira.
Salamandra olhou orgulhosa para sua ratazana, cheia de si por ter capturado um murídio tão esperto. “Se um rato desses pega o INSS, ou o Ministério de Minas e Energia, ou a transposição do rio São Francisco, ou é eleito governador do Amapá, nem a CIA, nem o Judiciário da Itália o deterá” – pensou, já fazendo planos para as compras no ParkShopping, à tarde.
DEFESO

Incluindo o Estado do Pará, 62 mil pescadores de 12 outros Estados, já podem sacar a partir de dezembro a primeira parcela do seguro-desemprego, no valor de um salário mínimo, enquanto durar o período de reprodução das espécies. Cerca de 30 mil pescadores paraenses serão beneficiados. Para conseguir o seguro, o benefício deve ser requerido 30 dias antes do inicio do defeso e deve ser solicitado até o fim da proibição. É fundamental que o pescador esteja inscrito na Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca (Seap) há pelo menos um ano e apresentar o atestado da Colônia de Pescadores artesanais. Para o saque é necessário apresentar a carteira de identidade e o número de inscrição como segurado especial. A primeira parcela estará disponível nas Agências da Caixa Econômica Federal (CEF), casas lotéricas ou nas unidades Caixa Aqui. No ano passado, a medida beneficiou famílias de 31 mil trabalhadores, injetando R$ 41 milhões do FAT nas economias desses Estados.

ROMBO

Os convênios realizados desde 2005 pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa), quando o PMDB assumiu o controle político do órgão, revelam um rombo nos cofres públicos de pelo menos R$ 75,7 milhões referentes a 176 convênios com prefeituras e organizações não governamentais, as “famosas” ONGs, para obras de saneamento básico e serviços à saúde indígena. Levantamento feito pela Funasa, após análise da Controladoria Geral da União (CGU) foram encaminhadas para o Tribunal de Contas da União (TCU) para julgamento casos de obras não executadas, desvio de recursos, prestação de contas rejeitadas, além de outras falcatruas. Somente neste ano, até junho de 2007, a CGU concluiu que 47 convênios entre os analisados estão irregulares. O valor a ser restituído aos cofres da União é de R$ 9,4 milhões. Aqui vai uma pergunta inocente, você já viu algum político devolver dinheiro roubado aos cofres públicos?

CHARUTINHO

A comunidade de Ponta de Pedras se prepara para realizar mais uma edição do Festival do Charutinho, que acontece neste final de semana (17 e 18). O evento cultural busca valorizar o potencial turístico e que já vem se tornando tradição no calendário cultural do município. A prefeitura vai apoiar a programação com o repasse de R$ 3.000,00 (Três mil reais), que serão aplicados na contratação da banda musical. O Objetivo é motivar a população santarena a conhecer e divulgar a culinária regional. A programação inicia no sábado (17), ás 08H00 e às 22H00, haverá festa dançante. Domingo (18), às 16H00 encerramento com a escolha da Miss Charutinho. Este ano a cerveja Nova Schin, através da Jobel Distribuidora de Bebidas, estará patrocinando o evento.

HOSPITAL REGIONAL

Foi publicado no Diário Oficial do Estado no dia 05 de novembro a renovação de um contrato de prestação de serviços com a empresa Falcon Sérvice Ltda, pelo prazo de três meses, SEM LICITAÇÃO, no valor de R$ 1.343,850,25 (Hum milhão trezentos e quarenta e três mil, oitocentos e cinqüenta reais e vinte e cinco centavos), para atender o Hospital Regional de Santarém com serviços de jardinagem e outras cossitas mais. O contrato foi renovado desde o dia 10 de novembro. Endereço da Falcon, Rua E No. 41 – Conjunto Residencial Euclides Figueiredo Sala A Belém-Pará – Tenho uma amiga que reside há 20 anos no conjunto, que é RESIDENCIAL, e ela não conhece nenhuma empresa por lá. Isso não é estranho?

E TEM MAIS.......

No mesmo Diário Oficial aparecem duas empresas santarenas. Saneng Santarém Engenharia, valor do contrato R$ 107.400,00 (Cento e sete mil e quatrocentos reais) e Laboratório Ciesca, valor do contrato R$ 743.400,00 (Setecentos e quarenta e três mil e quatrocentos reais). Os contratos foram renovados por três meses, SEM LICITAÇÃO. Pergunta inocente, por que o Governo do Estado está contratando muitas empresas, se o Hospital Regional não está funcionando? Uma boa pergunta.

DIABETES

Feliz a iniciativa da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em realizar na última quarta-feira (14), uma programação voltada ao Dia Mundial de Combate ao Diabetes. As atividades iniciaram às 06H30 com uma caminhada do Grupo da Terceira Idade, em seguida, diversas atividades foram realizadas nas dependências da Igreja Santíssimo Sacramento. Os anjos da saúde efetuaram verificação de pressão arterial, teste de glicemia, exame oftálmico, palestra com nutricionista, atendimentos odontológicos, vacinação, cadastro de hipertensos e diabéticos, coleta de preventivo e consultas médicas. Muitas pessoas têm diabetes e não sabem porque não apresentam nenhum sintoma. Você que tem mais de 40 anos e parentes com diabetes, fique atento e procure um médico. Emmanuel Silva, apesar da crise que a saúde enfrenta em todo o Brasil, vem realizando um excelente trabalho em Santarém.

MOTINHAS
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Deputado estadual Alexandre Von (PSDB), através de uma Moção apresentada na Assembléia Legislativa do Estado do Pará, requer a aceleração do processo de criação e implantação da Universidade Federal do Oeste do Pará, com sede no município de Santarém, e a inclusão de novos Campi em Alenquer, Óbidos, Juruti, Rurópolis e Núcleo Universitário em Belterra. ●●● Quem diria, o nosso senador José Nery (PSOL-PA), ex-vereador em Abaetetuba, suplente que assumiu a vaga da governadora Ana Júlia, é um dos articuladores para um terceiro mandato do presidente Lula. Um verdadeiro atentado contra a democracia. Uma vergonha, como diria o jornalista Boris Casoy. ●●● Uma repórter de televisão local entrevistou uma diretora da Apae, sobre uma manhã alegre, onde haverá o leilão de um carro para angariar recursos para a entidade. A colega esqueceu de perguntar a data, horário e local do evento. A gafe deveria ser corrigida pelo apresentador, o que não foi feita. ●●● Deputado federal Lira Maia (DEM-PA), continua em Brasília, trabalhando dioturnamente no sentido de acelerar a votação do plebiscito para a criação do Estado do Tapajós. ●●● Foi nomeado o novo juiz titular da 4ª Vara Penal de Santarém. Dr. Paulo Pereira da Silva Evangelista, que era juiz da Comarca de Prainha. ●●● A Assessoria de Comunicação da Governadora Ana Júlia, comunicou via e-mail, por volta das 12h30, o cancelamento da viajem em virtude de pane no avião do governo. Em seguida às 14h30 a Assessoria da prefeita Maria do Carmo, confirmou a chegada da governadora. Muitos jornalistas não sabiam em quem acreditar. ●●● Acertou a assessoria tupiniquim, sob o comando da jornalista Nelma Bentes. A governadora chegou e assinou convênios com quatro prefeituras do Oeste do Pará. Santarém, Óbidos, Oriximiná e Juruti foram as contempladas. ●●● O Diário Oficial do Estado (DOE) publicou, os editais de seis concursos públicos que somam 17.939 vagas, para a Seduc, Hemopa, Ideflor e Sespa. No caso dos professores, a remuneração varia de R$ 959,19 a R$ 1.918,38, acrescidos de vantagens legais, para uma jornada de 20 a 40 horas semanais. No caso dos técnicos, o salário é de R$ 1.099,24, para 30 horas semanais. ●●● Na Sespa são 1.780 vagas para cargos de nível superior, médio e fundamental. Para todas as especialidades médicas o vencimento base é de R$ 1.511,95, acrescido de outras vantagens. Para os demais cargos de nível superior a remuneração é de R$ 732,83. Já para os técnicos de nível médio, também em várias áreas, o vencimento base é de R$ 396,49. No caso do nível fundamental, a remuneração é de R$ 380. ●●● O comentário/editorial do padre Edilberto Sena, no jornal da manhã (Rádio Rural) e publicado no Blog do Jeso, sob o título, BR – 163: Cruz e Indignação, retrata fielmente o sentimento da maioria da população do Oeste do Pará. Parabéns companheiro. ●●● Emanuel Jorge (Jorjão), ex-assessor do Oti Santos na Prefeitura de Belterra, mudou-se de malas e cuias para Belém. Boa sorte. ●●● Ilustre amigo Osilenio Moura, acessei seu Blog, excelente, parabéns. Recomendo para os meus leitores – http://www.tapajosja.blogspot.com/ ●●● Tornearia Morenão – Av. Mendonça Furtado 2943, prox. Professor Carvalho, fone (093) 3523 2243. Profissionais competentes fazem a diferença. Confira. ●●● Belém já possui uma via de primeiro mundo, foi inaugurada a nova Av. Duque de Caxias no bairro do Marco. Prefeito Duciomar Costa está de parabéns. A população agradece. ●●● Supermercado Beira Rio (Aquino), está dando descontos de 20 a 50% nos juros, para os clientes quitarem suas dívidas. Av. Tapajós em frente à antiga feira do tablado. ●●● Mais um final de semana, vamos curtir a saborosa loira gelada (Nova Schin), a fantástica ruiva destilada e a bela morena quente. Fui

11/13/2007

Cotijuba - uma bela morena de 118 anos

Cotijuba completou na sexta-feira/10, 118 anos. O evento foi comemorado pela Administração Regional do Outeiro, tendo a frente o seu titular Elinaldo Sena, que levou para ilha toda a sua Assessoria Técnica e convidados num barco fretado. A festa começou cedo e se prolongou por todo o dia. Às 18 horas foi cortado um bolo gigantesco, ofertado pela AROUT e pelos comerciantes locais. Logo em seguida houve um show proporcionado pelo Grupo Parafolcórico Trilha Dourada que se prolongou até as 23 horas.
Conheça a ilha - Os primeiros habitantes da Ilha de Cotijuba foram os índios Tupinambás, que a batizaram com este nome. Em tupi, Cotijuba significa "trilha dourada", talvez uma alusão às muitas falésias que expõem a argila amarelada que compõe o solo da ilha.
De acordo com os historiadores, a integração da ilha à cidade de Belém se iniciou em 1784, com a comercialização do arroz cultivado no Engenho Fazendinha. Com a desativação do engenho, a ilha passou a ser habitada, também, por famílias caboclas que sobreviviam do extrativismo.A chegada da primeira família (Monteiro) na ilha ocorreu cinco dias antes da Proclamação da República
Em 1933, quando a criminalidade infanto-juvenil em Belém atingiu índices alarmantes por conta da estagnação econômica regional, após o declínio do Ciclo da Borracha, o governador Joaquim de Magalhães Cardoso Barata inaugurou o Educandário Nogueira de Faria, construído para abrigar menores infratores.Durante a ditadura militar, as instalações do educandário também abrigaram presos políticos.
Em 1945, imigrantes japoneses chegaram à ilha, ensinaram técnicas agrícolas aos educandos e, em 1951, fundaram a Cooperativa Mista de Cotijuba Ltda, em parceria com os agricultores locais.
Em 1968, foi construída uma penitenciária na ilha e, por algum tempo, educandário e presídio coexistiram. Porém, logo o educandário foi extinto e Cotijuba se transformou em ilha-presídio, recolhendo condenados e presos políticos, adultos e menores, com um sistema penal violento e arbitrário.
Os menores e os presidiários construíram o sistema viário que se mantém pouco modificado até os dias atuais. Em 1977, com a inauguração da Penitenciária Estadual de Fernando de Guilhon, em Americano, a Colônia Penal de Cotijuba foi, definitivamente, desativada, As ruínas podem ser vistas arte hoje ao lado do trapiche;
O estigma de ilha-presídio povoou o imaginário da sociedade paraense, mantendo-a a distância. A Constituição Brasileira de 1988 transferiu Cotijuba ao domínio do município de Belém, quando houve o despertamento do interesse de veranistas atraídos pela riqueza da sua biodiversidade e pela sua proximidade da capital paraense.
Em 1990, através de Lei Municipal, a Ilha de Cotijuba foi transformada em Área de Proteção Ambiental, fato que obriga a preservação das suas ricas fauna e flora. Um pouco depois, no dia 2 de outubro de 1995, o prefeito Hélio Gueiros aprova na Câmara Municipal a Lei N° 7.768, que proíbe a circulação de veículos motorizados na Ilha de Cotijuba sem autorização da Administração Pública Municipal, exceto os que prestem serviços de saúde, proteção policial, produção e escoamento agrícola.
Preservação - Aliás, Na administração Hélio Gueiros, havia uma grande preocupação quanto à preservação da fauna e da flora da ilha. Com base nisso, o gestor implantou na ilha um sistema de transporte (05 de novembro de 1994) de charretes semelhante ao adotado na ilha de Paquetá (Rio de Janeiro). Em Paquetá só existem os carros de coleta de lixo, bombeiro ou ambulância, o transporte é feito por bicicletas ou charretes com tração animal.
Vieram de Santa Catarina, quatro charretes e seis cavalos – adquiridos em fazendas próximas de Belém – e foram levados para Cotijuba. O serviço de charr4este funcionou normalmente em toda a gestão de Gueiros. Depois disso, igual à Conceição de Cauby Peixoto, ninguém sabe ninguém viu.
Atualmente só existe uma charrete funcionando a tipo precário; e um cotijubense diz ser de sua propriedade, assim como um dos cavalos. Só que as charretes pertencem ao povo de Cotijuba. Não consta que o ex-prefeito tenha vendido ou dado de presente o equipamento para somente um morador.
De acordo com os moradores de Cotijuba, em 2005, faleceu o último "preso" da ilha e, com ele, foi enterrado todo o sofrimento que já existiu por ali. Hoje, Cotijuba é um patrimônio a ser visitado, preservado e valorizado pela humanidade. É uma ilha cheia de Amazônia e de Amazônidas.
Localização - A Ilha de Cotijuba está localizada ao norte do Brasil, às margens da Baía do Marajó, próximo à cidade de Belém do Pará.
Limita-se ao norte pela baía de Marajó; ao Sul pelo furo do Mamão, que a separa das ilhas de Jutuba e Paquetá; à Leste pela ilha de Tatuóca e à Oeste pelo canal de Cotijuba, posicionado nas imediações a extremo oeste da Ilha e servindo de ligação entre a baía do Guajará e o rio Pará.
Como chegar - O acesso à ilha de Cotijuba se dá por Belém e por Icoaraci. As embarcações cobram preços populares. O barco que sai do trapiche de Icoaraci, cobra o mesmo preço do sistema de transporte coletivo da cidade.
A viagem pela Baía do Guajará, - saindo de Belém - é muito tranqüila e dura cerca de 45 minutos. Durante o percurso, podem-se avistar os principais pontos turísticos de Belém do Pará (Mercado do Ver-o-Peso, Estação das Docas, etc) e a simplicidade das casas dos ribeirinhos que vivem nas ilhas Paquetá e Jutuba.
Conclusão - A ilha de Cotijuba com mais ou menos 6.000 habitantes distribuídos em 1650 domicílios, tem uma área de 15.808.495.144 metros quadrados. É bastante visitada nas temporadas de veraneio; é uma região rica em paisagens e exemplos da harmonia do homem amazonida com a natureza. A “ilha da trilha dourada”, é um exemplo visível dessa realidade.
Cotijuba possui 19 quilômetros de extensão e localidades com as suas características naturais, seus igarapés e os 16 lagos, além das praias: Farol, do Amor, da Saudade, da Flecheira, Praia Funda, Vai-quem-quer, Praia das Tintas, Pedra Branca e Praia do Pescador, que compõem a rica orla desse local. Algumas dessas praias são de fácil acesso aos visitantes, próximas do núcleo da vila; outras só para aqueles que se permitem uma boa caminhada entre a flora da ilha num verdadeiro passeio ecológico. Quanto maior à distância, mais intactas as praias são mantidas. Ah, poderia falar muito mais da nossa querida Cotijuba, mas o espaço acabou.
Todos os que prestigiam este jornal eletrônico residentes em Belém e arredores, não deixem de visitar Cotijuba em através do seu povo, abraçar a bela e sedutora aniversariante.

▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬

Com a colaboração de Socorro Suely Rodrigues.

11/09/2007

ALTAR EM CHAMAS
Brasília Cidade Amiga da Amazônia

Brasília – A ONG brasiliense Preserve Amazônia articulou com o Greenpeace a inclusão de Brasília na campanha Cidade Amiga da Amazônia, para o que coletou, de 21 de março a 4 de junho de 2006, mais de 3 mil assinaturas, entregues em audiência pública, no dia 5 de junho, no plenário da Câmara Legislativa, que aprovou o Projeto de Lei 3.967, de 27 de fevereiro de 2007, o qual alicerçará as ações do governo do Distrito Federal na coibição da compra de madeira ilegal da Amazônia.
O governador José Roberto Arruda (DEM) deverá implementar essa orientação ambiental em todas as instância do GDF, em campanha a ser lançada na visita do secretário geral das Nações Unidas, o sul coreano Ban K-Moon, a Brasília e à Amazônia. K-Moon visitará a América Latina para tratar de mudanças climáticas.
A Amazônia é a maior floresta tropical do planeta. Sua destruição põe o Brasil como quarto emissor de carbono do planeta, contribuindo para o aquecimento global. Pelo menos 10 mil quilômetros quadrados por ano são destruídos. Em 2002, foram arrasados mais de 25 mil quilômetros quadrados.
Desde 1970, 30% da floresta já foram torados ou incendiados para plantação de soja, criação de gado e produção de carvão. Florestas em reservas indígenas, em áreas de preservação permanente e até em assentamentos do Incra (Instituto nacional de Colonização e Reforma Agrária) desaparecem do dia para a noite, numa rede criminosa profundamente infiltrada no poder público.
O poder público é dono de 78% da Amazônia. O governo federal estima que 80% da madeira da região são torados ilegalmente. O Brasil consome 85% da madeira da Amazônia. Um dos grandes compradores são prefeituras municipais, que se tornam, assim, cúmplices da corrupção do santuário amazônico, altar em chamas.

11/08/2007


PAPAI NOEL
O pagamento do 13º salário deve injetar cerca de R$ 64 bilhões na economia brasileira até dezembro. A estimativa é do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Sócio-Econômicos (Dieese), que divulgou recentemente um estudo sobre o impacto do benefício em todo País. No Pará, onde 1.337.210 trabalhadores receberão o salário extra, o incremento orçamentário chegará a R$ 921 milhões, montante que é 8,43% maior que o valor liberado ano passado. Para calcular o ingresso desses valores na economia, o Dieese levou em conta dados da relação Anual de Informações Sociais (Rais), Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged) e Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2006, além de informações do Ministério da Previdência Social.

PRAZO FINAL

Por lei as empresas têm até o dia 30 de novembro para pagar a primeira parcela do 13º salário aos seus empregados, sob pena de serem multados pela Justiça do Trabalho. O valor da primeira parcela corresponde à metade do salário de outubro para quem foi contratado até 15 de janeiro de 2007. Quem foi contratado após esta data terá o pagamento proporcional aos meses trabalhados (o período de 15 ou mais dias é considerado como mês integral). Têm direito a receber o 13º salário, todos os empregados, inclusive os domésticos, rurais e avulsos, além de aposentados e pensionistas.

ELEIÇÕES 2008

Há no mínimo 16 pré-candidatos à Prefeitura de Belém para as eleições municipais de 2008, incluindo o atual, Duciomar Costa, do PTB. A guerra é para administrar um orçamento de mais de R$ 1,158 bilhão, com base nos cálculos deste ano, e interferir na vida de mais de 1,4 milhão de habitantes, distribuídos em 71 bairros e oito distritos administrativos. Entre os cotados para a disputa estão: - Edmilson Rodrigues (PSOL); Suely Oliveira, Mário Cardoso, Valdir Ganzer (PT); José Priante (PMDB); Simão Jatene, Zenaldo Coutinho e Paulo Chaves (PSDB); Valéria Pires Franco (Democratas); Arnaldo Jordy (PSB) ; José Carlos Lima (PV); Atnágoras Lopes (PSTU); Cássio Andrade (PPS); Zeca Pirão PP) e Raimundo Abdon (PMN). Na próxima semana, divulgaremos os possíveis pré-candidatos em Santarém.

GRANDE MULHER

Como estreante na disputa ao cargo de prefeita, surge a ex-governadora do Estado Valéria Pires Franco (DEM) . Ela não esconde suas pretensões de governar Belém. Ela aposta na sua atuação como secretária de Promoção Social, cargo que acumulava no governo tucano de Simão Jatene. O presidente estadual do DEM em exercício, deputado estadual Márcio Miranda, diz que Valéria é candidata por estar em 'excelente posição nas pesquisas de opinião'. Aliança com os tucanos? O parlamentar responde que agora é um 'novo momento'. 'Ela aparece melhor colocada que qualquer um dos candidatos deles', comenta Miranda, relatando que o esfacelamento da 'União pelo Pará' inviabiliza, de certa forma, a reaproximação. Márcio garante que Valéria tem buscado o diálogo com todas as siglas. Não descarta apoios, mas, pelo discurso, não admite Valéria como coadjuvante na briga pela PMB: o partido quer a ex-vice governadora como cabeça de chapa. As fichas estão concentradas na figura feminina que, ao longo de quatro anos desempenhou programas direcionados às populações mais carentes do Estado.

INCRA

O deputado estadual Alexandre Von (PSDB), requereu junto a Comissão Temporária da Assembléia Legislativa, para que acompanhe apuração de denúncias de irregularidades junto a Superintendência Regional do Incra na região Oeste do Pará, referentes a criação de projetos de assentamentos , crédito-fomento e implantação de obras de infra-estrutura, além de denuncias formuladas por ONGs e, até mesmo pelo Ministério Público Federal, com a decisão da Justiça Federal que determinou a intervenção em nada menos do que 99 (noventa e nove) assentamentos rurais sob suspeita de irregularidades.

MULHERES

Integrantes do Programa Saúde da Família do Jardim Santarém convocam todas as mulheres do bairro que ainda não realizaram o PCCU – Preventivo do Câncer do Colo do Útero para comparecer à Unidade no período de 19 a 23 de novembro de 2007, das 13h00 às 17h00. Na oportunidade, essas mulheres serão atendidas pelos profissionais da referida unidade, que estarão coletando o material para a realização do exame. Os profissionais de saúde ressaltam a importância do exame, que ajuda a prevenir e a combater o Câncer do Colo do Útero, que é a terceira neoplasia maligna mais comum entre as mulheres, sendo superado pelo câncer de pele e pelo câncer de mama. É a quarta causa de morte por câncer em mulheres.

MOTINHAS
▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬▬
Fórum Internacional de Madeira Tropical trará ao Pará, neste mês, representantes do primeiro escalão de países africanos, asiáticos e europeus. São esperados cerca de 150 estrangeiros. Eles visitarão a Flona Tapajós, em Santarém, e farão um tour por empresas madeireiras do Distrito Industrial de Ananindeua e Icoaraci. O fórum vai debater o mercado de madeira tropical no mundo. ●●● O decreto que deu o nome do maestro santareno Wilson Fonseca a uma rua do Rio de Janeiro foi assinado no dia 9 de outubro do ano passado pelo prefeito César Maia. A rua do Maestro fica entre as Ray Conniff e Marlon Brando. É muita bagagem. ●●● Manoel Carlos, o autor de novelas da Globo, se filiou ao Partido Verde, no Rio. Não é candidato, mas pretende dar total apoio às candidaturas do partido. ●●● Ao contrário dos que muitos pensavam, o vice Odair Corrêa foi bastante discreto quando exerceu o Executivo, na ausência da governadora Ana Júlia. Na última segunda-feira/05 Ana Júlia reassumiu o governo. Odair terá outra oportunidade de assumir o poder, em março, se a governadora aceitar o convite para visitar a China. ●●● O jornalista Walter Guimarães será o único representante nortista a receber, da Federação Nacional dos Colunistas Sociais, o “Troféu Jacintho de Thormes”, como um dos mais renomados colunistas de todo o país. A entrega será neste sábado (10), em Santa Catarina. ●●● Jornalista e deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ) virá a Belém em março, para uma reunião do Partido Verde com todos os militantes do Estado. Vereador Valdir Matias JR, deve marcar presença. ●●● Nicolau do Povo, fiel escudeiro do competente médico Nélio Aguiar, vai disputar uma vaga de vereador em 2008, pelo Partido Municipalista Nacional (PMN), tem saúde para ganhar. ●●● Vem ai: AVATAR Aguarde! Você não perde por esperar. ●●● Repórter do Rádio Pela Educação, produção da Rádio Rural de Santarém, está entre os vencedores do Concurso Jovem Parlamentar 2007. ●●● A cerveja Nova Schin, estará patrocinando o Festival do Charuto, nos dias 17 e 18 de novembro, na praia de Ponta de Pedras. Imperdível. ●●● Os parlamentares que defendem a divisão do Pará trabalham rápido. Pressionam, agora, para que o Senado coloque na ordem do dia, para ser votada daqui a 15 dias, a autorização do plebiscito. Dentre eles, está o deputado federal Lira Maia (DEM-PA). ●●● Tornearia Morenão Av. Mendonça Furtado 2943 prox. Professor Carvalho Fone (093) 3523 2243. ●●● O ex-governador Simão Jatene esteve no inicio da semana em São Paulo, tratando das questões ligadas ao PSDB, com a direção nacional do partido. Candidaturas a prefeito de Belém serão discutidas só em dezembro. ●●● Dia 12 de janeiro, data de aniversário de Belém, o prefeito Duciomar inaugura o primeiro quilômetro de orla da cidade. Nessa mesma data Dudu abre a Avenida João Paulo II (ex-Primeiro de Dezembro) até o Entroncamento. ●●● O deputado federal Fernando Gabeira (PV-RJ), espera que no inicio da semana seja votado o projeto de lei que legaliza a prostituição no Brasil, de sua autoria. A sociedade está dividida. Você é contra ou a favor? ●●● Supermercado Beira Rio (Aquino), aberto de 5 da manhã até 10 da noite - Av. Tapajós em frente ao antigo Tablado. ●●● Final de semana. Vamos comemorar com uma gostosa loira gelada (Nova Schin), uma fantástica ruiva destilada e a bela morena quente. Fui.

11/07/2007

Prof. Raymundo Dias - Uma história 100% paraense


Nossos parabéns ao filho, irmão, esposo, pai, avô, bisavô, amigo e herói que hoje completa 86 anos e inicia seus oitenta e sete.
Filho de caboclos naturais da ilha do Mosqueiro, e que posteriormente, imigraram a Belém, conseguindo fazer vida como açougueiros, “seu Dias”, como é conhecido, foi educado por um médico nos anos entre as décadas 20 e 30.
O profissional de saúde, que também era pianista, o ensinou a ter uma boa postura em sociedade (etiquetas) e também, a cantar; despertando no então garoto, seu talento musical. Desde lá, a música passou a ser uma constante em sua vida.
Ingressou no antigo Instituto Lauro Sodré (que tinha regime de internato à época) e ali se desenvolveu como atleta e integrante da banda musical da escola ,tocando trombone de vara.
Já como soldado do exército, não chegou a ir p/a segunda guerra devido à sua estatura, pois à época, havia seleção. Só os mais altos era quem iam. Ainda bem! Assim, ele conseguiu escapar do pior, quem sabe?!.....Mas, mesmo em quartel local, esteve sob duro treinamento com "bala real". Ele conta que certa feita, livrou-se de morrer junto com outros companheiros, quando por experiência, perceberam uma 'voz de comando errada' da parte de um sargento que os mandava levantar enquanto uma metralhadora antiaérea varria o terreno com centenas de tiros. Posteriormente, aquele sargento foi chamado de recruta por um capitão que assistia ao treinamento.
Mesmo sendo de pele mais escura, Raymundo Dias sempre gostou de trajar-se como todo um Gentleman. Nas festas, chamava atencão, com seus ternos de casemira branca.
Como excelente bailarino (chegou a ser conhecido como pé-de-valsa), encantava as damas presentes nos salões de bailes, onde conheceu a dona Bib i (de família de ascendência judáica-portuguesa), a mais bela da Travessa Estrela, no bairro da Pedreira, em Belém.
D. Bibi era chamada de "a estrela da estrela"; que, com seus olhos claros, cabelos longos e pele fina e branca, enamorou, mesmo sem querer, a muitos. Entre tantos, alguns cidadãos portugueses que destacaram-se no comércio e industria; Além de alguns oficiais de Marinha de alta patente.
Mas...o amor tem diferentes caminhos...
Ela acabou por aceitar o Raymundo Dias (mesmo a contra-gosto de todos os que se opunham) e com ele, viveu mais de cinqüenta anos, gerando oito filhos e filhas, netos e bisnetos e tataranetos.Todos, homes e mulheres de bem, profissionais honestos e trabalhadores.
Com o falecimento de D. Bibi (Z'L'), Raymundo entristeceu-se um pouco e já não brinca como antes.
Casou-se outra vez e continua sendo um incentivador da vida, com suas histórias e aconselhamento aos jovens.
Em sua humildade, aceita como apenas uma brincadeira e até sorri junto àqueles jovens-amigos irreverentes, que dizem que o contraste da pele morena e suas cãs...se parece ao 'sorvete de açaí com cobertura de côco'.
Este ano,” seu Dias” assustou a todos com um princípio de enfarto....mas nada que seu vigor físico não suportasse.
Após o susto, já retornou às suas sessões de hidroginástica e suas caminhadas de todas as manhãs. Ele gosta de andar muito. É seu principal exercício.
“Seu Raymundo” nunca quis ter automóvel. Mesmo em seus áureos tempos de comerciante (farmácia), somente um chauffeur vinha buscá-lo de volta à casa. Já em casa, ouvindo o jogo de futebol num radinho de pilhas, conferia a renda do dia e fazia suas anotações.
Raymundo Dias já ajudou muita gente, assim como também já foi ajudado. Amigos, que conserva até hoje. Afinal de contas, sustentar uma família nesse Brasil de tantos santos, não é tarefa fácil.
Ele sempre ensinou aos filhos que: “`As vezes, nessa vida de trabalhador brasileiro, é necessário engolir muitos desgostos e insultos, a fim de trazer o pão pra mesa no fim da tarde".
Raymundo Dias....um guerreiro de fé que não 'se mixa' por pouco.
É ele, que nem um passarinho...canta e canta....mesmo quando a situação aparentemente está difícil.
Foi o professor-fundador da Escola Adventista de Icoaracy, onde viveu largos anos.
Canta até hoje com o grupo Irmãos do Rei (primeiro quarteto vocal da Amazônia).
Fundou o conjunto Flores da Primavera e, posteriormente o cora Vozes de Sião ,que, esteve sob sua maestria há mais de trinta anos e inspirou outros grupos-corais de várias igrejas, entidades e empresas do Pará.
Foi o criador da Festa do Abacaxi, ainda comemorada a cada ano naVila Sorriso, atraindo centenas de pessoas.
Enfim...esse homem simples e que não toma menos que meio litro de açaí para não sujar os dentes com tão pouco, tem mesmo, a fibra dos grandes paraenses. Daqueles que honram esta terra abençoada por todas as estrelas de sua bandeira.
Hoje O Pará está de parabéns, pois o Senhor Professor Raymundo Dias está de aniversário.
Parabéns “ seu” Dias!

Esta é uma história verídica e 100% paraense.